DICAS PARA ELIMINAR AGROTÓXICOS DOS ALIMENTOS

O ideal é consumir produtos orgânicos (de fonte confiável, pois há muito produto sendo vendido como orgânico sem ser).

Mas infelizmente nem sempre temos produtos orgânicos à nossa disposição. Então, neste caso, o que fazer para pelo menos minimizar a presença de agrotóxicos no alimento?

Veja algumas dicas:

1. Lavar bem frutas e vegetais com água corrente não é completamente eficaz, mas remover os resíduos de pesticidas e elimina certas substâncias tóxicas.

2. Limpe com escova, esfregando suavemente para remover sujeira e resíduos tóxicos.

3. Não lave frutas e legumes antes de armazenar, pois isso faz com que se estraguem mais rápido, já que a umidade favorece os microrganismos e bactérias.

4. Limpe os vegetais somente perto de consumi-los, de preferência com água levemente morna.

Receitas para eliminar agrotóxicos

1. Limão e vinagre branco

Em uma garrafa de spray, adicione o suco de 1 limão 2 colheres de sopa de vinagre branco e termine de preencher com água.

Agitar a garrafa e aplicar sobre frutas e legumes antes de servir.

2. Vinagre e sal

Coloque água em uma tigela e adicione meia xícara de vinagre de maçã e 3 colheres de sopa de sal, diluindo bem.

Deixe frutas e legumes por 20 minutos nesta mistura e depois enxágue.

3. Bicarbonato de sódio

Primeiro lave frutas e legumes em uma bacia com água

Em seguida, dilua 1 colher (sopa) de bicarbonato de sódio em 1 litro de água.

Depois, ergulhe as frutas e legumes por alguns minutos nesta solução, esfregando-os bem para remover bactérias e resíduos químicos.

4. Dica de biólogo

A dica que ensinaremos adiante foi ensinada na televisão por um biólogo, o professor Mauro Velho.

É um processo em quatro etapas:

Coloque os vegetais em uma bacia com água limpa e deixe-os nessa água por cinco minutos (esta é a primeira lavagem).

Depois, transfira os vegetais para uma bacia com água bicarbonato de sódio – 1 colher (sopa) para cada litro de água.

Deixe-os 40 minutos nesta bacia com água e bicarbonato.

Esta é etapa mais importante, pois, segundo o professor, o bicarbonato remove até 90% dos agrotóxicos.

Coloque os vegetais de novo numa bacia com água durante cinco minutos.

Isto é necessário porque, se o bicarbonato entrar em contato com vinagre, haverá uma reação e perderá o efeito.

O professor Mauro foi muito claro neste ponto: “Não pode misturar bicarbonato com vinagre, porque reage e perde o efeito”.

Ponha os vegetais numa bacia com água e vinagre – 1 colher (sopa) para cada litro de água.

São necessários 40 minutos nesta última etapa para, de acordo com o professor, haver a remoção dos agrotóxicos não eliminados pelo bicarbonato.

E assim está finalizada a desintoxicação dos vegetais.


Esta receita é ensinada por um dos mais esclarecidos médicos do país, o dr. Lair Ribeiro.

Lair Ribeiro tem um invejável currículo e, hoje, ajuda em suas palestras a esclarecer as pessoas com informações sobre saúde que poucos têm coragem de dar.

Tirar os agrotóxicos que contaminam a nossa salada, pelo que nos ensina o respeitado médico, é bem simples.

Mas o ideal mesmo é consumir alimentos orgânicos, tá?

Por vários motivos, como a preservação ambiental (solo e rios menos contaminados) e o estímulo à agricultura familiar (importante para a economia do país).

Se você não sabe, o Brasil é um dos maiores consumidores de agrotóxicos no mundo, movimentando US$ 2,5 bilhões ao ano, com um volume de 250 mil toneladas de produtos utilizados.

Os países do chamado Terceiro Mundo são as maiores vítimas da indústria de defensivos agrícolas.

Nos países desenvolvidos é diferente, porque as restrições ao uso de agrotóxicos são mais severas.

