QUAL A INFLUÊNCIA DA ALIMENTAÇÃO NA ESPIRITUALIDADE?

Que alimentos específicos influenciam na disposição, no metabolismo e na clareza mental você já deve saber. 

Mas será que uma alimentação saudável pode influenciar na sua espiritualidade? 

Como tudo isso funciona?
Uma alimentação nociva e degradante pode interferir no bom funcionamento do organismo. O cérebro, como parte desse todo, também sofre essa influência negativa e acaba diminuindo sua atividade.

Industrializados, embutidos, comidas artificiais ou cheias de condimentos, assim como frituras e proteína animal, tornam o processo de digestão muito pesado e mais lento. 
O corpo leva tempo para digerir e metabolizar esses “nutrientes”, deixando as demais áreas do organismo trabalhando em ritmo menos acelerado.
Nesse compasso mais letárgico, o cérebro fica impossibilitado de comunicar-se adequadamente com o corpo, mente e espírito. Tais alterações impactam diretamente não apenas o físico, mas também sua vida espiritual.
Os seres humanos são dotados de uma clareza mental que os diferencia de qualquer outro ser na face da terra. Podemos facilmente discernir sobre questões complexas e fazer escolhas baseadas na razão, o que nenhum animal é capaz de fazer.
Se você é uma pessoa espiritual e crê em um Ser superior, saiba que a clareza mental potencializa a forma como você se comunica com aquilo em que acredita. Com essa leveza fica mais fácil entender, ouvir, discernir e entrar em contato com Deus.

Resultado de imagem para despertar de gaiaMelhorando sua Clareza Mental
Dormir e descansar o corpo adequadamente contribuem para uma melhor clareza mental.
Alimentar-se de forma correta e equilibrada deixa o organismo muito mais saudável e com energia.
Suplementação alimentar pode ser necessária em caso de deficiência nutricional.
Exercícios físicos potencializam a clareza mental.
A espiritualidade faz parte da vida da maioria dos seres humanos. Por isso é de fundamental importância falar mais sobre esse assunto que muitas vezes é deixado em segundo plano. 
A forma como você vive fisicamente pode afetar consideravelmente sua espiritualidade, levando a doenças, ansiedade, depressão e descrédito na vida.
Não contamine nem embace sua mente com alimentos desnecessários e uma rotina que enfraqueça a única forma de comunicação com Deus. Deixe a porta aberta para ouvir tudo aquilo que Ele deseja te falar.

APENAS UM COPO DE LEITE

É comum ouvirmos que pessoas abandonam o consumo de carne pelos animais, imaginando que o problema ético está apenas no fato do animal ser morto pra virar comida. 

Contudo, a produção de ovos e laticínios pode ser considerada ainda mais cruel, além de também envolver mortes de animais.
Em 23/05/2016, a ONG PETA (People for the Ethical Treatment of Animals) lançou um vídeo ao reverso mostrando a história de um copo de leite do momento em que é servido, até suas origens nas fazendas leiteiras.
No vídeo chamado “Mik in Reverse” (“Leite ao Reverso”), são apresentadas situações corriqueiras da indústria, já conhecidas por quem boicota o consumo de laticínios, como a inseminação das vacas – para produzir leite elas precisam estar constantemente grávidas – , infecções e inflamações de seus úberes, a separação dos filhotes – que costumam virar carne de vitela – , além de agressões físicas aos animais.

ATÉ QUANDO EXISTIRÃO MATADOUROS E FRIGORÍFICOS NA TERRA?

