SAMAEL AUN WEOR: O Grande Mestre Gnóstico do Século XX

Dia 27 de outubro a comunidade gnóstica mundial celebra o advento de Samael – o Quinto Anjo do Apocalipse – o Senhor do Quinto Raio – O Logos de Marte – o Décimo Avatar de Vishnu. 

Mas, afinal, quem é Samael? 
Quantos, de fato, conheceram (ou conhecem) Samael? 
Qual seu papel na história contemporânea? 
Quê influências suas idéias exercem e exercerão sobre a cultura, a ciência e a religião do novo milênio? 
Como pode a humanidade admitir que o Avatar de Aquário já veio e se foi de nosso convívio? 
Onde está Samael agora? 
Sendo o Avatar um abridor de caminhos e aplainador de terrenos para a vinda do Cristo ou de Vishnu, quando virá o Cristo da Era de Aquário? 
Estas são algumas das mais palpitantes questões que os esoteristas modernos estão buscando compreender. 
Samael, no Talmud, Zohar e outros livros que comentam a Bíblia, é mencionado como um “Anjo Caído” (efetivamente, ele estava “caído” até o século passado, mas, para cumprir sua missão como Avatar da Era de Aquário, teve que levantar-se – e o fez magistralmente. Por isso, vale a pena conhecer sua vida e sua obra.) 

Porém, o que significa “levantar-se”?
O Apocalipse o descreve como o Quinto dos Sete. No esoterismo mais profundo e autêntico, Samael é conhecido como o Logos Regente de Marte. Modernamente, podemos dizer que Samael é o Senhor do Quinto Raio.
Para aqueles que nunca ouviram falar de Samael torna-se necessário tecer alguns comentários acerca de sua obra e da sua missão terrena no século XX. 

Mesmo o leigo tem ideia de que é muito difícil a formação ou o nascimento de um Adepto ou Mestre de Sabedoria. E a maioria ignora que eles existem.

Portanto, seguem valendo as perguntas: O que é um Mestre de Sabedoria? O que é “levantar-se”? 

Mas, poucos, pouquíssimos são os que chegam ao nível de “Mestre de Sabedoria” — e Samael Aun Weor foi um desses poucos.

Por isso, a Ele foi confiada a transcendental missão de ser o Avatar de Aquário, o esperado KALKI AVATAR, Décimo Avatar de Vishnu, o abridor de caminhos para a vinda do próprio Vishnu ou do Cristo Cósmico na Era de Aquário.

O “Boddhisattwa” do Mestre Samael nasceu no dia 6 de março de 1917, no seio de uma família aristocrática em Bogotá, Colômbia, América do Sul.

Foi batizado com o nome de Victor Manuel Gómez Rodríguez. Desde muito cedo demonstrou talentos e capacidades incomuns, como a de se lembrar de suas vidas passadas e a de se desdobrar em astral conscientemente.

Ao fim de sua juventude já havia passado por diferentes escolas espirituais, como espiritismo, yoga, rosa-cruz e teosofia.

Sempre levou uma vida nômade. Bem cedo recebeu a chave secreta do GRANDE ARCANO – que é o segredo dos segredos para quem quer o CAMINHO INICIÁTICO.

Suas capacidades e sabedoria logo se tornaram marcantes. Ficou conhecido, no círculo esotérico de seu país, ao final dos anos 40, como “o jovem Mestre Aun Weor”. Falava com grande autoridade e todos que o escutavam sentiam a força que emanava de seu Ser.
Os que o conheceram pessoalmente naquela época, não podiam deixar de notar duas coisas: seu amor à humanidade e sua extrema humildade, embora fosse altaneiro (jamais orgulhoso ou soberbo) com os ricos e poderosos.
Em 1948 lhe foi revelado, no mundo espiritual, qual seria sua missão, conformada em três aspectos:
1) Formar uma nova cultura.

2) Forjar uma nova civilização.

