MÉDIUNS, NÃO ABANDONEIS VOSSAS TAREFAS – Mensagem de André Luiz

Jesus seja conosco.
Irmãos, quando, de forma humilde e despretensiosa, com autorização das Hostes Superiores, apresentamos ao mundo as realidades invisíveis do plano astral que circunda o plano material, não tínhamos a dimensão exata das dificuldades que enfrentaríamos e da importância de seguir no trabalho de disseminar verdades, retirando o véu da ignorância, descortinando pequena parcela da realidade espiritual. 
Entretanto, nosso trabalho representa apenas uma parte do conjunto de mensagens e revelações que deveriam ser transmitidas à humanidade terrena, ainda tão imatura e carente de conhecimento e de fé.
Muitos dos médiuns que se comprometeram com a tarefa espiritual de trazer para a Terra as revelações de fundamental importância para o despertar das consciências humanas, com o objetivo de acelerar a evolução das criaturas, ou abandonaram a tarefa a meio caminho ou sequer a iniciaram.
No entanto, irmãos, aqueles que se dedicaram às tarefas espirituais com disciplina e amor, levaram aos necessitados uma palavra amiga da espiritualidade e reanimaram os carentes com esperança.
Vós que, em meio ao caos, desejais mudanças, prossegui em suas tarefas sacrificiais, porém necessárias, pois o caos aumentado nos planos invisíveis adjacentes à humanidade interage incessantemente com as criaturas encarnadas.
Multiplicam-se o desespero, o sofrimento e a loucura dos espíritos em torno dos encarnados e os Postos de Socorro e Colônias Espirituais Socorristas não se multiplicaram em número suficiente para albergar todos os sofredores.
Portanto, irmãos, prossegui alertando e despertando as consciências dos irmãos da Terra, pois é tempo de acordar e trabalhar pela própria transformação.
Jesus é conosco e a prática de Suas Lições Imortais aproxima-nos de Sua Presença, que é constante entre nós.

Espíritas, uni-vos na disseminação dos conhecimentos acerca da imortalidade e sobrevivência da alma.

Unidos no propósito de servir ao Cristo, alcançaremos o maior número de almas irmãs, que necessitam despertar antes da aurora da Nova Era.

Paz e amor.


André Luiz
Fonte: http://www.extraseintras.com.br/

A INFLUÊNCIA DO PLANO ASTRAL NA CANALIZAÇÃO

Por Gerrit Gielen

O QUE É O PLANO ASTRAL? COMO ELE SURGIU?
Ao morrer, você fica livre; livre para voltar ao seu plano espiritual de origem; livre para criar sua própria realidade. Mas essa liberdade pode ser uma armadilha. Muitas pessoas não são livres no nível interno. Elas se trancaram em crenças firmes sobre o bem e o mal, sobre a vida, a morte e vida após a morte. Outras não estão tão presas a certas crenças, mas a emoções e desejos, tais como vícios, raiva, sentimentos de inferioridade.
O plano astral, entre outras coisas, é a criação conjunta de todas essas pessoas. É um plano social de existência, no qual todas as formas-pensamento de medo, ilusão e desejo tomam forma diretamente. Por exemplo, se você tem muitos pensamentos sombrios, poderá se encontrar numa paisagem árida e cinza.

Esta paisagem reflete seu estado interior. As pessoas ficam no plano astral até que o chamado de suas almas se torne tão forte que elas liberem suas ilusões e se elevem ao plano espiritual, ou – se isto não for possível – até que durmam e encarnem novamente.

Por exemplo, quando alguém acredita que chegará numa “cidade dourada” logo após sua morte, onde as pessoas passeiam exultando e louvando a Deus, então é lá que ele chegará junto com outros que também acreditam nisso.

No começo, ficam muito contentes ali; pensam que estão no Céu. Mas, a vida acaba ficando aborrecida e monótona; e a “cidade dourada” se torna uma prisão.

