RELAÇÃO ENTRE ALIMENTAÇÃO E VIBRAÇÃO ENERGÉTICA


Entenda porque certos alimentos baixam nossa energia, comprometendo a longevidade e dificultando nossos esforços de elevação espiritual

A certa altura do caminho espiritual, todos nós somos avisados que alimentos industrializados, artificiais e de origem animal, assim como bebidas alcoólicas, drogas e guloseimas devem ser evitados porque deixam muitas toxinas em nosso organismo. A justificativa para essa indicação é que a intoxicação do corpo baixa nossa vibração energética.
Para quem deseja compreender melhor a relação entre alimentação e nível vibratório, transcrevemos uma passagem do livro O Segredo de Shamballa, de James Redfield (Editora Objetiva). Autor do clássico A Profecia Celestina, Redfield é espiritualista e pesquisador. Para escrever o texto a seguir, ele baseou-se no trabalho do médico Phd Theodore A. Baroody, um especialista em medicina preventiva e nutrição.

Aqui, Redfield explica com grande clareza e simplicidade como a dieta influi no nível de energia dos seres humanos.

A maioria das pessoas é cheia de energia e entusiasmo durante a juventude, mas, depois, na meia-idade, começa a escorregar lentamente ladeira abaixo e finge não perceber. Afinal, todos os amigos estão na mesma situação e seus filhos são ativos, então eles passam cada vez mais tempo sentados, comendo as coisas que têm gosto bom.

Não demora até que comecem a ter queixas e problemas crônicos tais como dificuldades digestivas e irritações da pele que atribuem à idade, e então, um dia, contraem uma doença grave, de cura difícil.

Geralmente procuram um médico que não ensina prevenção, e se põem a tomar remédios; às vezes o problema é resolvido, às vezes não é.

E então, com o passar dos anos, elas pegam uma doença que piora progressivamente, e percebem que estão morrendo; seu único consolo é pensarem que o que está acontecendo com elas ocorre com todo mundo, que é inevitável. E o pior é que esse colapso de energia acontece, até certo ponto, até mesmo com quem pretende ser espiritualizado.

Se procuramos ampliar nossa energia e ao mesmo tempo consumimos alimentos que nos roubam essa energia, não chegamos a lugar algum. Temos de avaliar todas as energias que rotineiramente permitimos que entrem em nosso campo de energia, especialmente os alimentos, e evitar tudo que não seja o melhor para que nosso campo continue forte. 
Sei que por aqui existem muitas informações conflitantes a respeito dos alimentos. Mas a verdade está aqui também. Cada um de nós precisa pesquisar, tentar ter uma visão mais ampla.

Somos seres espirituais que viemos a este mundo para aumentar a nossa energia. No entanto, grande parte do que encontramos aqui destina-se simplesmente ao prazer sensual e à distração, e grande parte mina a nossa energia e nos empurra para a desintegração física.

Se realmente acreditamos que somos seres energéticos, devemos seguir o caminho estreito por entre essas tentações. Estudando a evolução, você verá que, desde o início, tivemos de escolher nosso alimento experimentando e errando, apenas para descobrir quais eram bons para nós e quais nos matariam.

Se comer esta planta, você sobrevive; se comer aquela ali, morrerá. Hoje, já sabemos o que nos mata, mas só agora estamos aprendendo quais são os alimentos que aumentam a nossa longevidade e mantêm alta a nossa energia, e quais nos prejudicam. 

Parecemos ser de matéria, carne e sangue, mas somos átomos! Energia pura! A ciência já provou esse fato. Quando nos aprofundamos no estudo dos átomos, vemos primeiro partículas e depois, em níveis mais profundos, as próprias partículas se transformam em padrões de energia pura vibrando em certo nível.

E se olharmos desta perspectiva para aquilo que comemos, veremos que o que colocamos em nosso corpo como alimentos afeta o nosso estado vibratório, ao passo que outros diminuem.

A verdade é simples. Todas as doenças resultam de uma queda na energia vibratória; quando a nossa energia cai até determinado ponto, existem forças naturais no mundo que se destinam a desintegrar o nosso corpo.

Quando alguma coisa morre, como por exemplo um cachorro atropelado por um carro ou uma pessoa depois de longa doença, as células do corpo imediatamente perdem a vibração e se tornam muito ácidas quimicamente.

Esse estado ácido é o sinal para os micróbios do mundo, os vírus, as bactérias e os fungos, de que está na hora de decompor aquele tecido morto. Esse é o trabalho deles no universo físico; devolver um corpo à terra.

Já lhe disse que quando a energia em nosso corpo diminui por causa do tipo de alimento que comemos, isso nos torna suscetível às doenças.