Matéria Publicada no Jornal Correio Espírita em Dez/2014
O Espiritismo e os movimentos sociais pelos animais – Vegetarianismo e Veganismo – A resposta dos Espíritos sobre alimentação com carnes a Allan Kardec – A evolução da Ciência da Nutrição – Os esclarecimentos de diversos benfeitores espirituais, pelo médium Chico Xavier, sobre alimentação
A cada dia que passa, recebemos mais notícias a respeito de movimentos em defesa dos animais. Muitos, inclusive, contrários ao antigo hábito da humanidade de fazer uso deles na alimentação, como o Vegetarianismo, e também às demais formas de sua utilização por nós, como o Veganismo.
O Vegetarianismo é uma prática alimentar que faz uso, exclusivamente, de alimentos de origem vegetal, sem incluir os de origem animal. Algumas definições mais abrangentes dessa prática consideram vegetariano, também, aquele que consome produtos de origem animal, porém que não envolvam diretamente a morte de nenhum ser, como o ovo e o leite, por exemplo.
O Veganismo é uma ideologia cuja base é a convicção de que os animais – por serem dotados de consciência e sensibilidade, como os humanos – têm direitos fundamentais e que, devido a isso, nenhum deles deve ser vítima de exploração/assassinato por parte da humanidade. Baseado nesse modo de pensar, o vegano evita produtos e atividades em que os animais são explorados/mortos. Sendo assim, adota como regime alimentar o Vegetarianismo estrito (sem nada que venha de animais, nem mesmo leite e ovos), não usa roupas de origem animal, se abstém de produtos que foram testados em animais – no limite de suas possibilidades – e também boicota circos com animais, rodeios, zoológicos, etc.
O crescimento desses movimentos sociais nos leva às seguintes curiosidades: o que nos ensina o Espiritismo a respeito de como devemos nos relacionar com os animais? É correto nos alimentarmos deles?
Para respondermos a essas perguntas, vamos começar pelas primeiras orientações dos Espíritos sobre esse tema, seguindo uma ordem cronológica, que – veremos – será importante para compreendê-las adequadamente:
Em 1857, “O Livro dos Espíritos” dizia, na questão 723, que “a carne nutre a carne, do contrário o homem perece” e, na 734, que “o homem tem direito de destruição sobre os animais, porém limitado e regulado pela necessidade de prover à sua alimentação e segurança”.
Na questão 888 do mesmo livro, recebemos a seguinte recomendação: “sede dóceis e benevolentes para com todos (…), assim como em relação aos seres mais ínfimos da Criação, e tereis obedecido à Lei de Deus”. Na 963, nos é comunicado: “Deus se ocupa de todos os seres que criou, por menores que sejam; nada é demasiado pequeno para a sua bondade”.
Percebemos, assim, já pelos ensinamentos do “Livro dos Espíritos” (1857), que devemos ser afáveis e bondosos com os animais, e fazer uso deles como alimento apenas quando realmente necessário.
Mas, desde a publicação deste livro, a Ciência da Nutrição evoluiu muito e, como Allan Kardec havia esclarecido que “o Espiritismo é uma revelação progressiva, que assimila as descobertas da Ciência” (“A Gênese”, cap. I, ítem 55), o conteúdo das mensagens espirituais foi se desenvolvendo, de acordo com a capacidade da humanidade de recebê-lo, acompanhem:
O benfeitor Emmanuel, mentor espiritual de Chico Xavier, nos diz em 1938: “Os animais têm a sua linguagem, os seus afetos, a sua inteligência rudimentar, com atributos inumeráveis. São eles os irmãos mais próximos do homem, merecendo, por isso, a sua proteção e amparo.” (…) “Recebei como obrigação sagrada o dever de amparar os animais. (…) Estendei até eles a vossa concepção de solidariedade e o vosso coração compreenderá, mais profundamente, os grandes segredos da evolução, entendendo os maravilhosos e doces mistérios da vida.” (Livro “Emmanuel”, psicografia de Chico Xavier, cap. XVII: “Sobre os animais”).
Emmanuel, ainda, quando questionado se é um erro nos alimentarmos com a carne dos animais, responde, em 1941: “É um erro de enormes conseqüências. (…) É de lastimar semelhante situação, mesmo porque, se o estado de materialidade da criatura exige a cooperação de determinadas vitaminas, esses valores nutritivos podem ser encontrados nos produtos de origem vegetal, sem a necessidade absoluta de matadouros e frigoríficos.” (Livro “O Consolador”, psicografia de Chico Xavier, resposta à pergunta 129).
Aniceto, instrutor de André Luiz, orienta-nos contra a matança de animais, em 1944: “Cooperemos no despertar dos homens, nossos irmãos, relativamente ao nosso débito para com a Natureza maternal. (…) Ajudemo-los a compreender, para que se organize uma era nova. Auxiliemo-los a amar a terra, antes de explorá-la no sentido inferior; a valer-se da cooperação dos animais, sem os recursos do extermínio! Nessa época, o matadouro será convertido em local de cooperação…” (Livro “Os Mensageiros”, psicografia de Chico Xavier, cap. 42: “Evangelho no Ambiente Rural”).
Outro instrutor de André Luiz que nos adverte quanto ao equívoco de nos alimentarmos de animais é Alexandre. Ele, em 1945, chama a atenção para nossa capacidade de encontrar nutrientes para nossos corpos sem recorrer às “indústrias da morte”, vejam: “A pretexto de buscar recursos proteicos, exterminávamos frangos e carneiros, leitões e cabritos incontáveis. (…) Encarecíamos, com toda a responsabilidade da Ciência, a necessidade de proteínas e gorduras diversas, mas esquecíamos de que a nossa inteligência, tão fértil na descoberta de comodidade e conforto, teria recursos de encontrar novos elementos e meios de incentivar os suprimentos proteicos ao organismo, sem recorrer às indústrias da morte.” (…) “Tempos virão, para a humanidade terrestre, em que o estábulo, como o lar, será também sagrado.”
Continuando com suas sábias palavras, Alexandre nos mostra a incoerência de rogarmos proteção aos superiores benevolentes e, ao mesmo tempo, permanecermos infringindo a lei divina de auxílios mútuos: “Se não protegemos, nem educamos, aqueles que o Pai nos confiou, como gérmens frágeis de racionalidade nos pesados vasos do instinto; se abusamos largamente de sua incapacidade de defesa e conservação, como exigir o amparo de superiores benevolentes e sábios, cujas instruções mais simples são para nós difíceis de suportar, pela nossa lastimável condição de infratores da lei de auxílios mútuos?” (…) “Devemos prosseguir no trabalho educativo, acordando os companheiros encarnados, mais experientes e esclarecidos.” (…) “Sem amor para com nossos inferiores, não podemos aguardar a proteção dos superiores.” (Livro “Missionários da Luz”, psicografia de Chico Xavier, cap. 4: “Vampirismo”).
Podemos encontrar ainda, entre as obras psicografadas por Chico Xavier, este alerta, em 1958, do Espírito Humberto de Campos (o Irmão X): “Os homens que se julgam distantes da harmonia orgânica sem o sacrifício de animais, são defrontados por gênios invisíveis que se acreditam incapazes de viver sem o concurso deles. (…) Quem devora os animais, incorporando-lhes as propriedades ao patrimônio orgânico, deve ser apetitosa presa dos seres que se animalizam. Os semelhantes procuram os semelhantes. Esta é a Lei.” (Livro “Contos e Apólogos”, psicografia de Chico Xavier, cap. 15: “O Enigma da Obsessão”).
Neste trecho de outra obra, Humberto de Campos também nos estimula à renovação dos hábitos alimentares, em 1967: “Comece a renovação de seus costumes pelo prato de cada dia. Diminua, gradativamente, a volúpia de comer a carne dos animais. O cemitério na barriga é um tormento depois da grande transição. O lombo de porco ou o bife de vitela, temperados com sal e pimenta, não nos situam muito longe dos nossos antepassados, os tamoios e os caiapós, que se devoravam uns aos outros.” (Livro “Cartas e Crônicas”, psicografia de Chico Xavier, cap. 4: “Treino para a Morte”).
Hoje, a Ciência já constatou que os nutrientes contidos nas carnes, e mesmo no leite ou em ovos, podem ser substituídos pelos de origem vegetal. Esta é a declaração, sobre o tema, da principal organização científica mundial especializada em Nutrição – a Academy of Nutrition and Dietetics: 

“Dietas vegetarianas apropriadamente planejadas – incluindo dietas vegetarianas estritas ou veganas – são saudáveis, nutricionalmente adequadas e podem prover benefícios à saúde, na prevenção e tratamento de certas doenças. São apropriadas para indivíduos durante todos os estágios da vida, incluindo gravidez, lactação, infância e adolescência, e para atletas.”

Diante destas tão claras manifestações de nobres espíritos, por meio da confiável mediunidade de Chico Xavier, e da evolução da Ciência da Nutrição, cabe o questionamento: por que nós, espíritas, não iniciamos essa nova era a que se referem os mentores?

Não é hora de modificarmos nossos hábitos diários para que deixemos de causar sofrimentos desnecessários aos nossos irmãos animais?

As informações sobre como substituir os alimentos vindos de animais pelos de origem vegetal já estão disponíveis para todos, seja em livros, revistas especializadas, internet ou com nutricionistas e nutrólogos atualizados.

Compete a cada um de nós assumirmos a responsabilidade que temos perante nossos irmãos de outras espécies, nos informarmos e modificarmos essas práticas que já não condizem com os conhecimentos adquiridos. Só assim os matadouros e frigoríficos poderão se tornar “página virada” na história da humanidade.

http://despertardegaia.blogspot.com/

Leia também, clique:

APRIMORAMENTO ALIMENTAR

O objetivo de nossa reencarnação na Terra é sem dúvida, nosso aprimoramento espiritual. Dentre as várias vertentes de oportunidades, o campo da alimentação é de grandiosa importância para nossa evolução por se relacionar com o uso do bom senso que nos alerta para o dever de sermos justos, amorosos e caridosos. 