Através dessa experiência, abre-se um espaço interior, no qual a voz da alma, a voz da verdade, é ouvida novamente. Gradualmente, ocorre um despertar, e a ilusão astral da “cidade dourada” é liberada.

O plano astral está cheio de “Céus” de pessoas de convicção fundamentalista. Quanto mais fortes são suas convicções, mais tempo leva para que elas ouçam o chamado de suas almas. Mas não só “Céus” são encontrados no plano astral; algumas pessoas criam uma espécie de “inferno” para si mesmas.

Um indivíduo que sofra de forte complexo de inferioridade pode encontrar-se num local vazio e solitário, que reflita seus sentimentos internos. Neste caso também, pode levar bastante tempo para essa pessoa permitir que sua Luz interior venha à tona.

Em resumo, o plano astral é um lugar de reunião de todos que ainda não estão abertos à voz da alma. Como suas convicções não estão fundamentadas na sabedoria de suas almas, eles criam sua própria prisão baseada em suas convicções.
COMO O PLANO ASTRAL INFLUENCIA OS MÉDIUNS E CANALIZADORES?
Há duas maneiras:
1. O CICLO DO MEDO
O plano astral é parcialmente formado por nós – os vivos – especialmente por nossas emoções fortes, como raiva e medo. Como plano, o astral está perto do plano terreno, no sentido de que a maioria dos medos e preconceitos humanos que prevalecem lá corresponde aos medos e preconceitos que existem na Terra, na consciência coletiva da humanidade.

Por exemplo, quando as pessoas na Terra estão com medo de catástrofes naturais, todo tipo de imagens de catástrofes naturais surge nas regiões inferiores do plano astral.

Estas imagens do juízo final podem ser captadas por pessoas paranormais e sensitivas, que as interpretam como imagens do futuro e as apresentam como verdades superiores aos seus ouvintes.

Além disso, vagando pelas regiões inferiores do plano astral, há todo tipo de entidade que não consegue se desapegar da Terra. Algumas delas gostam de provocar a transmissão de visões de medo, porque isto faz com que se sintam importantes. Geralmente são mortos que não conseguem se desligar da Terra, aqueles cuja consciência ainda está totalmente focalizada na Terra, e que dão muita importância ao reconhecimento e atenção de seres humanos.

Eles precisam do contato com pessoas, e se elas começam a vê-los como mensageiros de verdades superiores, alguns deles acham isso totalmente fantástico! E declararão qualquer coisa que reforce o status de mensageiro importante. Assim, um ciclo de medo é criado.

Devido a esse ciclo de medo, alimentado por forças humanas e astrais, pode acontecer – e de fato acontece – de pessoas se reunirem ao redor de um guru, acreditando que ele realmente canaliza conhecimento superior, sendo que, na verdade, ele está apenas confirmando as próprias visões dessas pessoas, enquanto as apresenta como transmissões superiores. Muitas previsões sobre 2012, especialmente aquelas que falam de catástrofes, podem ser explicadas desta maneira.
2. GURUS DO ASTRAL
O desenvolvimento espiritual da humanidade fará com que o plano astral acabe desaparecendo. Uma vez que o ser humano se sintonize com sua alma, com sua verdade interior e ouça seu coração em vez do seu ego, o plano astral deixará de ser alimentado. O plano astral prospera com base em ilusões e emoções inferiores; a verdade e o amor significarão seu fim.

Entretanto, atualmente existem entidades no plano astral que moram lá há muito tempo e construíram uma posição especial. Num “Céu” fundamentalista (pensem na “cidade dourada” mencionada anteriormente), geralmente há um único líder, um guru autoproclamado, que se enxerga como a voz da verdade. Essa pessoa obtém todo seu status da sua posição especial no plano astral.

Durante séculos, essa pessoa pode ter adotado a postura de uma personalidade religiosa famosa, como Cristo, por exemplo. Pode inclusive ter se convencido de que é o Cristo. É lógico que isto será confirmado pelos seus seguidores, que acreditam que, no seu Céu fundamentalista, eles devem estar perto do Cristo.