Eis como funciona: quando comemos, o alimento é metabolizado e deixa resíduos ou cinzas em nosso corpo. Esses resíduos são de natureza ácida ou alcalina, dependendo da comida; se ela for alcalina, então pode ser rapidamente extraída de nosso corpo com pouca energia.

No entanto, se esses produtos residuais são ácidos, fica muito difícil para o sangue e o sistema linfático os eliminarem, e eles são depositados em nossos órgãos e tecidos como sólidos, formas cristalinas de baixa vibração que criam bloqueios ou rupturas nos níveis vibratórios das nossas células.

Quanto mais desses subprodutos ácidos são depositados em nosso corpo, mais ácidos os tecidos se tornam… e adivinhe o que acontece?

Um micróbio aparece, sente todo esse ácido e diz: “Ah, este corpo está pronto para ser decomposto.”

Está entendendo? Quando um organismo morre, o corpo muda rapidamente para um ambiente altamente ácido e é consumido pelos micróbios bem depressa. Se começarmos a aparentar esse estado muito ácido, ou estado de morte, então começamos a sofrer o ataque de micróbios. Todas as doenças humanas resultam de um ataque desses. 

Todas as doenças surgem por meio da ação microbiana. Vários micróbios foram associados às lesões arteriais da doença coronária, assim como à produção de tumores cancerígenos. Mas, lembre-se, os micróbios estão apenas fazendo a sua função; a verdadeira causa é a alimentação que provoca o ambiente ácido.
Nós, humanos, estamos em um dos dois estados: ou no alcalino, de alta energia, ou no ácido, que avisa os micróbios que habitam em nós ou que surgem que estamos prontos para sermos decompostos. A doença é literalmente uma decomposição de alguma parte do nosso corpo, porque os micróbios perto de nós receberam o sinal de que já estamos mortos. 
Geralmente, os alimentos que deixam resíduos ácidos em nosso corpo são pesados, cozidos demais, industrializados demais, e doces – como carnes, farinhas, balas, álcool, café e as frutas mais doces; os alimentos alcalinos são mais verdes, mais frescos, mais vivos, tais como legumes frescos e seu suco, verduras, brotos e frutas como abacate, tomate, grapefruit e limão. 

É muito simples. Somos seres espirituais num mundo espiritual e energético. Vocês no Ocidente podem ter crescido achando que a carne cozida e os alimentos industrializados são bons; mas agora sabemos que eles criam um ambiente de lenta decomposição que ao longo do tempo cobra seu preço.

Todas as doenças debilitantes que afligem a humanidade, como aterosclerose, enfarte, artrite, aids e especialmente os vários tipos de câncer, existem porque poluímos nosso corpo, o que avisa aos micróbios dentro de nós que estamos prontos para nos decompor, morrer.

Sempre nos perguntamos por que certas pessoas expostas aos mesmos micróbios não sofrem o contágio de uma doença; a diferença é o ambiente do interior do organismo.

A boa notícia é que, mesmo se tivermos excesso de acidez no corpo e começarmos a nos decompor, a situação pode ser revertida se melhorarmos nossa nutrição e passarmos para um estado alcalino e de energia mais alta. 

Estamos vivendo na idade das trevas no que refere aos princípios de um corpo vibrante e altamente energético. Os seres humanos deveriam viver mais de 150 anos.

Mas a nossa alimentação é tal que imediatamente começa a nos destruir. Em toda parte vemos pessoas que estão se decompondo diante dos nossos olhos. Mas não precisa ser assim.

Extraído do livro O Segredo de Shambahla, de James Redfield, Editora Objetiva.

A BENÇÃO DOS ALIMENTOS


Abençoar o alimento antes das refeições é um gesto cada vez mais raro hoje em dia.

Algumas famílias têm o hábito de pedir a bênção sobre o alimento e agradecer a Deus pela mesa farta. Este gesto em família é uma ótima educação para as crianças, que passam a orar junto com a família desde bem pequenas, e com isso entendem que Deus é o grande provedor.

A bênção dos alimentos adiciona energias positivas ao alimento e consome com as energias ruins que lá estejam. Só para dar um exemplo: uma moça que ao trabalhar a massa de um pão, esteja com ódio de seu namorado, por exemplo, pode carregar a energia do pão com seu ódio e isto, com certeza, afetará quem comer deste pão.

Sabemos de histórias de pessoas que, na época da II guerra mundial, não tinham mais do que poucos vegetais para comer e em suas orações pediam a Deus que qualificasse os vegetais com todos os nutrientes que precisavam para viver, e assim, no final da guerra, estavam inexplicavelmente fortes e saudáveis, enquanto que outros na mesma situação, não tiveram a mesma sorte, estando altamente debilitados.