Não é para menos: os habitantes são bem-informados e,por isso, cobram mais de suas autoridades.

No meio ambiente, os resíduos de agrotóxicos contaminam o solo e a água dos açudes e rios, além de animais.

Nos seres humanos, pode afetar a saúde do aplicador do produto e do consumidor.

 

Existe comprovação de que alguns pesticidas provocam doenças autoimunes, como lúpus, alergias, câncer e doenças neurológicas.

Diante de tantas evidências, por que será que não se investe pesadamente em agricultura orgânica?

Simples: porque para “eles” não interessa a saúde da população.

O que importa é o LUCRO.

Vamos ensinar a receita do dr. Lair Ribeiro agora.

Mas, antes, veja um vídeo em que o médico fala da receita.


Vamos reforçar, para não ficar nenhuma dúvida, a explicação do dr. Lair Ribeiro:

  • Numa farmácia, compre uma seringa de 5 ml e um vidrinho de tintura de iodo a 2% (custa cerca de R$ 4,00).
  • Numa tigela de plástico, coloque um litro de água filtrada.
  • Usando a seringa, adicione 5 ml de tintura de iodo à água filtrada.
  • Lave os vegetais, frutas e legumes e coloque-os na tigela durante uma hora.
  • Passado esse tempo, retire os vegetais da tigela e lave-os novamente.
  • Eles estarão prontos para consumo, sem cheiro, sem cor diferente e livres dos agrotóxicos que nos envenenam e são a causa de várias doenças.

Prefira sempre os alimentos orgânicos para que, além dos benefícios à sua saúde, haja o estímulo a esse tipo de agricultura, que não agride o meio ambiente e é bem familiar.

Só use estes métodos quando não houver mesmo a oferta de frutas, verduras e legumes orgânicos.


Leia também, clique:


A MÁFIA DO CODEX ALIMENTARIUS – Você sabe o que está comendo ?

 

Você sabia que em 01 de Janeiro de 2010 entrou em vigor o polêmico Codex Alimentarius. 

E o que é isso?
É um Programa Conjunto da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação – FAO e da Organização Mundial da Saúde – OMS.
Trata-se de um fórum internacional de normalização sobre alimentos – sejam estes processados, semi-processados ou crus – criado em 1962, e suas normas têm como finalidade “proteger a saúde da população”, assegurando práticas equitativas no comércio e manuseio regional e internacional de alimentos.
Sua influência se estende a todos os continentes e seu impacto na saúde dos consumidores e nas práticas do comércio de alimentos em todo o planeta será incalculável.
As normas Codex abrangem ainda aspectos de higiene e propriedades nutricionais dos alimentos, código de prática e normas de aditivos alimentares, pesticidas e resíduos de medicamentos veterinários, substâncias contaminantes, rotulagem, classificação, métodos de amostragem e análise de riscos.
Essa regulação tão “abrangente” vem a ser uma fonte poderosa de “controle”sobre as grandes populações e de apreciável “lucro” para as grandes corporações, especialmente as dos ramos químico e farmacêutico.
Resumindo, o Codex vai trazer severas restrições à nossa já precária liberdade de escolha em termos de alimentação e prevenção/tratamento de doenças. Sem falar que considerações mais complexas podem ser feitas sobre o impacto dessas medidas no controle populacional do planeta e na concentração de riquezas.

ALGUMAS NORMAS ADOTADAS PELO CÓDEX COM RELAÇÃO AOS ALIMENTOS
1- Alimentos comuns, como o alho ou o hortelã, por exemplo, poderão ser classificados como “drogas”, que sómente as empresas farmacêuticas poderão regulamentar e vender. Qualquer alimento ou bebida com qualquer possível efeito terapêutico poderá ser considerado uma droga.
2- Alimentos geneticamente modificados não precisarão ser identificados como tal, e não saberemos a origem do que estamos comendo;Todos os animais destinados ao consumo humano, deverão receber hormônios e antibióticos como medida profilática; a criação de animais geneticamente modificados também já consta dessa mesma pauta, ou seja, melhor parar de comer animais.
3- Aditivos alimentares, a maioria sintéticos, como o aspartame, por exemplo, serão aprovados para consumo sem que se tenha conhecimento dos efeitos a longo prazo de cada um nem das interações entre eles a curto e longo prazos(melhor parar de consumir já).
UM ALERTA IMPORTANTE;
AÇÚCAR REFINADO OU ADOÇANTE?

