SEPARAÇÃO – O Maior Desafio da Humanidade. Nós Podemos Mudar Isso ?

A verdadeira igualdade não é material, mas é a verdade indelével de quem você é, como parte da totalidade da criação.
A compaixão por outro ser humano, independentemente de raça, status socioeconômico, ou estado mental/físico requer uma inteligência emocional e maturidade que a maioria das pessoas não alcança dentro de sua vida.
Poderíamos culpar o nosso sistema educacional, cultura, condicionamento e até mesmo a opressão permanente exercida por aqueles no poder, mas seria errado fazê-lo. 
O mundo é apenas um reflexo do mal-entendido fundamental que continua a perpetuar a servidão e o sofrimento humano: a crença de que estamos separados uns dos outros.
Outro nome para o que aflige a humanidade é a consciência de separação. Porque a 3ª dimensão física consiste de acima e abaixo, pobre e rico, mentalidade primitiva da humanidade, acredita-se que devido ao aparecimento do espaço e tempo eu e você não estamos conectados. 
No entanto, como pode ser isso ? 
Onde é que está a linha que liga todos nós juntos e onde ela termina ?
A crença na separação é tão arraigada na cultura, sub-culturas, sistemas sociais e até mesmo na religião, que tem sido a desculpa para tratar os outros como subvalorizados e descartáveis em função dos ideais do dia. Não há um ato de violência em que a desigualdade (o pensamento de separação) não esteja na raiz.
O Que é a Igualdade ?
Onde é que a verdadeira igualdade surge ? A partir do nosso interior. Se você não reconhece a conexão entre você e o outro e o mundo que vive dentro de você, você não vai reconhece-la fora. A verdadeira igualdade não é material, mas é a verdade indelével de quem você é, como parte da totalidade da criação.
Existem aqueles que transcenderam a educação e as condições criadas pelo homem, olhando para dentro para encontrar a unidade de toda a vida que é a verdadeira natureza do Universo. 
  
Martin Luther King, Madre Teresa, mesmo o John Lennon que sugeriu para cada um de nós imaginar e analisar o mundo de dentro para fora e ver a vida como ela realmente é, não como “nós” e “eles”, mas com todos fazendo parte do “nós”.
Somos todos criados pela mesma Fonte, onde não existe nenhuma parte da criação que é mais ou menos importante do que qualquer outra. 
Uma vez que isto é entendido internamente, pode então ser experimentado externamente como sua conduta no mundo, começando a construir uma nova realidade para si e para os outros. Mesmo que os outros ao seu redor não entendam o que você faz para todos, faça por você, é imperativo você permanecer firme dentro do quadro maior, ou da primeira diretriz universal da nossa unidade.
Martin Luther King disse: “A última medida de um homem não é onde ele se encontra em momentos de conforto e conveniência, mas onde ele se encontra em tempos de desafios e controvérsias.” 
Vencer a dificuldade é a força de caráter que você exibe com o seu comportamento quando interage com o resto do mundo.
Responsabilidade + Integridade = Sustentabilidade
A integridade é sinônimo de responsabilidade e sustentabilidade. Esteja ciente e entenda as suas escolhas para unir ou dividir, pergunte-se se você está escolhendo sustentabilidade proativa ou reatividade destrutiva. 
A escolha certa faz de você um ser humano habilitado e capacitado, transcendendo a cor da pele e as crenças antiquadas dos outros ou impostas pela sociedade.
O convite é para permanecer firme dentro do assento de coragem pessoal, mesmo quando os outros em torno de você perdem seu rumo. Isto conduzirá você para o melhor caminho. Sendo o primeiro a mudar você muda o mundo. 
Com a nova consciência do que não está mais funcionando, o líder surgindo em você percebe que a escuridão combatendo a escuridão produz o mesmo fruto inútil. Em vez disso, seja a luz. 
Outros vão enxergar e seguir o seu exemplo. O tempo está em cima de nós para viver sem medo e corajosamente fazer o que nós decidimos antes de nascer.
Nada pode existir sem o seu apoio. A humanidade vai avançar muito mais rapidamente para acabar com as guerras, privadas e públicas e criar o mundo que sabemos ser possível, quando substituirmos a consciência de separação pelas recompensas da consciência da UNIDADE. 
O mundo está esperando-o. Você vai atender a chamada ?
©Christine Horner