3) Criar o Movimento Gnóstico.
Em 1950 é editado o primeiro livro do “jovem Mestre Aun Weor”. O trabalho que ele desenvolveu nessa época está bem detalhado no livro A HISTÓRIA DA GNOSE, escrito por seu primeiro discípulo, Julio Medina Vizcaino – Boddhisattwa do V. M. Gargha Kuichines.
Um trabalho tão grande, para a época e o país, não poderia deixar de provocar reações. E a tempestade apareceu em forma de perseguições, calúnias, traições, etc.
Em 1952, Aun Weor é preso sob a acusação de “curandeirismo”. Anos mais tarde, com a família (dois filhos pequenos e a esposa grávida do terceiro), teve que abandonar o país para não ser morto.
Cruzou o Panamá e os países da América Central parte a pé, parte pegando carona, até chegar ao México, onde viveu até desencarnar em 1977.
Em 27 de outubro de 1954, longe de tudo e de todos, outro acontecimento espiritual marca a vida de Aun Weor. No Templo Subterrâneo de Serra Nevada de Santa Marta, Colômbia, acontece o advento do Cristo Samael no Boddhisattwa Aun Weor.
Aun Weor alcançava a Quinta Iniciação Maior e passou a assinar seu nome espiritual de forma completa: SAMAEL AUN WEOR.
Dia 4 de fevereiro de 1962 iniciava-se, oficialmente, a Era de Aquário. Graças a um excelente trabalho desenvolvido por vários de seus discípulos, nessa época os livros do Mestre Samael Aun Weor já estavam sendo distribuídos e circulavam por diversos países da América do Sul. O número de adeptos já somavam vários milhares.
A década de 70, especialmente, foi muito fecunda para o Mestre Samael Aun Weor. Além de haver escrito suas mais notáveis obras, criou também diversas novas instituições, abrangendo assim os principais segmentos sociais. O cronograma oficial das obras do Mestre Samael Aun Weor encontra-se aqui, nesta seção [ver A OBRA ESCRITA].
Dentre as diversas instituições criadas diretamente pelo Mestre Samael Aun Weor, está a plataforma de um partido político, o POSCLA – Partido Operário Socialista Cristão Latino Americano; um instituto de caridade, o ICU – Instituto de Caridade Universal; a Igreja Gnóstica Cristã Universal – IGCU – e uma instituição cultural – a AGEACAC.

Em complemento a todo esse gigantesco trabalho, foram organizados e realizados diversos Congressos Mundiais, que chegavam a reunir mais de 3.000 (três mil) participantes.

Toda essa larga trajetória de realizações bem sucedidas foi interrompida 90 dias antes da noite do Natal de 1977. Iniciava-se aí seu processo iniciático final, e, na noite de 24 de dezembro de 1977, ocorreu o desencarne do Mestre Samael Aun Weor.

Terminava assim, em noite memorável, sua vida de sacrifícios e a Primeira Etapa de sua vida mística, de sua obra e de sua missão.

Hoje, o Kalki Avatar da Era de Aquário vive como Mestre Ressurrecto no Tibet junto a inúmeros outros Mestres de Sabedoria que formam a Muralha Guardiã do Mundo. E, como outros seres dessa envergadura, periodicamente, realiza missões em diferentes partes do mundo, anonimamente.
Por havermos acompanhado parte de toda essa história, sabemos diretamente que o Mestre Samael não foi um simples escritor esotérico, nem foi, simplesmente, um estudioso do hermetismo, ou, tampouco, o criador de mais uma simples seita, como querem os eternos detratores da Divina Gnose.
Samael, além de haver encarnado todos os princípios espirituais que ensinou ao mundo no Século XX, soube também sintetizar a essência do buddhismo e do cristianismo; decodificou a ciência alquímica; rasgou os véus dos mistérios sexuais e abriu as portas da antropologia esotérica que nos dá o elo perdido para unificar e conciliar todas as culturas e civilizações do passado e do presente, do Oriente e do Ocidente.
Assim como Deus se esconde em sua própria Criação, também o Kalki Avatar da Era de Aquário se oculta em sua própria obra. Porém, para alguns dos eternos inimigos da divindade, Samael Aun Weor é apenas o criador de uma das mais destrutivas seitas do século XX.
Por paradoxal que pareça aos olhos dos não-iniciados, o Movimento Gnóstico iniciado por Samael é a única escola autenticamente iniciática que restou à humanidade aqui no Ocidente.