A alimentação naturalista atende os princípios de justiça, do amor e da caridade alem de contribuir com o planeta de maneira adequada para a preservação de sua flora, fauna, fontes de água e todos os demais princípios naturais.
Ser naturalista, também chamado de vegano/vegetariano é ter uma filosofia de vida positiva e de compaixão que propõe a paz entre todos os seres, independente da raça ou espécie. É um estilo de vida que se preocupa em viver sem explorar o próximo visando principalmente o fim da tortura e matança dos animais. 
Naturalistas são pessoas que não consomem nenhum produto de origem animal em sua alimentação, como carnes, peixes, mariscos, ovos, leite e laticínios, tampouco usam produtos de vestuário como peles, couro e camurça. 
Também são contra a exploração de animais em experiências de laboratórios e para o entretenimento em circos e rodeios. Os naturalistas boicotam e repudiam quaisquer atos, alimentos ou processos baseados na exploração animal. Ser naturalista é ser um defensor da vida, da liberdade, da igualdade para todos os animais.
A libertação animal se fortifica na medida em que as pessoas se libertam do vicio de comer carne. Ao se tornar um vegetariano, se deu um passo para se tornar um naturalista.  Os vegetarianos são os que não comem nenhuma espécie de carne, incluindo-se a de peixe e mariscos. 

Quando o vegetariano se torna um naturalista ou vegano, então ele passa a rejeitar produtos derivados dos animais, como o queijo, o leite, o couro e todos os outros produtos que surgidos mediante o sofrimento de alguma espécie animal.
Os animais são nossos irmãos e assim como nós, também têm a mesma capacidade de sentir fome, dor medo, tristeza, alegria, amor e felicidade. 
Infelizmente, os humanos viventes na Terra, em sua maioria ainda são insensíveis aos sentimentos desses nossos irmãos que assim como nós, veio á Terra para exercitarem por meio de tarefas apropriadas ao seu estado de animal, aprimorar seu psiquismo para futuramente alcançar estados mais conscientes de sua existência. 
Os humanos estão equivocados por tê-los como criaturas destinadas á satisfação de seu paladar, vestimenta, adornos, diversão e ensaios científicos. Exploram seus companheiros de jornada terrena sem piedade, privando-os de serem livres e de um viver sem sofrimentos. 

Bois, porcos, cabras ovelhas, galinhas, peixes entre outros, são criados para obtenção da carne, ovos, leite, lã, penas e couro. São confinados e vivem muito menos do que poderiam viver.
A indústria de carne de vitela não sobrevive sem a indústria de leite.

As vacas, como todos os mamíferos, produzem leite para alimentar os seus bebês e não para alimentar humanos.

São inseminadas uma vez por ano, para produzirem leite e são separadas de seus filhotes logo após o parto, bezerros machos, nascidos em fazendas de leite, são separados de suas mães no nascimento e colocados em caixas tão pequenas onde sequer podem mover-se. 

Após 14 semanas vivendo praticamente em total escuridão, eles são enviados para o abatedouro.

Muitos desses bebês mal conseguem andar porque os músculos das suas pernas estão atrofiados pela falta de uso. É dessa falta de movimento que resulta a branca e anêmica carne de vitela.

A pecuária polui o solo, derruba florestas, contribui para o aquecimento global e gera pobreza e fome por ser uma produção de alimentos extremamente ineficiente. Ninguém precisa se alimentar de carne, leite e derivados, ou ovos. Uma dieta vegetariana é mais saudável e saborosa. 


Produtos derivados do leite são riscos á saúde. O leite está contaminado por pesticidas, hormônios e antibióticos. São deficientes em fibras, niacina, vitamina “C” e ferro. O consumo de leite colabora para a criação dos cânceres, alergias, problemas cardíacos, osteoporose e outras doenças. O leite retira o cálcio dos ossos facilitando a osteoporose. 
Pesquisas demonstraram que mulheres que mais bebem leite são as que mais têm fratura nos ossos. A melhor fonte de cálcio são os grãos, os amendoins, sementes, sucos de frutas e vegetais de folhas verdes.
Em nossas relações com os humanos, não praticamos seqüestros, não humilhamos, não asfixiamos, não esfaqueamos, não envenenamos, não torturamos nem aprisionamos. Já em nossas relações com os animais, fazemos isso rotineiramente. 
Não precisamos de couro ou lã, tecidos naturais oferecem beleza e proteção; Retiramos rinocerontes, girafas e leões de seu habitat natural para aprisioná-los em zoológicos. Não necessitamos nos divertir ás custas de animais nos rodeios, circos ou qualquer outro meio onde use animais. 
Eles sofrem para aprender números que divertem platéia desatenta para com o problema da exploração animal. Esses animais que encantam quando novos e rendem lucro aos seus proprietários, quando envelhecidos, são humilhados. Elefantes, ursos, macacos e cães, padecem por ter reduzida alimentação, quando não são abandonados á própria sorte.

Os testes em animais, além de serem imorais são desnecessários. Envenenamos cães e porquinhos da Índia a fim de medir o quão tóxicos são novos remédios e produtos de limpeza.

Checamos a irritabilidade de novos cosméticos e produtos de higiene pingando-os nos olhos de coelhos. 

Toda vez que uma pessoa compra um produto de origem animal ou testado em animais, ela dá um incentivo para que a escravidão continue.

E toda vez que recusa a consumir um desses produtos, ela liberta um animal da miserável existência que de outro modo seria imposta.

Aprisionamos cadelas para fins de reprodução e seqüestramos seus bebês para vendê-los em pet shops;
É extremamente cruel o comércio de animais de estimação. Não compre, adote! Há muitos animais precisando de abrigo e cuidado. Animais de estimação devem ser somente cães e gatos, os demais devem estar vivendo em seu habitat natural.

A verdadeira Luta em Defesa dos Animais começa com atos simples como questionar o seu próprio almoço e o que lhe serve de alimento! Comece a defender os animais, antes de tudo não comendo! Pois quem come também mata!
Peixes, assim como todos os animais, sentem dor.  Retiramos da água, eles sofrem uma descompressão, seguida de uma lenta e dolorosa morte por asfixia.

Nas fazendas fábricas e os tanques de peixes deixam um dano ambiental que gerações futuras serão forçadas á pagar. Assim como a indústria da carne em geral, é altamente poluidora das águas e a que mais desperdiça esse recurso natural.

Tiramos a vida dos bebês das galinhas, quando nascem frangos e das próprias galinhas, quando ocorre o declínio na produção de ovos.

Inseminamos vacas artificialmente, tiramos-lhes os filhotes recém nascidos e seu leite, para depois as matarmos por causa de sua carne e sua pele. 

Resumindo nós resolvemos nos apropriar dos animais como se estes fossem simples objetos interesses nem sentimentos. Nas fazendas fábricas, as galinhas têm seus bicos cortados com ferro quente, porcos têm seus rabos arrancados, seus dentes removidos com alicates e assim como os bois são castrados tudo isso sem anestesia.
A alimentação dos animais, enriquecidas com hormônios e antibióticos para acelera seus crescimentos. Frequentemente não suportam essa aceleração e sofrem de lesões nas pernas e ataques cardíacos.