É HORA DA LIBERTAÇÃO – Canalização Madre Tereza

Por Madre Tereza de Calcutá
Irmãos da Terra, nós precisamos dar as mãos, e orar a Deus, para que tenha compaixão dessa humanidade.
O momento da colheita chega para todos, e como uma fera, as “formas pensamentos”, alimentadas pelas coletividades avançam famintas, sobre as criaturas. Querem perpetuar sua existência.
Somam sua força às forças negativas, que passam a comandá-las. Terror e pânico inspiram nas coletividades humanas, que perdidas, desligadas da Espiritualidade Superior, tornam-se alvos frágeis nas mãos das “feras”.
Meus irmãos, voltai vossos olhares para Deus! Suplicai que retire de vossas vistas o tapa olhos, que impede de compreender a visão espiritual.
A humanidade precisa alimentar o espírito com valores morais mais elevados. Detendo a marcha na direção dos Abismos, elevando-vos em preces sinceras ao Criador.
Nesta hora de dores e ranger de dentes, somente unidas em preces, as coletividades poderão auxiliar, minimizando o impacto dos ataques.
Tendes compaixão uns dos outros, somos todos irmãos. Esclarecei ao Mundo que Deus é Todo Bondade, Amor e não castiga Seus filhos. O castigo é fruto da consequência de vossos atos.
Pensais por acaso, que aquilo que fazeis contra vossos irmãos, as iniquidades, as dores impingidas ao próximo, ficam sem retorno, sem reação?

Acaso pensais que na calada da noite os crimes permanecem desconhecidos?
Estais equivocados irmãos! Estais errados no vosso julgamento; não há véu que cubra o mal que vossas mãos praticam.
Deus tudo sabe e a tudo vê. Suas Leis foram criadas para governar todos os Seus filhos amados. Não há dentre vós, aquele que seja o predileto do Pai. Suas Leis governam a todos; e se feristes alguém, um dia sereis feridos.
Detenhais vossa marcha em direção ao Abismo, ferindo o próximo, dilapidando a vida, destruindo a criação. Refreai vossos instintos, pois que já fostes chamados ao Progresso. Como homens e mulheres vos colocastes de pé sobre a Terra.
Não sois mais os animais de ontem, pois a Centelha Divina que vos anima, progrediu, fazendo luz sobre vossa condição animal, elevando-vos à condição de seres humanos; e à vossa frente, a Centelha Angelical já fulgura desejando brilhar.
Libertai-vos das amarras materiais irmãos, pelo desapego das sensações densas, das emoções fortes que vos prendem no passado de erros.
É hora da libertação. Se em vós não tocar o Amor de Deus, então pela dor, reflexo de Sua Lei, sereis tocados para a mudança. Mesmo diante daquilo que está por vir, colhendo a amargura dos frutos de vossos erros, bendizei ao Criador.
Jamais permitir que a revolta domine vosso coração e mente. Bendizei, porque a dor cura e renova.
Irmãos, uni vossas mãos em prece e aceitai o carma coletivo que se abate sobre vós. Erguei o pensamento a Deus e suplicai o perdão das ofensas e mudai.


Esta é a mensagem que a dor e o sofrimento trazem; compreender e aplicar em vossas existências para terdes proveito.
Que a Paz de Jesus seja conosco.

Madre Tereza de Calcutá – 2013

Fonte: http://www.extraseintras.com.br

VIBRAÇÃO E SINTONIA

Tudo no universo opera através de vibração

Nosso corpo é constituído de átomos, que são cercados por elétrons que giram em velocidades tão grandes que os cientistas não conseguem saber ONDE o elétron está em determinado momento. 
Imagine bilhões de átomos cercados de elétrons dentro do seu corpo e você vai ter uma idéia do que estou falando.
Estamos em movimento constante. 
Mas a vida reserva bem mais surpresas, se formos mais fundo nas pesquisas. 
O átomo deixou de ser a menor partícula há muito tempo. 
Não sei a seqüência correta, mas sei que pararam quando descobriram o táquion. 
Ele tem uma propriedade interessante: existe e não existe. Uma hora ele está lá, na outra não está. 
Segundo alguns cálculos, descobriu-se que essa partícula pode viajar no tempo. 
Estar no futuro e no passado. Ou seja, é muito viajado. 
O interessante é que você tem que procurar bem fundo na estrutura da matéria pra ir encontrando essas partículas, o que nos leva a seguinte conclusão: proporcionalmente há mais vazio dentro de você do que há na sala/quarto em que você está. 
Voltando ao assunto vibração, o que nos diferencia de uma pedra é, grosso modo (e materialmente falando), a vibração. A estrutura das pedras têm um padrão vibratório mais baixo, portanto, mais denso. 
Uma historinha interessante pra ilustrar este caso:
 
Uma aluna de Einstein estava passando pelo pátio da Universidade de Princeton e viu seu mestre parado em frente ao chafariz, balançando a mão rapidamente na frente dos seus olhos. 
Curiosa, ela foi lá perguntar a Einstein o que ele estava fazendo. 
Ele apontou para o jorro d’água que caía do chafariz, depois mandou ela fazer a mesma coisa que ele. 
Ao passar a mão rapidamente na frente dos olhos, a pessoa “quebra” o efeito de permanência da vista, que é um “defeito” dos olhos, responsável pela movimentação fluida com que vemos as coisas (e que nos faz imaginar o movimento perfeito numa seqüência de apenas 24 cenas por segundo). 
O resultado é que ela conseguia distinguir os pingos d’água caindo, em câmera lenta, em vez do jorro constante.
 