Seus livros abordam de forma escancarada todo o processo de cristificação do ser humano que anela a autêntica Iniciação Branca.

Fonte: http://gnose.org.br/

MANTRAS: PALAVRA DE PODER – Samael Aun Weor

O ser humano pode desenvolver faculdades transcendentais com as quais pode perceber o ultra da natureza, ou seja, a Clarividência, que nos permite ver os Mundos Superiores; a Clariaudiência, que nos permite ver os Mundos Internos; a Intuição, que está relacionada com o chakra do coração; a Telepatia, que está relacionada com o Plexo Solar.
Existem também certos chacras que nos permitem recordar nossas reencarnações passadas, chacras que estão situados nos pulmões.

Vou ensinar aos meus irmãos mantras com os quais podemos desenvolver nossas faculdades transcendentais.

Mantra significa “Palavra de Poder”. 
Saibam que os sons produzem efeitos visíveis e tangíveis para todo o mundo: um disparo de canhão, por exemplo, pode romper os vidros das janelas de uma casa, assim como uma palavra suave apazígua a ira, e uma palavra irônica, provoca muitos sentimentos em quem a escuta.
O som é a causa causar um de tudo o que é. As vibrações dessas letras, e com as múltiplas combinações de sons, despertam os poderes latentes do ser humano.
Comecemos por conhecer os mantras que servem para o despertar da Clarividência, esse sentido nos permite ver o Ultra, que se acha intimamente relacionado com a glândula pituitária. 
Para isso, usamos a vogal “i”, que se pronuncia assim: “iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii”…, que deve ser vocalizada muitas vezes, e se combinarmos com algumas consoantes o resultado é assombroso.
Há um mantra que nos permite desenvolver a Clarividência em pouco tempo, é o mantra ISIS
Como vocês sabem, a Deusa Ísis era muito venerada no Egito, e aquele que conseguir levantar o “Véu de Ísis” vê o Ultra de toda a criação.
É necessário que levanteis o Véu de Ísis, é urgente que aprendais a vocalizar os mantras. 
A vogal “i” é o fundamento do mantra ISIS e se pronuncia assim:
“IIIIIIIIISSSSSSSSS – IIIIIIIIISSSSSSSSS”…
Como veem, a consoante “S” deve se prolongar com um sibilo suave, ela faz vibrar intensamente o chacra maravilhoso que está situado exatamente entre as sobrancelhas, o Ajna Chakra. 
Chegará o dia em que vós, continuando a fazer a prática sistematicamente, desenvolvereis a Clarividência e vereis o Ultra da natureza, com todos os Mistérios da Vida e da Morte.
Outro mantra também muito importante para o desenvolvimento da Clarividência é o mantra SUIRA, que se vocaliza assim:
“SSSSSUUUUUIIIIIIRRRRRAAAAAA”…
Poderão vocalizar esse mantra meia hora por dia. O importante é não se cansar e ter profunda devoção interior. Outro mantra também muito importante para o desenvolvimento da Clarividência é a consoante “R”. 
O fundamental é aprender a vocalizar essa “vogal”, dando-lhe uma entonação muito aguda, muita fina, imitando a voz de uma criança, assim:
“RRRRRRRRRRRRRRRRRRR”…
Uma voz aguda, certo? Um som demasiadamente agudo é difícil para os homens, mas é indispensável para o desenvolvimento da Clarividência. Com essa vogal, despertarão a Clarividência rapidamente.

Agora, passemos a estudar a Clariaudiência, que é a faculdade de escutar o Ultra. 