Naturalmente, este guru do astral acha que se lembra de tudo o que se refere à vida de Cristo. Em cada Céu fundamentalista – e existem muitos! – há sempre um Cristo como esse perambulando por ali. Isto explica, por exemplo, por que existe tanta informação canalizada conflitante sobre a vida de Cristo.

Entretanto, um guru astral como esse nunca está completamente desligado da realidade. Ele compreende que o crescimento espiritual da humanidade é uma ameaça para ele e tentará impedir que isso aconteça, enviando informações para a Terra que fortaleçam o medo e a dualidade aqui. Estas informações são transmitidas sob a forma de canalizações, por exemplo.

Como essas entidades geralmente possuem uma percepção sofisticada e conhecimento sobre a natureza humana, na maior parte das vezes é difícil reconhecê-las como impuras. Além do mais, as próprias entidades normalmente acreditam na precisão das suas informações.

A capacidade humana para se auto-iludir é maior ainda no plano astral do que na Terra. 

Na Terra há uma constante confrontação com vozes discordantes e com os fatos, mas isto dificilmente acontece no plano astral; lá cada mudança de crença tem que vir de dentro do próprio indivíduo.


COMO SE RECONHECE QUE UMA INFORMAÇÃO É IMPURA?

Informação pura vem do plano da alma, o plano espiritual, o plano da unidade, do amor, da liberdade e respeito por tudo que vive. A informação pura toca os nossos corações, ao nos dar imediatamente uma sensação de paz, amor e sabedoria.

Ela nos faz sentir bem em relação ao universo em que vivemos; e nos oferece uma sensação de confiança em nós mesmos. A informação pura nos leva à verdadeira compreensão de quem nós somos.

O propósito da informação impura é sempre frustrar o desenvolvimento espiritual da humanidade e fortalecer o plano astral, criando novas ilusões e medos.

A informação impura tem as seguintes características:
– A informação impura proclama a dualidade: “Isto é ruim, isto é bom; aquelas pessoas estão erradas; existem conspirações contra a humanidade; haverá desastres”, etc…
Por que essa informação está sendo divulgada? O Plano Espiritual é um plano de unidade; por trás de toda expressão do Espírito que vemos fora de nós mesmos, existe uma essência de unicidade que todos compartilham. Iluminação significa estar completamente consciente dessa unidade.

Pensar com base na dualidade – seja o que for a dualidade – mantém o ser humano afastado da sua unidade, afastado da sua Luz interior.

– A informação impura exerce coerção e pressão: “Você tem que fazer isto ou aquilo para ser puro; certifique-se de que está pronto para as mudanças que ocorrerão; você deve se trabalhar muito, senão as coisas darão muito errado para você,” etc…
Por que isso está sendo afirmado? A alma o conecta com a unidade, com o Todo. Para entrar em contato consigo mesmo, você precisa aprender a ouvir sua alma. Isto só pode acontecer em liberdade. A voz da alma é uma voz gentil, não coerciva. Toda pressão e coerção mantém o ser humano afastado da alma.
– Informação impura traz à tona o medo: “Desastres estão prestes a acontecer; você deve se juntar a nós, senão as coisas irão mal; cuidado com isto ou aquilo”, etc…
A voz da alma é uma voz de amor, não de medo. Incentivar as pessoas a ouvir a voz do medo faz com que elas se afastem de seus centros.
– A informação impura não é focalizada no aqui e agora: Mencionam-se datas específicas de eventos futuros, ou conta-se a enésima história cósmica da humanidade. Com frequência, estas são muito interessantes, entretanto nada fica claro sobre a vida aqui e agora.
O desenvolvimento espiritual sempre se dá no agora. Ao se levar uma pessoa para fora da sua consciência do agora, dificulta-se seu desenvolvimento espiritual.
– A informação impura faz você se sentir mal a respeito de si mesmo: Se você não concordar com o texto, fica implícito que você é estúpido e ingênuo, ou egoísta e ainda não iluminado.
Quando o ser humano acredita que isto é verdade, tem menos confiança em sua própria intuição e orientação interior. Isto também impede seu desenvolvimento espiritual natural.
– Os informantes impuros proclamam que eles são o único canal verdadeiro e o mais puro: Insinuam que têm acesso privilegiado a informações que só podem ser recebidas através deles.
No momento em que você quer fazer as pessoas acreditarem que existe uma autoridade espiritual fora delas mesmas que sabe melhor, você está negando a própria Luz dessas pessoas.