Onde eu quero chegar com tudo isso? 
Vibração
Nós vivemos numa grande e tola ilusão sensorial, que os Hindus chamam de Maya
Tudo o que somos, tudo o que temos, não passa de um agregado de matéria em estado bruto, réplicas mal-feitas de uma realidade cada vez mais sutil. 
Sócrates também chegou a essa conclusão com o seu mundo das idéias, em que existe a “idéia cavalo” antes mesmo de existir o cavalo em sua cópia grosseira. 
Sabiamente, os Hindus dizem que o véu de Maya é como uma teia de aranha: esconde, mas também mostra. Se souberem como olhar, claro. 
Se você mudar o foco para o que tem ATRÁS da teia da aranha, vai perceber mais detalhes de um novo mundo.
Para isso, você tem que elevar sua vibração. 
Como se consegue isso? 
Mais uma vez vamos consultar os ensinamentos budistas: É preciso trilhar o caminho do meio. 
Evitar os extremos da vida, o prazer desmedido ou o sofrimento inútil. Compaixão irrestrita é a meta de todo budista. 
Não somente pelos seres humanos, mas por todos os seres vivos. 
A sabedoria é a outra grande meta. O dr. Georges da Silva diz: “sem sabedoria somos tolos de bom coração, sem compaixão somos intelectuais frios e insensíveis”. 
Para alcançar a iluminação é preciso unir as duas coisas. Esse é o objetivo da conduta ética. Buda dividiu em oito ramos o caminho para a iluminação:
1. Visão correta. Não cobiçar, e nada desejar.
2. Ação correta. Não matar, não roubar, não usar de violência e ser sábio em relação à sexualidade;
3. Vida correta. Nada disso adianta se no seu trabalho você prejudica os outros, sejam esses outros pessoas, animais ou a própria natureza. 
4. Esforço correto é exercitar a autodisciplina para evitar pensamentos maus ou nocivos e desenvolver estados mentais positivos e saudáveis; É aplicar sua energia em coisas produtivas e benéficas.
5. Atenção correta. “O budismo é uma religião do aqui e do agora”, avalia Arthur Shaker, da Casa de Dharma. Precisamos aprender a desligar o piloto automático e prestar atenção a todas as nossas ações, nossas palavras, nossos pensamentos.
6. Concentração correta. “Qualquer religião ou prática sem concentração torna-se frágil”, avalia o dr. Georges da Silva “e, na oração, as palavras tornam-se inúteis”. Nossa mente está sempre dispersa, mas quando conseguimos concentrá-la em um único objetivo ela se torna poderosa, ensina ele. Em todas as tradições do budismo, a meditação ocupa um lugar fundamental. É através dela que se alcança o desenvolvimento mental e a visão interior.
7. O pensamento correto, que surge quando você desenvolve as qualidades do desapego, da compaixão e da não-violência.
8. Compreensão correta, que quer dizer compreender não com o intelecto, mas com a visão interior ou intuição. “Todas as coisas são precedidas pela mente, guiadas pela mente e criadas pela mente. Tudo o que somos hoje é resultado do que temos pensado. O que pensamos hoje é o que seremos amanhã; nossa vida é criação de nossa mente. Se um homem fala ou age com uma mente impura, o sofrimento o acompanha tão de perto como a roda que segue a pata do boi que puxa a carroça”, diz Carlos Lessa, citando o Dhammapada, uma escritura budista.
Enfim, ser correto. 
Mas quem vai julgar-nos em nossas ações? 
O pior de todos os Juízes: Seu pensamento. Todos nós temos uma partícula Divina que se manifesta indicando o caminho correto, mas SÓ quando realmente solicitamos.
  
Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á (Mateus 7:7)
É o tal “Grilo falante”, que fica atormentando seu juízo quando você faz algo que não devia. 
Dê total atenção e ele e ele irá se manifestar cada vez mais. Todos nós temos um guia espiritual, um amigo, que nos ajuda nesta jornada. Ele não se mete na sua vida, a menos que você peça. 
E, antes que você tente usá-lo para algo ilícito, esqueça! Ele é bastante ético. Pense nele como um cavaleiro Jedi. Não é qualquer um que pode ser guia, não! Só não confunda seu guia com obsessores. Se sua mente mandar fazer algo moralmente não aceito por você, ignore-o (ou ignore-se).
O Código de vivência dos monges Budistas estipula: 
1. Eu me comprometo a não matar. 
2. Eu me comprometo a não tomar nada que não seja dado voluntariamente por outrem. 
3. Eu me comprometo a não me entregar aos prazeres proibidos. 
4. Eu me comprometo a não dizer nada de falso e a não dizer a verdade em ocasiões inoportunas. 
5. Eu me comprometo a não me intoxicar com bebidas ou entorpecentes.
Se quiser uma segunda opinião quanto ao caminho correto, podemos ir para o Cristianismo, que nos diz a mesma coisa, de uma forma ainda mais simples:
Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas. (Mateus 22)
 