Quem a desenvolve pode escutar as vozes dos desencarnados, dos Anjos, dos Tronos, dos Querubins, dos Serafins, dos Elohim etc. 
Essa maravilhosa faculdade está situada sobre a glândula tireoide, que fica na laringe. 
É uma glândula muito importante que produz vários hormônios, como o iodo etc.
Comecemos pela vogal “E”, que se vocaliza assim:
“EEEEEEEEEE”…
Vocaliza-se por muitas vezes, de 10 minutos até meia hora. Vocaliza-se inspirando o ar e exalando todo o ar dos pulmões, vocalizando o mantra “E”, e assim repete-se por várias vezes.
O mantra “AUM SHIVATUM E” também desenvolve maravilhosamente a Clariaudiência. Pronuncia-se assim:
“AAAAAAUUUUUMMMMMMMMM CHIIIIIIIII VAAAAAATUUUUUMMMMM EEEE”.
Outro mantra para o desenvolvimento da Clariaudiência é o “EM”, que se vocaliza assim: 

“EEEENNN”…

Agora, meus irmãos, vamos ao assunto da Intuição, que nos confere o poder de saber sem a necessidade de raciocinar. 

A Intuição é do chacra do coração e nos proporciona essa preciosa faculdade.

O mantra da Intuição é o sagrado “OM” e é vocalizado assim:
“OOOOOOOMMMMMMM”…
O mantra OM MANI PADME HUM, também é usado para despertar a Intuição, e se vocaliza assim:
“OOOOOMMMM, MAAAAASSSSSIIIII, PAAAAAD MEEEEE JOOOMMM”

Agora vamos passar à faculdade da Telepatia, que nos permite captar os pensamentos das pessoas a distância. 
Se quiserem desenvolver a Telepatia, devem saber que o fundamento dela está situado exatamente na região do umbigo, o plexo solar, o Manipura Chakra.
Um dos exercícios para o desenvolvimento da Telepatia é o seguinte: sente-se numa poltrona, de frente para o leste, imaginando que as radiações solares penetram no plexo solar, fazendo girar esse centro da esquerda para a direita. Imaginai que os raios são de uma bela cor azul-dourada, durante meia hora diária.
O segundo exercício é concentrar-se no plexo solar e vocalizar a vogal “U”, da seguinte forma:
“UUUUUUUUUUU”…
O importante é que não canseis, são necessárias constância e tenacidade, pois há muitos irmãos que começam e logo se cansam, mas se quiserem desenvolver os seus poderes, não se cansem.
Vocês podem recordar as suas existências passadas se despertarem os chacras pulmonares. Tanto no pulmão esquerdo quanto no direito existem centro magnéticos que são extraordinários. 
A vogal “A” faz vibrar os chacras pulmonares, e se vocaliza assim:

“AAAAAAAAAAAAAAA”…

Se quiserdes acrescentar a consoante “N”, melhor, e aí ficaria assim:

AAAAANNNNNN…
O doutor Krumm-Heller aconselhava aos seus discípulos uma hora de vocalização. Dizia que a ordem era a seguinte: I – E – O – U – A. 
Aconselhava que se imaginasse que o som de cada vocal começava na cabeça e ia até os pés.
Vocalizava assim:
IIIIIIIIIIIIIIIIII…
EEEEEEE…
OOOOOO…
UUUUUUU…
AAAAAAA…
Dizia que o discípulo deveria vocalizar por uma hora diária. Esse era o sistema que o grande Mestre Huiracotcha ensinava. Nós, com os irmãos da Sierra Nevada de Santa Marta, lá no Summum Supremum Sanctuarium Gnosticum, vocalizávamos fazendo cadeias, ou vocalizávamos sozinhos. Utilizávamos também esse mantra com a inclusão das consoantes “CH”, e o resultado foi maravilhoso.

Aqueles irmãos estão muitos avançados, tinham Clarividência, Clariaudiência, Telepatia, lembram das suas existências passadas, saem e entram à vontade no corpo físico.
Bem, seguindo adiante, com os mantras CHIS, CHES, CHOS, CHUS e CHAS, obtínhamos ótimos resultados em despertarem os poderes internos, eles são vocalizados assim:
CHIIIIIIIIIIIIIIIIISSSSSSS
CHEEEEEEESSSSSSS
CHOOOOOOSSSSSSS
CHUUUUUUSSSSSSSS
A combinação de “CH” com a consoante “S” no final do mantra, é algo maravilhoso, os chacras giram potentemente, despertando os poderes internos do homem. 
Embora, repito, sem se cansar, não se cansem. Esses são exercícios que devem ser praticados durante toda a sua vida, vocês devem acostumar-se com esses mantras.