Quando os animais são levados para o matadouro, são transportados em péssimas condições e enquanto aguardam sua derradeira hora, ficam sem alimentação e água por longos períodos. Quando no matadouro, são postos de cabeça para baixo e sangram até a morte, muitas vezes ainda conscientes.         

Comer carne é prejudicial á saúde humana. A carne contém gordura e colesterol em excesso, não possui fibras ou carboidratos. 

Os carnívoros são mais propensos a desenvolverem doenças do coração, câncer, osteoporose, artrite, diabetes, impotência sexual e intoxicação alimentar.
A mais poderosa ferramenta que temos para a construção de um mundo melhor é o exemplo positivo por meio de atitudes e ações que enobrecem o espírito. 
Diga não á violência. Animais são amigos. 
Vegetais são alimentos! 
Não precisamos nos alimentar, vestir ou divertir a custa de sangue de inocentes. 
Seja um naturalista, pelas pessoas, pelos animais, pelo planeta, por um mundo melhor e por você. Essa reforma alimentar nos adianta em nossa caminhada, em busca da evolução que toda a Criação Divina está destinada.

RECRIANDO O SEU CORPO FÍSICO E O TEMPO DE VIDA

Mensagem de Brenda Hoffman
Novembro de 2013  
Seu DNA está se expandindo, suas células estão mudando e o seu corpo físico está se ajustando ao novo ser que você está criando. 
Mas, talvez, haja partes que você não conheceu ou compreendeu. Enquanto as suas células se reformulam, a sua aparência pode mudar e você irá gravitar para diferentes pessoas, alimentos, ambientes e condições de vida.
Você está esperando uma aparência mais jovem e assim será. Aqueles que quiserem viver na Nova Terra, talvez, (sua escolha), prolonguem a sua vida natural na Terra. Agora, é bastante comum que os seres humanos vivam 100 anos. 
Algo quase inédito há uma ou duas gerações.
Se você atrasar a sua transição nesta vida, não irá ficar, necessariamente, incomodado com a deterioração pela idade que você acredita agora provável. Alguém que mantém a sua aparência jovem e o seu vigor além dos 80 anos, é agora considerado como uma anomalia – mas isto não será assim em poucos anos.
Seu ser físico está mudando muito rapidamente do que era verdade há algumas décadas, quando alcançar a idade dos 100 anos era uma vaga possibilidade. Então, muitos seres humanos mudaram a sua dieta, suas condições de vida e regimes de saúde.
Naturalmente, há aqueles que enfatizam que muitos dos seus atuais alimentos, particularmente nos Estados Unidos, não são saudáveis. Tal é a realidade para muitos. 
A diferença é que você tem o que comer. Nas gerações passadas, o alimento não era necessariamente abundante. E naquelas partes do mundo onde o alimento permanece limitado, a longevidade ainda não é o esperado.
A explosão da longevidade do século 20 tinha muito a ver com a ingestão de alimentos consistentes.
Seu corpo está novamente mudando, mas de maneiras diferentes. Esta é a verdade em todo o globo e não apenas nas nações mais ricas.
Em vez de suas células serem replicadas, com uma força menor do que as células originais, como acontecia na Velha Era, levando o corpo a se deteriorar, suas células permanecerão fortes e completas por mais décadas. E assim como os seus filhos mudaram a dieta deles de carne e batatas dos seus avós, para frutas, vegetais, carne e fast food, seu corpo irá implorar por uma nova dieta.
Quando as suas preferências alimentares mudarem, você descobrirá sinais aqui e ali, de que o seu ser físico não está envelhecendo como era esperado, quando você tinha 20 anos.
Aqueles que têm 65 anos ou mais, já estão notando que você não está interessado em se sentar em sua cadeira de balanço, vendo o mundo passar. 
Sessenta e cinco anos se tornou o novo 40.
Ainda que você possa ainda não ter reconhecido, seu corpo está mudando. 
Aprenda a ouvir as diretrizes do seu ser interior – e negue as piadas e padrões de crenças que foram uma parte natural da sua vida na Velha Era. 
Você se lembra do seu aniversário de 50 anos, quando muitos sentiram a necessidade de lhe dizer que a morte na Terra estava próxima, com decorações e piadas sobre a morte e o funeral.
Todas eram crenças da Velha Era – e da realidade, então.
Esta realidade não mais existe.
Será que o seu cabelo grisalho irá retornar a sua cor original? Talvez. Mas o mais provável é a sua capacidade de viver uma vida natural e saudável, bem além do que agora é esperado. Uma comemoração de aniversário de 100 anos pode significar remar uma canoa, através de um rio, ou esquiar montanha abaixo.
Quando as suas células mudarem e o seu DNA ganhar vida, você descobrirá novas habilidades, direções e padrões – incluindo as interações sociais. Aqueles que falam demais sobre o envelhecimento e as limitações, não serão de interesse para você, enquanto você explora o seu novo ser.
Ainda que as suas escolhas alimentares mudem, você não será necessariamente um vegetariano, nem desejará comer carne. E nem todos vocês meditarão ou participarão de reuniões da Nova Terra.
Vocês são indivíduos únicos, com caminhos exclusivos que se encontrarão em algum ponto no futuro. Basta saber que as suas rotinas irão mudar. Você desejará experienciar novos lugares e coisas – ingerir alimentos diferentes. Como resultado, você esperará viver por mais tempo.
Crenças que permeiam a sua vida na Velha Era na Terra estão mudando. Alguns de vocês irão fazer a transição em uma idade mais jovem do que os outros, como é o caso agora. Mas esta transição será o resultado de diretrizes interiores, não crenças da família ou da comunidade.
Muitos de vocês acreditam que já decidiram quando deixar a Terra. Tal é verdadeiro. Mas parte deste controle pessoal está ligada a crenças sociais. Você deveria comer isto. Você deveria envelhecer neste ritmo. Você morrerá neste período de tempo.
Estes “deve” e diretrizes não mais se aplicam. O sistema de orientação do seu ser interior irá redirecionar o seu ser físico de maneiras que você não pode imaginar.
Suas células estão se tornando cristalinas – uma estrutura mais sólida do que aconteceu em seus corpos físicos da Velha Era. E, em vez de receber informações e diretrizes de alguns cordões do DNA, você tem milhões de outras peças de informações fluindo através do seu ser. 
Partes de outras vidas, de outros planetas, de outros Universos. Seu novo ser é a diferença entre um livro da quinta série que descreve as suas funções nervosas e o conhecimento de um neurocirurgião.
Você agora é um computador independente, com milhares de bits de informações adicionais, disponíveis quando sentirem a necessidade de pesquisar, acessar, mudar ou transformar o seu ser.
Você não está limitado a um texto, a um conjunto de crenças, ou a uma vida. Você abriu o seu ser para os Universos – e toda a informação que já existiu e que sempre existirá. E você está compartilhando esta informação com todas as entidades, em todos os Universos.
Você não é mais um ser humano isolado, em um mundo limitado na 3ª dimensão. Você é um novo ser, com novas habilidades, incluindo a capacidade de mudar o seu corpo físico, se assim o escolher. Permita-se acreditar em si mesmo. E, então, comece a explorar estas partes que parecem algodão doce.
Para aqueles que têm dificuldade em acreditar em seu próprio renascimento físico, outros irão inventar e compartilhar novos meios de permitir que o seu corpo se recrie, com alegria e vida, em vez de medo e morte.
Que assim seja.