FINALMENTE
Canalizar é um talento como outros: pintar, escrever, talento musical, etc… O dom da canalização não torna ninguém uma pessoa melhor… não mais do que outros dons o fazem. Inclusive, as pessoas que estão canalizando não são autoridades em assuntos espirituais ou éticos.
No seu artigo “O que é Canalização?”, Pamela Kribbe escreve: “O que é decisivo para o valor de um texto canalizado é a riqueza do seu conteúdo, a clareza e o amor que ele expressa. O que é dado como fonte da canalização é de importância secundária. Além disso, mensagens canalizadas são recebidas por seres humanos e, assim, são sempre coloridas pelas experiências pessoais e a estrutura conceitual daquele que transmite a informação.”

(Esta citação é de um artigo em Holandês. Para ler um artigo em Português sobre canalização, veja “Quem somos nós”, em www.jeshua.net/por, no final da “Biografia de Pamela”).

Pessoalmente, penso que cada um deveria ler uma mensagem canalizada como ouve uma música no rádio; se ela toca seu coração e você se sente elevado por ela; aproveite-a. Senão, sintonize outra estação.
© Gerrit Gielen

BRECHAS ESPIRITUAIS: Proteja-se

Lucas 12:35-48

35. “Estejam cingidos vossos quadris e acesas vossas lâmpadas,

36. e vós, semelhantes a homens que vão receber seu Senhor, quando se libertar dos esponsórios, para que, vindo e batendo, imediatamente lhe abram a porta.

37. Felizes aqueles servos que, vindo o senhor, achar acordados; em verdade digo-vos que se cingirá e os reclinará e, chegando-se, os servirá.

38. E se chegar na segunda ou na terceira vigília e os achar assim, felizes ele; serão.

39. Isto sabei, que se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, não o deixaria arrombar sua casa.

40. Também vós estai preparados, porque na hora que não sabeis virá o Filho do Homem”.

41. Disse Pedro: Senhor, dizes essa parábola para nós, ou também para todos?

42. E disse o Senhor: “Quem, pois, é o ecônomo fiel e inteligente, que o Senhor constitui sobre sua criadagem, para dar-lhe, no tempo certo, o alimento?

43. Feliz aquele servo que, vindo o Senhor dele, encontrar fazendo assim.

44. Verdadeiramente digo-vos o constituirá sobre todos os seus bens.

45. Mas se aquele servo disser em seu coração: meu Senhor demora a chegar, e começar a bater nos criados e criadas, e começar a comer e beber e embriagar-se,

46. virá o Senhor daquele servo, no dia em que não aguarda e na hora que não sabe, e o cortará ao meio e porá a parte dele com os infiéis.

47. Mas aquele servo que soube a vontade de seu Senhor e não se preparou nem fez segundo sua vontade, será castigado com muitos açoites.

48. Mas quem não o soube e fez coisas dignas de açoites, será castigado com poucos (açoites). A todo aquele a quem foi dado muito, muito será pedido dele, e a quem muito é confiado, muito mais lhe será pedido”. não ajunta, espalha”.

Jesus foi muito claro nesse texto sobre a necessidade de estarmos vigilantes nos variados aspectos da vida, voltando nossa atenção para assuntos relacionados com a saúde física, moral, emocional, mental e espiritual, pois esse é o único meio de levantar a sua volta a proteção espiritual necessária para evitar as investidas do mundo espiritual inferior.