Agora vou lhes ensinar o mantra para o desdobramento astral, o mantra é o FARAON.
Deitados na cama, em decúbito dorsal, com as pernas dobradas e os joelhos para cima, com as plantas dos pés apoiadas na cama, repitam o mantra Faraon, assim:
FAAAAAAARRRRRRRAAAAAAAOOOOOOONNNNNN…
Repitam esse mantra várias vezes, podendo fazê-lo suavemente, como também vocalizá-los mentalmente, e conforme vão adormecendo, imaginem as pirâmides do Egito. Isso não é trabalhoso, dediquem toda a sua atenção mental e adormeçam mantralizando.
O resultado será esplendido, sairão em astral, despertarão lá nos Mundos Internos e abandonarão o seu corpo físico sem saber a hora e como foi…
O maior poder que existe, a melhor chave que existe para sair em astral depende das energias sexuais, que, quando está em processo de transmutação líbido-genética, produz um som semelhante ao som de um grilo.
Existe outro mantra para sair em astral, vocês adormeçam vocalizando mentalmente as sílabas “LA-RA”, da seguinte forma:
LAAAAA – RRRRRAAAAAAA…
Essas duas sílabas têm o poder de fazer vibrar intensamente as energias sexuais, por lógica e dedução sabemos quando as energias estão potentes e com elevadas vibrações. 
Mantraliza-se a letra “S”, ou seja, “SSSSSSSSSSSSS”, sentindo o mantra vibrar no cerebelo como se fosse o canto de um grilo.
Quando escutarem esse som não se assustem, graduem o volume, dando uma maior ressonância através da vontade, e fazendo esse som vibrar mais intensamente levantem de sua cama. 
Não pensem que estão levantando, levantem-se, repito. Levantem-se e a natureza se encarregará de separar a parte astral do corpo físico.
Vocês não têm nada a fazer senão só se levantarem. Claro que não se trata de levantar-se mentalmente, levantem-se da cama, e antes de saírem do quarto deem um saltinho com a intenção de flutuar. 
Se conseguirem é porque estão no mundo astral. Se não conseguirem, voltem à cama e repitam o exercício.
Lembrem-se meus irmãos, que uma hora de vocalização de mantra, vale mais que ler um milhão de livros teosofistas, rosa-cruz, espíritas etc.
O mantra TOM DOM faz vibrar o chakra do coração, o Anáhata, imitando os sons dos sinos das paróquias, assim:
TOOOOOOOMMMMMMM, DOOOOOOOMMMMMMM….
TOOOOOOOMMMMMMM, DOOOOOOOMMMMMMM….
TOOOOOOOMMMMMMM, DOOOOOOOMMMMMMM….
E a seguir:
IIIIIIIIIIIIII, UUUUUUUUUU, EEEEEEEEE, IIIIIIIIIIIIIIII…
imitando os sons da brisa quando passa por entre as folhas das árvores.
Agora vou lhes ensinar alguns outros mantras importantes. Ouçam-me, são mantras fundamentais para a magia sexual e se vocalizam assim:
DIIIIIIIIISSSSSS, DAAAAAASSSSSS, DOOOOOSSSSSS…..