Amem
Fonte: http://www.luzdegaia.net/

 Leia também, clique: 
SEGREDOS DE SAÚDE DO POVO DE HUNZA

ALIMENTAÇÃO À LUZ DO COSMO

O Planeta Terra tem uma população de seis bilhões de encarnados. Desse montante oitocentos milhões sofre de fome crônica. O problema não é por falta de alimentos, e sim falta de consciência.
Se numa área de terra, se cultivar forrageiras, para alimentar gado, este afinal irão alimentar mil pessoas. Se na mesma área plantarmos grãos, teremos o suficiente para alimentar quatorze mil pessoas. É impressionante a diferença que atinge á proporção de quatorze por um.
Os grãos estão sendo desviados para alimentar o gado. Precisamente um terço dos grãos do mundo vira comida animal.
A Terra pode perfeitamente produzir o suficiente para alimentar toda sua população atual. Com precisão, a produção de grãos é suficiente para alimentar muito mais que a atual humanidade. Para isso bastaria que alimentássemos pessoas em vez de gado.
Vamos eliminar a falsa idéia de que seremos infelizes ao tornarmos vegetarianos. Deixe o argumento de que a carne possui proteínas, (em pequenas proporções e é desprovida de vitaminas e sais minerais). 

Vejamos as vantagens de ser vegetariano:
A carne perde longe para a maioria dos vegetais, em ferro e cálcio.

Os feijões, a soja, a lentilha, a ervilha e o grão de bico, contêm mais proteína por peso que as carnes!  E ainda fornecem a vantagem da oferenda cálcio e ferro!

Cem gramas de feijão preto, lentilha ou soja, por exemplo, têm mais proteína que cem gramas de carne.

As proteínas ainda existem no amendoim, levedo de cerveja, o germe de trigo no pão integral, na aveia, no arroz integral, nas nozes, no leite de soja e em diversos outros alimentos.

Até brócolis e a batata, entre outros vegetais, possuem proteínas embora em menor proporção.
Feliz seria a Terra se todos os seres estivessem unidos pelos laços da benevolência e só se alimentarem de alimentos puros, sem derrame de sangue.

Os grãos, os frutos e as ervas, que nascem para todos, bastariam para alimentar e dar fartura ao mundo.


De toda a proteína que o boi consome, sua carne devolve aos que se alimentam dela, somente o valor reduzido dez por cento. Mediante essa insignificante quantidade de proteína, enganam-se aqueles que se preocupam com a comilança da carne alegando que o fazem para se abastecer de proteína.

A soja é uma fonte magnífica e barata de proteína. O Brasil está coberto de um mar de soja.

A América do Sul é o maior exportador de soja do mundo. Brasil e Argentina atingiram a marca de 86 milhões de toneladas. Um país assim não deveria ter desnutrido nem famintos. Essa soja, em vez de alimentar pessoas, vai alimentar o gado do chamado Primeiro Mundo.
Os carnívoros nascem com dentes caninos frontais, afiados, para rasgar a carne da presa, não possuindo molares, os dentes trituradores.
Já os herbívoros e o homem não têm caninos frontais, possuindo pré-molares e molares, uma verdadeira máquina eficiente trituradora de grãos e sementes.
A saliva dos carnívoros não possui ptialina, uma substância que promove a pré-digestão, na boca, dos amidos (presente nos vegetais). A dos herbívoros e do homem a possuem!
Os carnívoros não mastigam a carne. Sua digestão começa no estômago, que possui um suco gástrico poderoso, vinte vezes mais ácido que o dos herbívoros, para digerir carnes e ossos. Mas, o mais importante distintivo da espécie humana e dos herbívoros é o intestino.
O intestino dos carnívoros se destina a dar trânsito á carne, que é uma substância repleta de toxinas. Para que isso ocorra, a natureza proporcionou aos carnívoros um conduto curto. Seu intestino no máximo corresponde a três vezes o tamanho do animal. Sem reentrâncias, para que os resíduos venenosos sejam eliminados rapidamente.
Os herbívoros e o homem têm longos intestinos, chegando a um comprimento correspondente entre dez á doze vezes do seu corpo, alem de ser repleto de reentrâncias e saliências que aumentam a superfície de absorção dos vegetais.
As substâncias tóxicas, ficam transitando lentamente pelo longo intestino herbívoro, promovendo a oportunidade de absorvê-las, ao invés de livrar-se delas.
A natureza não tem recompensas nem castigos: tem conseqüências. O corpo físico há de padecer um dia, devido o acúmulo das toxinas extraídas da carne no decorrer dos anos.

Esse processo de envenenamento lento proporciona ao ser carnívoro, adoecer facilmente, padecer de prisão de ventre, colite, apendicite, peles flácidas e juntas endurecidas, têm alergias, gases, halitose e muito mais.

Quem paga, pela carne de cada dia, está sendo premiado graciosamente com alguns ingredientes, vejamos:
A carne demora alguns dias para chegar dos abatedouros até o açougue e tende assumir uma coloração escura e acinzentada. Então é acrescentada uma dose de Nitratos, para que a mesma adquira uma bela coloração vermelha. Nitratos são substâncias cancerígenas.
Em cada quilo de carne assada, há mais benzopireno que na fumaça de seiscentos cigarros. Benzopireno, substância química que causa câncer de estômago e leucemia.
Consegue-se o Metilcolatreno, que é um cancerígeno que se forma na alta temperatura, ao cozer a gordura da carne.
Um organismo fortemente com stress, como o de um animal, prestes a ser sacrificado segrega: Adrenalina, o hormônio de ataque e defesa, junto com as toxinas metabólicas, ácido úrico e tudo mais que circulava no organismo do animal, como bactérias e vírus, vermes e protozoários.

Tudo isso é armazenado na carne e nas víceras, quando se interrompe a circulação. Alguns perigosamente presentes na carne mal passada, sobretudo a de porco.