Sugiro que leiam o Sermão da Montanha (Mateus 5:1 em diante) como se lessem um conselho de um pai.  
Mahatma Gandhi, que diversas vezes evitou ver sua doutrina agregada ao Cristianismo, disse certa vez: 
“Se houver uma catástrofe que aniquile toda a sabedoria do mundo, seja escrita ou oral, mas tiver sobrado somente o Sermão da Montanha, NADA terá sido perdido”.
 
Uma vez que você esteja vibrando num padrão maior, muitas mudanças acontecerão na sua vida. 
Todos nós estamos imersos em energia
E essa energia existe de vários tipos, modulável através da vibração. Você está imerso num determinado padrão compatível com a sua própria vibração, comandada por sua mente. 
Por afinidade, você procura pessoas “iguais” a você, não na aparência, mas no pensamento (diga-me com quem andas e te direi quem és) e é muito difícil dar um salto de vibração, pois você está ligado a essas pessoas como que por magnetismo (É o mesmo princípio da coesão dos átomos). 
Se você sai, vai deixar um “buraco” na malha daquela turma (alguns chamam de egrégora) e obviamente eles, inconscientemente, vão oferecer resistência. É por isso que, infelizmente, a pessoa muda de turma, de vida, de amigos, ao mudar sua forma de pensar. 
Mas algumas vezes acontece o processo inverso: Você acaba arrastando alguns dos seus amigos mais próximos, involuntariamente, para esse novo padrão vibratório. 
Isso porque suas AÇÕES irão refletir na mente deles, que passarão a se questionar e, com a ajuda dos grilos falantes deles, irão repensar os valores das suas vidas, queiram eles ou não. 
Note que eu frisei ações, pois a ação é tudo (pensamento também é ação, pois bota energia em movimento). Não adianta nada ficar teorizando, recitando mantras pra elevar a vibração do corpo, e depois sair pensando e fazendo besteira por aí.
Você e seus amigos/familiares, etc, unidos na mesma malha de pensamento. Os de amarelo são os mais próximos de você.   
 
Numa subida de freqüência, a tendência é você deformar a malha para cima. 
Note como não deforma uniformemente, pois cada pessoa que você conhece vai ter maior ou menor afinidade com esse novo padrão energético. Elas subirão sem se darem conta, através do seu exemplo. Muitas outras ficarão para baixo, por incompatibilidade. O inverso também ocorre. Se você descer, muitos podem acompanhá-lo.  Portanto cuidado com suas ações, e muito mais cuidado com suas amizades.
É por isso que esta frase de Jesus é muito pouco compreendida:
E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor de meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna. (Mateus 19:29)

Se vocês querem atingir o nível de Jesus, é óbvio que terão que renunciar a um padrão mundano de vibração no qual nos encontramos, e isso inclui, infelizmente, nossos parentes e amigos. 

MAS isso não significa que devamos deixá-los ao léu. Ensine-os o caminho, mostre que o caminho funciona através das SUAS ações e eles lhe seguirão, se estiverem preparados. 
Mas não fique estacionado por causa deles. Adianto que é um caminho árduo e demorado. 
A pessoa passa por louca, eventualmente perde as pessoas que mais ama, nota mais claramente o quão distante está do nível de Jesus e por isso fica frustrado. 
Mas, pelo menos, se sabe o que vai ter no final do caminho. 

Jesus, Gandhi, Krishna, Madre Teresa, Chico Xavier e muitos outros estiveram na Terra pra mostrar o modelo de perfeição, e todos eles foram muito maltratados pela vida. 

Mais um aviso de que a coisa aqui na Terra não é fácil.
É por espinhos e não por fantásticos caminhos que os homens chegarão aos pés de Deus (Irmão Bernardo)
 
É assim que funciona a evolução do mundo. Lenta e gradualmente, com o esforço de todos nós. Acredite em você. A Bíblia e o Budismo também concordam num ponto: Tens todo o potencial do mundo.
  
 Eu disse: Vós sois deuses, e todos vós filhos do Altíssimo (Salmo 82:6)  
Maravilha das maravilhas! Essencialmente todos os seres vivos são Budas (iluminados, despertos), dotados de sabedoria e virtude, mas como a mente humana se inverteu através do pensamento ilusório, não o conseguem perceber (Buda, no momento da Iluminação)

Ou, como diria Sakura: “Liberte-seeeeeeeeeee!!!!!”