Mais mantras para sair em corpo astral:

RUUUUUUSSSSSS – TIIIIIIIIIIIIII…

TAI- REREREEE, TAI – REREREEE, TAI – REREREEE.
Lembrando sempre que ao sair do vosso quarto deem um pequeno salto com a intenção de flutuar, e se conseguirem é porque já estão em astral, saiam do quarto e dirijam-se com a decisão firme de ir à Igreja Gnóstica, onde nós, os Mestres da Fraternidade Universal Branca, os aguardamos.
O mantra oriental AUM se vocaliza esotericamente assim:

AAAAAAAAAOOOOOOOOO MMMMMMMMM…
Um mantra para a cura:
PAAAANNNNN – CLARA
PAAAANNNNN – CLARA
PAAAANNNNN – CLARA…
Façam a sua vocalização em sete tempos pequenos, vocalizem com Fé Consciente, irmãos, e triunfarão. Não percam tempo teorizando, não percam o tempo se alimentando com as comidas que se oferecem aos ídolos da teosofia, rosacrucianismos, espiritismos…(carnívora)
Desse tipo de comida só comem os discípulos de Jezebel, que se diz profetiza, que ensina e engana aos seus servos a fornicar e a comer coisas oferecida aos ídolos.
Sejam práticos, porque na Nova Era de Aquárius, necessitam-se de homens práticos, despertos e iluminados. Essa lição mântrica que lhes dei encerra a Chave de todos os Poderes. Por isso, irmãos, têm de aprender a manejar o Verbo.

Até aqui, as minhas palavras. Paz Inverencial…

Samael Aun Weor, conferência No Princípio Era o Verbo


BEETHOVEN – O guardião do Templo da Música

No livro As Três Montanhas, o VM Samael Aun Weor escreve sobre o contato que teve com Beethoven, nas Dimensões Superiores da Natureza, mais precisamente no Mundo Causal, ou sexta dimensão:
“No mundo das causas naturais compreendi a necessidade de aprender a obedecer ao Pai, assim na terra como nos céus. Ingressar no Templo da Música das Esferas, nessa região cósmica, certamente foi uma das minhas maiores ditas.

No umbral desse templo, o guardião me ensinou uma das saudações secretas da Fraternidade Oculta. O rosto daquele guardião parecia um relâmpago. Quando esse homem viveu no mundo, chamou-se Beethoven.