O açúcar refinado não é necessário na alimentação porque existem outras fontes mais saudáveis. O ideal é optar pelos tipos mascavo ou orgânico.

Apesar disso, eles custam mais caro e adoçam menos.Já o adoçante é uma substância doce, mas o corpo não ganha energia com esse produto químico(só ganha doenças). Alguns estudos revelam efeitos colaterais do excesso de adoçante, como retenção de líquido e obesidade.

4- Todos os alimentos de origem vegetal deverão ser irradiados antes de serem
liberados para consumo: frutas, verduras, legumes, nozes…. nada mais chegará à nossa mesa como a natureza fez .
5- Os produtos ‘orgânicos’ estarão completamente descaracterizados, pois terão seu padrão de pureza reduzido a níveis passíveis de atender às necessidades de produção em grande escala; alguns aditivos químicos e várias formas de processamento serão permitidos; tampouco haverá obrigatoriedade por parte do produtor de informar que produtos usou e em que quantidades – rótulos não serão obrigatórios na era Códex (já estamos vivendo isso).
O Códex apoia tóxicos aditivos alimentares, pesticidas e alimentos geneticamente modificados; representa uma ameaça significativa para o abastecimento alimentar, de acordo com o Dr Robert Verkerk, fundador e diretor da Aliança para a Saúde Natural.

Cerca de 300 aditivos alimentares perigosos que são principalmente sintéticos serão permitidos ao abrigo do Codex, incluindo o aspartame, BHA, BHT, de bromato de potássio, tartrazina, e muito mais. Dr. Verkerk alertou que nenhuma consideração foi dada aos potenciais riscos associados à exposição prolongada a misturas de aditivos.

Códex estabelece limites para os produtos químicos industriais perigosos que podem ser utilizados em alimentos, mas eles são incrivelmente altos, e a lista dos produtos químicos que podem ser utilizados é longa. Em 2001, 176 países, incluindo os EUA se reuniram e decidiram que 12 produtos químicos orgânicos altamente tóxicos, conhecidos como poluentes orgânicos persistentes (POP) eram tão ruins que tinham de ser banidos. Há muitos mais de 12 produtos químicos tóxicos usados na alimentação, mas estes 12 foram declarados por unanimidade para serem os piores. Destes, 9 são pesticidas.
Que o peixe morre pela boca todo o mundo sabe. O que novos estudos mostram é que agora ele mata também. Considerados ingredientes fundamentais na alimentação balanceada, os peixes e frutos do mar podem conter substâncias que, em vez da longevidade prometida pela dieta mediterrânea, podem acelerar o fim.

E os peixes não estão sozinhos. Dependendo da preparação, um tomate tem poder  similar ao da fast-food. Carne vermelha, frutas, verduras e até o pãozinho nosso de cada dia compõem o cardápio que alimentará as doenças que, em 2020, vão matar mais do que o consumo de drogas.

Assim, fica a pergunta: o que comer? A resposta não é simples. Pouca coisa escapa à fúria informativa dos defensores do bem-estar. E os “vilões” culinários vão desde os mais óbvios – como a comida industrializada, principal responsável pela epidemia de obesidade que atinge mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo – aos mais, digamos, inocentes.

Estudos ligam o consumo de carne vermelha ao câncer. Isso em prazos cada vez mais curtos. Procurar refúgio na carne branca?mesmo problema, pior ainda, os antibióticos administrados nas aves, que fazem um frango estar pronto para o abate em menos de 28dias. Então o negócio é correr para os vegetais.  

Ah, esqueceu os agrotóxicos?