 
No Rio Grande do Sul, onde o churrasco é ícone, é o campeão nas estatísticas de câncer de mama do Brasil. Índices tão elevados como dos paises do Primeiro Mundo, também os maiores consumidores de carne. Alem do câncer de mama, podemos anotar que existe uma relação direta entre o consumo de carne e cânceres de útero, ovário, próstata e intestinos.
Bem difundido já está o conselho médico ”evite a carne vermelha”. Mas não é só ela que contém gordura.

Em todas as células musculares do tecido animal existe um revestimento de gordura, essencial para lubrificar o músculo e possibilitar sua contração e relaxamento. Na verdade não existe carne sem gordura.

Saúde é herança natural do ser humano. Nossos desmandos físicos, emocionais e mentais, desta e de outras vidas alteram o estado da saúde ideal. Mas quem faz, pode desfazer.

Há quem cite exemplos de pessoas de aparências saudáveis e comedoras inveteradas de carnes que mesmo com idade avançada dão a impressão de grande vitalidade e saúde. Não devemos esquecer que, a plantação da semente pode ser nesta vida, mas a colheita obrigatória poderá ocorrer em vida futura.
Já tendes provas irrecusáveis de que podeis viver e gozar de ótima saúde sem recorrer á alimentação carnívora. Como prova disso, considere a existência de animais corpulentos e robustos, de extraordinário vigor que, no entanto, são rigorosamente vegetarianos, tais como o elefante, o boi, o camelo, o cavalo e outros.
Não importa o grau de sabedoria, supostamente comprovada, pela diplomação acadêmica. O sucesso pela excelente oratória, diante de milhares que formam a platéia, que demonstra aprova pelos aplausos.

A coleção de livros que tenha escrito, cujas edições tenham se esgotados. Se tal autor de tais proezas for um comedor de víceras cadavéricas, ainda não poderá ser incluído na relação dos evoluídos.

O ser evoluído deve ser completo, deve possuir a sabedoria do gênio e a bondade do humilde. Deve ter a resposta esclarecedora que proporciona a esperança e a bondade que o impede de ferir seus irmão, inclusive os animais.
“Quantas vezes, enquanto o cabrito doméstico lambe as mãos do seu senhor, a quem se afeiçoou inocentemente, recebe a facada traiçoeira, por ser véspera do Natal de Jesus”. 

Este ato não representa uma atitude civilizada.

Quem come carne, no mínimo está em débito para com a Lei do Amor, deixada por Jesus: “Façamos aos outros, somente o que desejamos que nos faça”
Os animais são os irmãos dos homens. Eles também, como nós, vêm de longe, através de lutas incessantes e redentoras, e são, como nós, candidatos a uma posição brilhante na espiritualidade.

Convém aos que se dizem reencarnacionistas, que se integrem aos conhecimentos da Lei da Evolução, tomem uma nova conduta diante do problema tão degradante e oneroso para todos os comedores de carne dos irmãos inferiores. Eles como nós, possuem almas e sofrem.
Os animais, onda de vida anterior a nossa, portanto literalmente nossos irmãos menores, possuem um duplo-etérico e um corpo astral. As energias circulantes nesses corpos têm densidade letárgica e agressiva, se comparada ao campo energético humano.
Quando o animal é sacrificado, os resíduos energéticos dos corpos etérico e astral, obviamente não destruídos pelo cozimento, permanecem aderidos á carne, sendo absorvidos então nos corpos etérico e astral do homem carnívoro, causando um rebaixamento de vibrações.

Ao desencarnar há de sentir a ação de seu magnetismo primário, quando terá dificuldades nos desligamentos dos laços que unem seu corpo perispiritual ao corpo físico.

ECOLOGIA DA BOCA PARA DENTRO

Preserve a ecologia da boca para dentro, seja vegetariano e pratique você a transformação que quer para o Mundo.

 “Que todos nós possamos pensar e agir de modo que nossos pensamentos e atitudes possam ser convertidos em leis universais”. 

Agindo dessa maneira, podemos estar certos, que, estamos contribuindo para um mundo melhor, mais justo, mais fraterno e mais amoroso.
Pensar e agir de modo que possamos ser considerados exemplos de uma lei universal significa, desejar que as atitudes neles contidas sejam semelhantes ao ensinamento maior deixado por Jesus, que é “Amar ao próximo como a si mesmo“ ou “fazer a alguém somente o que sejamos que façam a nós“.
Os animais que morrem para a sua mesa morrem sozinhos, em pânico e terror, em profunda depressão e em meio á grande dor. A matança é impiedosa e desumana.

A cada minuto todos os dias da semana, milhares de animais são assassinados em abatedouros. Muitos sangram vivos até morrer. Dor e sofrimento são comuns.

Atitudes como esta não correspondem ao mandamento maior de Amar ao próximo e indubitavelmente não desejamos passar por isso.

Os animais, como nós, são centelhas de divinas que estão no mundo em busca de galgar um posto mais elevado na imensurável escala evolutiva criada pelo Pai. 

O mandamento evangélico que prega que não devemos matar, também inclui os animais, criaturas de Deus, portanto nossos irmãos inferiores.

Quem come carne sustenta o modo como os animais são tratados. 

Pela Lei do Carma, um dia, terá que resgatar de certa forma essa transgressão a lei do amor ao próximo.

O atual carnívoro, inexoravelmente, será um vegetariano. A natureza da lógica nos mostra, que, embora nem todos os vegetarianos não sejam evoluídos, se faz necessário, que todos os evoluídos sejam vegetarianos.

Evitando comer carne é um dos melhores e mais simples caminhos para cortar a ingestão de gorduras.
A carne não contém absolutamente nada de proteínas, vitaminas ou minerais que o corpo humano não possa obter perfeitamente de uma dieta vegetariana.
Vegetarianos há longo tempo visitam hospitais vinte e duas vezes menos que carnívoros e por pouco tempo.
Vegetarianos têm vinte por cento menos colesterol que carnívoros e isso reduz consideravelmente ataques cardíacos e câncer.
Florestas são destruídas para darem lugar á pastos para a criação gado para fazer hambúrguer para a monocultura de grãos como soja para servir de ração aos animais criados em cativeiro.

Cerca de mil espécies são extintas por ano devido á destruição das florestas tropicais.
As reservas de água fresca do mundo estão sendo contaminadas pela criação de gado de corte. E os produtores de carne são os maiores poluidores das águas.
A criação moderna de animais provoca artificialmente a engorda para obter mais lucros. Ingerir gordura animal aumenta suas chances de ter um ataque cardíaco ou desenvolver câncer.
Se você come carne, está consumindo hormônios que foram administrados aos animais. Ninguém sabe os efeitos que estes hormônios causam á saúde. Em alguns testes, um em cada quatro hambúrgueres contém hormônios de crescimento originalmente administrado ao gado.