Precisamos não só pedir a bênção e qualificação do alimento, como também, agradecer por ele. Muita gente apenas agradece, e outros apenas pedem a bênção.
Uma coisa não substitui a outra. Só o agradecimento dá o fluir entre as partes, assim poderemos multiplicar tudo o que agradecemos.

Para manter a sua mesa farta, agradeça sempre, pois com isto estará confirmando que a Deus tudo pertence.

Jesus Mudra


Este é um mudra feito com os dedos atuantes do fogo, do ar e do céu, representantes dos 3º, 4º e 5º raios secretos. É o verdadeiro mudra da bênção do milagre da intercessão divina. É uma poderosa maneira de fazermos a ponte da energia da bênção divina, para a bênção dos alimentos. As bênçãos são sempre invocadas para fazer o bem. Invocamos a intercessão divina da Luz para fluir através de nossas mãos curando, iluminando, purificando, libertando, energizando e harmonizando.

O importante, ao abençoar em nome de Deus, é fazê-lo em completo sentimento de entrega e compaixão, desprendimento e boa vontade. Quando se pede a Deus que abençoe a algo ou a alguém, devemos ser o instrumento puro e decidido a apenas fazermos o bem e sermos úteis.

Colocamos o nosso corpo servindo como condutor da energia divina para manifestar a vontade de Deus, fazendo o bem ao próximo. Só a invocação não é o suficiente, o que realmente potencializa a bênção é o mudra e o invocar do Cristo para atuar, potencializando os raios através de nossas mãos, na hora da bênção. Este é o ensinamento dos 5 raios secretos, que você também poderá encontrar em nossa apostila de mudras.

O mudra acima pode ser feito com a seguinte invocação: Amado Santo Cristo Eterno, agradeço por este alimento e invoco Sua Presença eletrônica em meu coração, atuando para a bênção deste alimento. Peço que atue agora através de meu ser, utilizando minhas mãos e meu coração para a purificação e a energização deste alimento.

Entoe o OM enquanto visualiza a luz fluindo de sua mão.

Como fazer o mudra da bênção de Jesus:
 

Com a mão direita, estique os dedos polegar, indicador e médio, curvando-os levemente para a frente, mantendo os dedos anular e mínimo recolhidos. Os dedos atuantes, neste mudra da magia e da alquimia da transformação, são os dedos do fogo (o polegar), do ar (o indicador) e o do éter, (o médio).

Em caso de pequenos alimentos, como um pão ou copo com líquido, coloque a mão esquerda sob o alimento a ser abençoado e sinta a energia fluir de Deus, através do Cristo em seu chakra do coração, para a sua mão direita, fluindo através de seu braço, saindo pela palma e dedos, polegar, indicador e do meio da mão direita para abençoar.

A mão esquerda atua como polaridade negativa, dando o equilíbrio necessário para o perfeito fluir da energia. Quando o alimento for uma mesa completa, a mão esquerda fica com os dedos polegar, indicador e do meio esticados, e com a mão em forma de concha, sobreposta ao chakra do coração. Sinta a energia fluir de Deus, através do Cristo em seu chakra do coração, para a sua mão esquerda, fluindo através de seu braço esquerdo até o braço direito, saindo pela palma da mão e os dedos polegar, indicador e do meio da mão direita para abençoar toda a refeição.

Uma outra maneira de criar a polaridade entre as mãos, principalmente ao abençoar um prato de comida, o que é o mais comum em nossos dias de hoje, é o seguinte: Antes de pegar o garfo e a faca para comer, coloque o prato na mesa e descanse suas mãos à direita e à esquerda do prato, com as palmas viradas para o prato.

Esta é uma ótima maneira de abençoar seu alimento sem despertar a curiosidade de outras pessoas, principalmente quando nos alimentamos em restaurantes. Com as mãos posicionadas, murmure a oração para que haja a manifestação. Para manifestar sua bênção, há a necessidade de sair sua expressão labial. Lembre-se de que Deus fez o mundo com a palavra e não com o pensamento.



EXEMPLOS DE BÊNÇÃOS DO ALIMENTO:

Uma bênção Católica para Abençoar o Alimento :
Abençoa Senhor este alimento para que possa ser um remédio eficiente e saudável para a humanidade. Em Vosso nome e propósito, conceda que todos que partilhem deste alimento possam obter a saúde do corpo e a segurança da alma. Por Cristo nosso Senhor. Amém.
Uma bênção budista para a hora do almoço:
Este alimento é uma bênção do universo,
Eu sou agradecido em recebê-lo.
Possa este alimento dar-me a força,