Pesquisas comprovam que , em 2020, 75% das mortes no mundo serão causadas por doenças crônicas como diabetes, câncer e complicações cardíacas.

Esse dado está no estudo “Diet, Nutrition and the Prevention of Chronic Diseases” (Dieta, Nutrição e Prevenção de Doenças Crônicas), da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização para Agricultura e Alimentação (FAO), as mesmas do Códex-parece paradoxal não é?

E é mesmo. A comida, sobretudo a industrializada, tem sido apontada como uma das principais causas dessas enfermidades, sobretudo nos Estados Unidos e está se espalhando pelo mundo todo. Praticamente todas as semanas é divulgado um novo estudo ligando o consumo de carne vermelha a algum tipo de câncer. O maior deles, que investigou os hábitos alimentares de 500 mil pessoas na Europa durante cinco anos e foi divulgado no ano passado, mostrou que pessoas que comem carne vermelha e seus derivados têm mais chances de desenvolver câncer de intestino.

4
Em algumas lavouras, o uso de agrotóxicos é assustador: na cultura do tomate, a média é de 40 quilos por hectare em cada safra. “Outros campeões de agrotóxicos são a batata, o morango e a uva”, diz o engenheiro de alimentos Francisco Maugeri Filho, da Unicamp. Ele acrescenta que é justamente por isso que as aclamadas propriedades funcionais do tomate só entram em campo quando ele é cozido. “Só assim os agrotóxicos são desnaturados” , diz.

Muitos destes agrotóxicos são comprovadamente cancerígenos e podem causar problemas de fertilidade em homens e mulheres. Além disso, quando mal utilizados, podem provocar três tipos de intoxicação: aguda, subaguda e crônica. Esta última, a mais letal delas, pode levar a paralisias e doenças severas, como o câncer. “Uma pessoa de 30 anos que ingira agrotóxicos por meio de alimentos, todos os dias, pode vir a sentir esse efeitos aos 60”, afirma Gwendal Bellocq, gerente de certificação do Instituto Biodinâmico (IBD), que atesta produtos orgânicos.

https://blogbiochic.files.wordpress.com/2015/05/brasil-consumidor-de-agrotocc81xicos.jpg
OS TRUQUES PARA ESTIMULAR O CONSUMO DE COMIDAS PROCESSADAS
A comida industrializada é uma fábrica de doenças. Isso por conta dos aditivos, corantes, açúcares e gorduras adicionadas no processo. Fica fácil se certificar disso ao ler rótulos de margarinas. Mas até comidas consideradas inofensivas carregam os mesmos males. Um exemplo é o pão francês, segundo o engenheiro de alimentos Francisco Maugeri, da Unicamp. “Esse alimento é cheio de aditivos e, além disso, o trigo é um cereal de clima frio, que está sendo plantado no cerrado, que é quente. Para que cresça e não tenha problemas com pragas, é lotado de agrotóxicos.”
Primos próximos dos pães, os biscoitos escondem em sua receita o atual campeão de vilania: a gordura trans; (Produtos de confeitaria: usa-se gordura animal na maioria dos doces, bolos e tortas) Seu efeito no organismo é semelhante ao da gordura saturada, portanto, favorece a diminuição do HDL (o colesterol do bem) e o aumento do LDL (o do mal).

O consumo excessivo de gordura trans pode mandar o seu colesterol às alturas. Dizer para que as pessoas nunca mais consumam produtos industrializados, por conta desses problemas, seria uma recomendação fora da realidade para a maioria da população desinformada; Privilegiar o consumo de alimentos frescos e produzidos sob manejo orgânico ou processados sem o uso de aditivos sintéticos é uma alternativa;  O conselho é perfeito, mas, como está muito longe de ser realidade para a maioria das pessoas ,pelo custo alto e pela dificuldade de encontrar tais alimentos em grandes cidades, alguns especialistas consideram a comida, se não a maior, uma das grandes drogas do século 21. Os números sustentam esse raciocínio.