Alguns produtores usam calmantes para manter os animais calmos. Usam antibióticos para evitar ou combater infecções. Quando comemos carne estamos ingerindo estas drogas.
Na América do Norte cinqüenta e cinco por cento de todos os antibióticos são dados a animais de corte, e a porcentagem de infecções por bactérias resistentes a penicilina avançou de treze para noventa e um por cento em 1998.
Os carnívoros podem contrair as seguintes doenças comuns em comedores de carne: anemias, apendicite, artrite, câncer de mama, câncer de cólon, câncer de próstata, prisão de ventre, diabetes, pedras na vesícula, gota, pressão alta, indigestão, obesidade, varizes.

Os animais sofrem dor e medo como nós. Passam as últimas horas de suas vidas, trancados em um caminhão, depois unidos á centenas de outros, igualmente apavorados, são empurrados para um corredor da morte ensopado de sangue.
Todos os dias dezenas de milhões de pintinhos de apenas um dia de vida são mortos apenas por que não podem botar ovos.

Não há regras para determinar como ocorre a matança. Alguns são moídos vivos ou sufocados até a morte.

Muitos são utilizados como fertilizante ou como ração para alimentar outros animais.

Todos os anos, quatrocentas toneladas de grãos alimentam animais de corte, e assim os carnívoros com poderes aquisitivos podem comer carne. Ao mesmo tempo, quinhentos milhões de pessoas pobres morrem de fome.
A cada seis segundos alguém morre de fome por que pessoas estão comendo carne. Cerca de sessenta milhões de pessoas morrem de fome por ano.

Todas essas vidas poderiam ser salvas, porque estas pessoas poderiam estar comendo os grãos usados para alimentar animais de corte se os carnívoros comessem dez por cento a menos de carne.

Se comêssemos as plantas que cultivamos ao invés de alimentar animais para o corte, o déficit mundial de alimentos desapareceria da noite para o dia. Lembre-se que 100 acres de terra, produzem carne suficiente para vinte pessoas, e grãos para 240.

Nos paises africanos, onze milhões de pessoas morrem de fome, enquanto o mesmo exporta grãos para o primeiro mundo para engodar animais que vão parar na mesa dos carnívoros.

Á medida que o espírito evolui, ele também prefere nutrição menos animalizada.

Enquanto seres como Átila, Gengis-Kan e Nero, exigiam variedades de víscera sangrentas, para se alimentarem, Francisco de Assis vivia de pedaços de pão e um pouco de leite, Buda satisfazia-se com uma xícara de arroz e Jesus com bolinhos de mel e suco de cereja.

O Universo não teve princípio nem terá fim. No entanto, Deus jamais fracassou no sustento e na vivência de todas as humanidades planetárias.

A fome tão temida na Terra é fruto da irresponsabilidade humana, principalmente dos governantes ambiciosos, porquanto, fora da sistemática da destruição de nossos irmãos inferiores, o orbe pode triplicar a sua população sem que lhe falte alimentos.

As criaturas de Deus são os instrumentos de que Ele se serve para atingir seus objetivos. Foi por isso que Deus deu a cada ser a necessidade de viver e de se reproduzir.

No reino animal as espécies são destruídas somente no seu invólucro ou corpo físico, não a parte essencial dos seres, pois estes são os princípios inteligentes, indestrutíveis, que se elaboram através das diferentes metamorfoses por que passam.

Assim como no humano, após a morte física do animal, sobreviver sua parte espiritual, que retorna a sua alma grupo.

No dia em que os terráqueos, entenderem que os animais são como nós, criaturas de Deus, que assim como nós, aqui estão, fazendo seus ensaios para um dia alcançarem situações de vidas melhores, os humanos da terra, irão de usá-los com disciplina e bondade e pelo seu trabalho irão recompensá-los com muito carinho, farta alimentação e demais cuidados para que os mesmos possam viverem livres das intempéries, das enfermidades, enfim, vão ser considerados como irmãos inferiores como realmente o são e merecedores de todo carinho.
Kardec disse “Sem a caridade não há salvação” pior para aqueles que além de não praticar a caridade, ainda promovem maus tratos, mutilações e a destruição dos animais que por estarem espiritualmente mais próximos de nós, faz com que o ato da sua destruição seja mais oneroso para aquele que comete esse crime e que responderá segundo a Lei de Causa e Efeito.

PORQUE DEVEMOS SER VEGETARIANOS?

Devemos diminuir gradativamente a volúpia de comer carne dos animais. O cemitério na barriga é um tormento, após deixarmos á vida material. 

Os animais são nossos irmãos, eles também como nós, vem de longe, através de lutas incessantes e redentoras, e são como nós, candidatos a uma posição brilhante na espiritualidade. 

À medida que a alma progride, é necessário, também, que o vestuário de carne se lhe harmoniza ao progresso espiritual já alcançado. Percebam que, a nutrição varia conforme a delicadeza e sensibilidade das espécies. Enquanto a poética figura do beija-flor sustenta-se com o néctar das flores, o abutre delicia-se a saborear o cadáver em decomposição do animal.
Mediante os esclarecimentos espirituais ditados por mentores credenciados no labor mediúnico espírita, evidencia-se que muito grave é a responsabilidade daqueles que possuem conhecimentos, quanto os malefícios da alimentação carnívora, não havendo desculpas que lhe suavize a culpa de terem devorado seus irmãos.

O vegetarianismo deve ser a alimentação dos homens civilizados, principalmente daqueles que já são conscientes da realidade reencarnatória e da marcha ascensional que também os animais estão obrigados. A culpa começa exatamente onde começa a consciência quando já se pode distinguir o justo do injusto e o certo do errado.

Quando o bruto devora o seu irmão, para matar a fome, trata-se de um espírito sem culpa e sem malícia perante a suprema Lei do Alto. Sua consciência não é capaz de extrair lições morais ou verificar qual o caráter superior ou inferior da alimentação vegetal ou carnívora.

Mas o homem, que sabe implorar piedade e clamar por Deus, em suas dores; que distingue a desgraça da ventura; que distingue o criminoso do santo; o ignorante do sábio; e o bem do mal, esse homem também deve saber o erro que comete diante da pratica da alimentação zoofágica diária.

Esse homem também há de compreender o equívoco da matança dos pássaros e da mutilação incessante nos matadouros, e será um delinqüente perante a Lei de Deus se, depois dessa consciência desperta, ainda persistir no erro que já é condenado no subjetivismo da alma e que desmente a Lei superior.

O direito de destruição acha-se regulado pela necessidade que o homem tem de prover ao seu sustento e a sua segurança. O abuso jamais estará contido em seu direito. O homem é culpado de matar animais, portanto não lhe assiste esse direito, uma vez que, não lhe falta a fruta ou o legume para seu sustento; nem carece da morte do irmão para a sua segurança biológica.
No âmbito da fisiologia humana podemos constatar que: A produção da toxidade causa a superação renal e do fígado, que se vêem obrigados a atender a necessidade extra da filtragem super dosada. O pâncreas esgota-se produzindo o fornecimento excessivo de fermento. As ilhas de Lanson atrofiam-se, reduzindo-se a produção de insulina, ocasionando a diabete. O movimento peristáltico do intestino é perturbado, pela ação das toxinas produzidas pelas vísceras animais, ingeridas, causando o aumento da viscosidade sangüínea causando a apoplexia. O ácido úrico se dissemina pelo sangue, causando o artritismo.
No aspecto esotérico, os homens são fornecedores da substância vital através do trucidamento de bois, carneiros, suínos, vitelas, cabritos, coelhos, galinhas e gansos. 