Devemos valorizar a vida como oportunidade ímpar de evolução, pois o senhor nos cobrará ao término da jornada o acerto de contas com a própria consciência, como explicou de forma tão clara nosso Mestre.

Na metáfora de Jesus o castigo será a próprio retorno a carne em situações de sofrimento e expiação para aprender que não há tesouro maior para o espírito que a paz na consciência.

A ligação com espíritos desencarnados ainda atrasados moralmente somente acontece quando existe uma brecha espiritual, um ponto de acesso para a influência perniciosa de obsessores.

Cada um nós reencarna com proteção espiritual própria, de certa forma similar em sua essência ao sistema imunológico do corpo, mas nesse caso são levados em conta fatores relacionados ao estágio evolutivo do espírito, a sintonia das suas ações, pensamentos e emoções e ainda os seus compromissos espirituais adquiridos em encarnações anteriores.

Toda brecha espiritual pode ser lacrada pelo trabalho de reforma interior, por isso, conhecer suas fragilidades é pré-requisito para trabalhar a obsessão existente ou evitar a aproximação dos irmãos indesejados.

Vamos listar as principais brechas que conhecemos, embora não seja a lista completa, ela poderá ajudar a grande maioria dos irmãos que buscam ajuda espiritual:

Vícios

Os vícios são na verdade portais para a obsessão, já que o irmão encarnado afasta-se da influência benéfica de amigos espirituais para aproximar-se de más companhias espirituais que não conseguiram desvincular-se dos vícios e precisam dos chamados “canecos vivos” para preencher sua insaciável dependência.

Os Obsessores utilizam o encarnado como canal de ligação para absorver a energia exalada pelo seu vicio, criando uma verdadeira simbiose espiritual. É muito comum chamar o obsessor de vampiro, pois esse suga as emanações deletérias e degradantes do tóxico, álcool, fumo ou da perversão sexual.

Nesse tipo de obsessão e também nos casos onde já temos um laço mais fortalecido o ser desencarnado passa a absorver também a vitalidade do obsediado, comprometendo sua saúde e disposição, por isso é comum obsediados sentirem-se desvitalizados, cansados.

Um dos motivos que dificulta aqueles que são viciados largar o seu vício é o obsessor que acicata ainda mais o desejo, tornando ainda mais difícil o processo de libertação. A terapia da desobsessão é muito útil nesses casos, aumentando significativamente as chances de sucesso.

No livro “Sexo e Destino” de Chico Xavier, pelo espírito André Luiz existe um exemplo muito claro da influencia obsessiva de um irmão desencarnado dependente do álcool.

Depressão, Ociosidade Mental e Física

A ociosidade mental ou física e a depressão levam o espírito encarnado a imaginar que vida não tem mais sentido, o espírito encontra-se sem objetivos, acabando com auto-estima e humor, enfraquecendo a proteção espiritual própria do espírito e atraindo espíritos desencarnados de baixo padrão vibratório.

O ócio mental e físico transforma o interior do espírito encarnado em um terreno abandonado, perfeito para a invasão de ervas daninhas lançadas por espíritos malfazejos.

Freqüentar grupos de ioga, alongamento, hidroginástica, leitura, coral, visita solidária, estudo espiritual ou qualquer outra atividade que permita passar o tempo ocupando a mente e o corpo ajudam a evitar os pensamentos negativos, a fofoca sem sentido ou a perda da auto-estima.

Amizades saudáveis com atividades produtivas possibilitarão um novo sentido em sua vida.

Ociosidade Espiritual

A ociosidade espiritual é um tema mais profundo que a ociosidade mental e física, que embora sejam muito importantes, não são suficientes para sustentar o espírito encarnado quando batem a sua porta as provas e expiações.