No mundo causal encontrei muitos bodhisatvas trabalhando intensamente pela humanidade. Esses homens causais desenvolvem-se maravilhosamente, cada um sob a direção de seu Deus Interno. Só o homem causal conseguiu definitivamente a imortalidade. Essa classe de seres está além do bem e do mal.”
O Mestre Samael também comenta sobre esse grande mestre:
“Ludwig van Beethoven, cujo rosto é um relâmpago, é ninguém menos que o Guardião do Templo da Música.
Suas nove Sinfonias estão em íntima relação com as Esferas da Árvore da Vida da cabala hebraica.
A 3ª Sinfonia, a Heróica, está totalmente matizada com a influência de Binah, a terceira Séfira ou Esfera, que corresponde à Divina Mãe, ou às forças do Espírito Santo, o processo do nascimento e da morte.
É mais evidente em seu segundo movimento lento, escrito em forma de marcha fúnebre, que expressa a missão do dar e do tirar a vida pela ação dos Anjos da Morte, chamados Pascoais, ou pascuala, em algumas regiões da América Latina.
Na 4ª Sinfonia se adverte o uso dos timbales, que ativam os impulsos do Íntimo no coração, Chesed, o Júpiter Interno.
A Força do Rigor, o Geburah, a quinta Esfera da Cabala, foi expressa por Beethoven em sua Sinfonia, o Destino batendo à nossa porta.
Tipheret, a Beleza… quem não vivenciou na maravilhosa 6ª Sinfonia dedicada à Natureza… quem escutar a 6ª Sinfonia com verdadeira atenção terá harmonizado as combinações mais sutis de sua própria Natureza. É de uma grande ajuda para transformar nossa mentalidade lunar em uma mentalidade solar.
A apoteose da dança, como disse Wagner da 7ª Sinfonia, unifica nossa compreensão acerca da Esfera de Netzach, ou a Esfera de Vênus, a Deusa do Amor.
A 8ª Sinfonia expressa a Hod, a Esfera da Alta Magia e os processos da mente.
A 9ª Sinfonia, chamada A Coral por suas partes de coros, canta a Ode à Alegria do grande poeta alemão Schiller, exalta os logros que se colhem na Nona Esfera ou o Yesod da Cabala.
Não é coisa de expressar com palavras, senão de escutar com o coração e com uma mentalidade solar unificada.”
E para complementar essas informações entregues pelo VM Samael Aun Weor, transcrevemos um trecho do livro Biomúsica, de Fernando Salazar Bañol, que explica sinteticamente a influência das sinfonias beethovianas em nossas estruturas psicológicas.
As 9 Sinfonias de Beethoven e seu Equivalente Psicológico
Ludwig van Beethoven, célebre compositor de música erudita, por seu talento extraordinário foi elevado a um dos expoentes máximos dessa arte. Nasceu em 17/12/1770 e morreu em 26/3/1827.
No esoterismo crístico-gnóstico, sabemos que esse grande ser é considerado como um grande Hierarca das regiões musicais celestiais (Esfera de Vênus, Mundo Causal).
Cada uma de suas sinfonias foi idealizada para agir nas estruturas psicológicas mais íntimas do ser humano, enaltecendo os valores intrínsecos superlativos do homem.
1ª Sinfonia
É a da “Gênese Psicológica”.
Deve ser escutada para motivar-nos em tudo o que queremos iniciar.
2ª Sinfonia
É a da “Revolução Psicológica”.
“Um complexo monstruoso, um horrível dragão ferido contorcendo-se, que se nega e expirar e, ainda que sangrando no final, segue revolvendo-se e dando golpes com a cauda para todos os lados.” (Resenha publicada em maio de 1804, por Zeitung Für Die Elegante Wait, de Viena.)
3ª Sinfonia
É a da “Busca do Equilíbrio”.
Deve ser ouvida para motivar-nos a sair dos estados de nervosismo excessivo, desânimo, descontrole, ansiedade, pessimismo.
4ª Sinfonia
É a “Sinfonia do Amor”.
Motiva a sair dos estados de irritação, egoísmo, vingança e ódio.
5ª Sinfonia
É a do “Destino do Homem”.
Estimula a traçar as estruturas do que queremos ser na vida, ou seja, a criar nosso destino.
6ª Sinfonia
É a da “Heurística”.
Motiva-nos a toda ação criadora, a todo movimento que tenda a solucionar problemas.
7ª Sinfonia
A da “Exploração do Subconsciente”.
Para motivar a nossa autoanálise, nosso estudo axiológico.
8ª Sinfonia
É a da “Emancipação Psicológica”.
Se deve escutá-la para motivar-nos à mudança, à transformação, à transvalorização.
9ª Sinfonia
É a da “Sublimação”.
Para motivar-nos a escalar os degraus dos sentimentos místicos, de espiritualidade, de devoção.
A 10ª Sinfonia de Beethoven
O direito de o público conhecer o que poderia ter sido uma obra de um grande compositor foi o principal argumento do musicólogo inglês Barry Cooper para defender o trabalho de reconstrução de um trecho da 10ª Sinfonia de Beethoven.
Cooper explicou o processo de pesquisa que o levou a terminar o primeiro movimento da obra a partir de anotações originais do compositor em uma mesa redonda dentro da programação de cursos de verão da Universidade Complutense de Madri, na cidade de San Lorenzo del Escorial (a 50 quilômetros da capital).
A principal discussão do evento foi a validade do trabalho de finalização de uma obra inacabada do gênio Ludwig van Beethoven.
Cooper, pesquisador e professor da Universidade de Aberdeen (Inglaterra) identificou pela primeira vez as anotações correspondentes ao que poderia Ter sido o 1º Movimento da 10ª Sinfonia de Beethoven.

Levantamos então uma questão: se Beethoven tivesse vivido mais alguns anos, teríamos recebido de presente não 10, mas talvez 12 Sinfonias. Explicando assim os 12 Trabalhos de Hércules numa linguagem musical?
Fonte: http://www.gnosisonline.org/misterios-da-musica
Para ouvir as sinfonias, desabilite a Playlist musical do Blog