Seus sangues inocentes são vertidos nos pisos de matadouros e frigoríficos. E depois sucumbem aos processos de obsessões, vampirismo e vingança dos magos das sombras, alimentados por essa energia vital. 

“Enquanto o homem assassinar animais e comer sua carne, vamos continuar tendo guerras.”


“Não há injustiça na Lei Divina, portanto, a lei cármica não permitirá que os homens sejam felizes, enquanto massacrarem seus irmãos menores, indefesos e serviçais, que também têm almas e sentem dores!”
“Quantas tragédias, angústias e sofrimentos que há séculos afligem a humanidade, são resgates cármicos provenientes da culpa espiritual de verter o sangue do irmão menor, a serviço do Vampirismo da terra e do espaço.” 

Os líderes da Sombra, fortalecidos pelo derramamento diário dos rios de sangue animal, promovem então, com sucesso, as guerras, para o fornecimento de sangue humano, de melhor vitalismo para eles.

“Sob a justiça implacável da Lei do Carma, a quantidade de sangue vertida pelos animais e aves resulta em quantidade igual de sangue humano jorrado nos morticínios das guerras e guerrilhas!” 

Infeliz humanidade terrena, escrava de um circulo vicioso, em que os vivos dotados de razão trucidam os vivos irracionais para devorar-lhes as carnes, e depois enfrentam o sofrimento de verem os filhos ou parentes irem para o massacre dos campos de batalhas!

É de conhecimento de muitos, que há pessoas extremamente bondosas, preocupadas com a caridade e que normalmente alimentam-se de carne. 

Por outro lado, ocorre o oposto, alguns egoístas, maldosos e que somente agem dentro do padrão extremista do egocentrismo, são vegetarianos.


Devemos observar que, nem sempre o homem vegetariano é evoluído, mas, todo homem evoluído fatalmente será vegetariano.

Temos provas irrecusáveis de que podemos viver e gozar de boa saúde sem recorrermos a alimentação carnívora. Basta considerar a existência de animais corpulentos e de um vigor extraordinário em nosso mundo, tais como o cavalo, o elefante, o boi, o camelo e outros que são rigorosamente vegetarianos.
Quanto ao condicionamento pelo hábito da alimentação carnívora, devemos compreender que nosso orgulho, a vaidade ou a crueldade assim como outros tantos defeitos, são estigmas que se forjaram através de séculos, mas que teremos que eliminá-los definitivamente do nosso psiquismo.

Assim como os vícios de fumar e o uso imoderado do álcool também se estratificam na nossa memória etérica; no entanto, nem por isso nos os justificamos como necessidades imprescindíveis das nossas almas invigilantes.

O Comando Sideral está empregando todos os esforços a fim de que o terrícola se afaste, pouco a pouco, da repugnante preferência zoofágica. 

A humanidade atual deve reconhecer que já ultrapassa os prazos espirituais demarcados para a continuidade suportável dessa alimentação mórbida e cruel. Na técnica evolutiva sideral, o estado psicológico do homem atual exige urgente aprimoramento no gênero de alimentação; ela deve corresponder, também as próprias transformações progressistas que já se sucederam na esfera da ciência, da filosofia, da arte, da moral e da religião.


Chegará o dia em que a Terra será promovida a um mundo regenerado. Situação onde o Planeta Terra, somente abrigará espíritos portadores dos bons hábitos.

Quando isso ocorrer, não haverá mais espaços para os matadouros. Essa futura humanidade terá a consciente despertada e saberá dar o devido valor ao sentido real da vida material, não somente para seu semelhante humano, mas também a vida do seu irmão, os animais.

Nessa ocasião, todos os terráqueos serão vegetarianos. Os espíritos que não se ajustarem á nova forma de vida, mais saudável e amorosa, deverão seguir para outro mundo mais inferior condizente com sua condição primitiva no tocante a alimentação carnívora e demais vícios danosos à evolução espiritual.

SOMOS APENAS DIFERENTES

Vídeo emocionante produzido pelos irmãos Brendan e Ayden Elworthy, de 18 e 10 anos respectivamente, super conscientes e sensíveis em relação aos animais. 

O vídeo faz uma reflexão sobre como nós, os habitantes desta terra, não somos melhores ou piores, somos apenas diferentes!

Desabilite a Playlist do Blog no rodapé da página

…e boa REFLEXÃO.

SUFOCAR – Peixes sentem dor

Joaquin Phoenix “se afoga” e pede compaixão pelos peixes em nova campanha
Prenda o ar o máximo que conseguir, tente imaginar
Em nova campanha da PETA, ONG norte-americana, o premiado ator Joaquin Phoenix reencena os últimos segundos da vida de um peixe, sufocando desesperadamente.
O ator, que já foi indicado ao Oscar três vezes, ganhou um Globo de Ouro e um Grammy, é vegano e é uma da celebridades que mais defende este estilo de vida. Em 2005, Joaquin narrou aquele que é até hoje um dos mais polêmicos documentários sobre o tratamento que damos aos outros animais, “Earthlings” (Terráqueos), (veja aqui)
Na página especial criada pela PETA para divulgar o novo vídeo (veja aqui), o ator relata seu primeiro momento de compaixão pelos animais:
“Eu tinha 3 anos de idade, mas até hoje é uma memória viva. Minha família e eu estávamos em um barco, pescando. Quando um peixe foi capturado, ele se contorcia, então foi jogado contra a lateral do barco. Você não conseguiria disfarçar o que era. Isso foi o que nós fizemos ao animal para comê-lo. Ele passou de uma viva e vibrante criatura para alguém lutando por sua vida e tendo uma morte violenta. Eu reconheci isso, assim como meus irmãos.”
As cenas do vídeo em que Joaquin Phoenix demonstra o sofrimento dos peixes foram captadas por Michael Muller, um dos mais famosos fotógrafos da vida selvagem em atividade.

Muller é conhecido por registrar os tubarões em seu habitat e defender seus interesses, alegando que eles não são como os monstros que o cinema apresentou à sociedade.

Peixes são criaturas inteligentes e sofrem exatamente como os mamíferos e qualquer outro animal. Por favor, repense seus hábitos, dê uma chance ao veganismo. 
Entenda melhor no site www.sejavegano.com.br
Leia também, clique: Peixes sentem dor

Fonte: http://vista-se.com.br