A busca de atividades que ocupam a mente e o corpo fazem parte de uma busca por objetivos em sua vida, sejam eles profissionais ou pessoais, mas devem ser realizadas em conjunto com a reforma interior, trabalhando espiritualmente para compreender o sentido da vida em sua essência, conhecer suas limitações e conectar-se com Deus, a fonte geradora de toda a vida.

Trabalhar a “musculatura espiritual” não impede a dor ou as provas que passaremos enquanto encarnados, mas permite uma visão mais dilatada da situação e a recuperação do equilíbrio de forma mais rápida e menos dolorosa.

Quantas pessoas conhecemos que trabalhavam suas mentes e corpo enquanto estavam saudáveis e sem problemas, mas que não conseguiram superar as dificuldades que a vida trouxe como bendita oportunidade de crescimento espiritual.

Nos momentos de queda, onde os espíritos perdem o chão e não encontram onde se apoiar aproximam-se os obsessores que muitas vezes aguardavam a longo tempo essa oportunidade ou que foram atraídos pelos pensamentos enfermiços do irmão em estado de rebeldia ou depressão.

Culpa

A culpa por erros praticados nessa encarnação é uma janela aberta para a obsessão espiritual.

Quando Jesus ensinou que devemos fazer as pazes com todos aqueles que temos desavenças, solicitando o perdão sincero ele deixou o caminho a seguir para gradualmente fechar essa janela e recuperar a consciência culpada.

Mas solicitar o perdão não é o suficiente para afastar os obsessores, é necessário perdoar e também renovar-se para exemplificar a sua modificação interior.

Os espíritos desencarnados mesmo que ainda ignorantes conseguem sentir e ver além das palavras, dessa forma pedir perdão somente da boca para fora é inócuo nos casos de obsessão.

Compromissos Kármicos (Lei de Causa e Efeito)

Compromissos adquiridos em encarnações anteriores, quando prejudicamos irmãos que Deus colocou em nosso caminho, podem ser brechas espirituais para a obsessão.

Aquele espírito transviado pela nossa irresponsabilidade no passado tem agora o sede de vingança e retorna para reclamar sua dívida.

Esses irmãos vingadores podem freqüentar cursos que existem no astral inferior para aprender a obsediar encarnados ou vincular-se a grupos especializados.

Nesses casos o trabalho espiritual auxilia, mas será necessário tempo e muita paciência para resolução do problema que não raro se arrasta por séculos.

O exemplo moral da própria transformação será uma das poucas opções para a libertação, porque embora a melhora espiritual atenue o grau de influencia do obsessor, a sua completa libertação ocorrerá somente quando houver o perdão.

Devemos compreender que um grande objetivo da nossa reencarnação está relacionado com o reencontro de irmãos que foram prejudicados por nossos atos irresponsáveis em vidas anteriores, estejam eles encarnados ou desencarnados.

Apego Material

O apego material excessivo que vai além da necessidade de subsistência transforma o espírito encarnado em um ser avarento e egoísta, atraindo para sua companhia espíritos de baixa ordem espiritual que alimentarão ainda mais esse perigoso estado de desequilíbrio.

Infelizmente os irmãos que se encontram nessa faixa vibratória perdem a sublime oportunidade de praticar a solidariedade, pois esse sentimento de empatia com as dificuldades do próximo permite a aproximação de benfeitores espirituais, aumentando a própria proteção espiritual pelos sentimentos que afloram pelo ato de amor ao próximo e acabam por semear sentimentos nobres e transformadores nos espíritos obsessores que por ventura estejam nos observando ou nos obsediando.

Apego a pessoas ou familiares desencarnados

Se uma pessoa querida desencarna e ficamos chamando por ela, sofrendo, reclamando, rebelando-se contra a providência divina então estamos entrando em uma perigosa faixa vibratória, pois vamos atrair para nossa companhia o espírito que desencarnou e está ainda transtornado com o recém-desencarne ou espíritos desencarnados em perigoso estado de sofrimento.

Você pode até imaginar que a presença espiritual da pessoa querida atenuará o problema, mas está muito enganado, o espírito recém desencarnado afetará o equilíbrio domestico e pessoal dos componentes da família e poderá até transmitir para aquele com o qual tem maior ligação ou com mediunidade mais ostensiva as doenças que o levaram a morte (quando se aplicar) .

Deixai que os mortos cuidem dos mortos, ou seja, que os espíritos que já desencarnaram cuidem daqueles que retornam para o mundo espiritual.

Quando a saudade bater, já que não podemos negar que sentirá falta do ente querido, ore para que ele esteja em paz, que Jesus possa derramar sobre o seu coração amor e resignação e que ele se adapte a sua nova condição espiritual.

Pronto, isso basta! Mas não fique orando todo dia e toda hora porque isso também atrairá a presença do irmão desencarnado.

Contato com Médiuns Cobradores

Buscar o auxilio de médiuns que informam resolver qualquer problema profissional, amoroso, pessoal, etc, também abre uma brecha espiritual para os espíritos moralmente atrasados que participam desse tipo de trabalho espiritual.


Você jamais encontrará um espírito superior trabalhando com um médium que cobra pela ajuda espiritual, isso não acontecerá em hipótese alguma. 

Também é uma farsa informar que qualquer problema pode ser resolvido, ninguém pode afirmar isso!.

Brincadeiras Espirituais

Brincadeira do Copo ou qualquer outro tipo de invocação espiritual deve ser evitada, mesmo que o espírito chamado seja familiar ou conhecido, pois o espírito em desequilíbrio se sente convidado e caso ele goste do ambiente ou da companhia então você iniciará um tipo de amizade indesejada.

E a partir desse momento ele desequilibrará os ambientes que freqüenta e iniciará um processo de obsessão que poderia ser perfeitamente evitado se não fosse a irresponsabilidade de uma brincadeira sem o menor propósito.

Egoísmo
Orgulho

Poder

Irmão ególatras e orgulhosos que buscam o poder e a riqueza de todas as formas possíveis.

E entram em sintonia perigosa com espíritos perversos que trabalham contra nosso querido Mestre, fazendo de tudo para gerar desequilíbrio em nosso planeta e retardar a evolução vibratória do nosso orbe.

Mediunidade Não Aprimorada

Médiuns que fogem do trabalho espiritual são o manjar dos obsessores.

Não adianta querido irmão ou irmã, se você possui uma porta aberta para a rua então a única forma de evitar que qualquer um entre é colocar um vigia.

No caso da mediunidade esse protetor é o seu mentor espiritual que antes da atual encarnação se comprometeu a protegê-lo, mas sua aproximação só acontece quando você entra em sintonia vibratória e para isso ocorrer será necessário estudo e dedicação.

Ambientes Frequentados

É impossível jogar futebol em um campo enlameado após a chuva e não se sujar, da mesma forma um encarnado que freqüenta ambientes com energias pesadas receberá o impacto dessas vibrações.

Para os mais vigilantes o impacto é atenuado, contudo, as energias deletérias acabam entrando em contato com os corpo astral do espírito, trazendo mal estar para aqueles que não estão acostumados com ambientes “pesados”. Nesses locais encontram-se também obsessores que podem sentir-se atraídos, iniciando uma “amizade” indesejável.

Boates, motéis, prostíbulos, bares onde busca-se o álcool sem controle, ambientes com barulho excessivo, locais de jogos de azar devem ser evitados principalmente por aqueles que iniciaram o tratamento.

Boates e bares exigirão nossa presença em alguns momentos para comemoração de amigos ou parentes, nesses casos faça sua prece solicitando a Jesus a proteção espiritual. Já os outros locais podem ser perfeitamente evitados e as conseqüências da sua freqüência são responsabilidade do espírito que busca companhias espirituais que freqüentam esses locais.

Quem deseja paz interior deve buscar locais onde existe natureza abundante e pessoas com objetivos superiores.

Fonte: Grupo Pas