Todos os anos, 200 mil pessoas morrem devido a problemas ligados ao consumo de drogas, segundo a OMS. Parece muita gente, mas, se compararmos à quantidade de gente que morre em decorrência de danos causados pela má alimentação, não é nada. 

Dados mais recentes da mesma organização, de 2001, dizem que mais de 33 milhões de pessoas morreram naquele ano por doenças crônicas ligadas à comida. Nada que é inalado ou aspirado é um matador mais eficaz do que aquilo que é mastigado.

https://i1.wp.com/www.scielo.br/img/revistas/qn/v30n5/a43tab01.gif 
SAIBA O QUE VOCÊ DEVE CHECAR NA HORA DE COMPRAR UM ALIMENTO
Porção – É a quantidade média do produto que, de acordo com as recomendações do fabricante, deve ser usualmente consumida por pessoas sadias.
Medida Caseira – Indica a unidade de medida normalmente utilizada pelo consumidor para quantificar alimentos. Por exemplo: fatias, potes, xícaras, copos, colheres de sopa. A apresentação dessa informação é obrigatória, pois vai ajudar o consumidor a entender melhor os dados nutricionais.
% VD – Porcentual de valores diários (%VD) é um número em porcentual que indica o quanto o produto em questão apresenta de energia e nutrientes em relação a uma dieta de 2.000 calorias.

 

VOCÊ SABE O QUE TEM DENTRO DO QUE ESTÁ COMENDO?


Valor energético
É a quantidade de energia total fornecida pelo alimento, proveniente das gorduras, carboidratos e proteínas. É representada em quilocalorias ou quilojoules.

Carboidratos
São os nutrientes que têm como principal função fornecer energia ao organismo. São encontrados em maior quantidade no açúcar, massas, farinhas e tubérculos.

Proteínas
Nutrientes necessários para construção e manutenção dos órgãos, tecidos e células. Estão presentes, sobretudo, em carnes, ovos, leite e derivados e legumes.

Gorduras totais
Representam a soma das gorduras presentes nos alimentos (origem vegetal e animal). São as principais fontes de energia e ajudam na absorção das vitaminas A, D, E e K.

Gorduras saturadas
São as gorduras de origem animal, presentes nas carnes, leite integral, manteiga, pele de frango etc. Devem ser consumidas moderadamente, pois aumentam o risco de doenças do coração.

Fibra alimentar
Um tipo de carboidrato presente nos alimentos de origem vegetal.

Sódio
Mineral útil para a manutenção do metabolismo, mas o consumo excessivo pode levar à hipertensão. Alimentos com grande quantidade de sal são ricos em sódio.

Gorduras trans
Formada no processo tecnológico que transforma óleos vegetais em gorduras sólidas (hidrogenação)  É usada na fabricação de sorvetes, biscoitos, snacks e produtos de panificação. Dá mais consistência e aumenta o prazo de validade. As gorduras de animais ruminantes (como vaca, cabra, ovelha) contêm pequenas quantidades de gorduras trans. O consumo deve ser reduzido, pois aumenta o risco de doenças do coração.

O QUE ESTÁ POR TRÁS DO HOT DOG
Anatomia de uma salsicha
Ela não é feita com jornal, como muitos imaginam, mas contém outros ingredientes de revirar o estômago;
Retalhos de carne; de suíno e bovino, que contêm de 20% a 30% de gordura, por isso são misturadas a outras mais magras, como acém e pescoço de boi. A cada boi abatido, sobram de 6 a 8 quilos de carne industrial, tiradas da cabeça, bochecha, nuca e diafragma.
Carne de Frango – Retirada do osso, torso, pescoço e o que restou depois da desossa. Essa é uma das matérias-primas mais importantes da salsicha e nos embutidos em geral, correspondendo entre 20% e 40% dos ingredientes
Carne de sangria – O local por onde passa a faca, por onde o boi sangra;Outros ingredientes para compor esta “delícia”;1- 29% Amido de mandioca (fécula);2-Também existe a possibilidade de conter fécula de soja;Aditivos;2,2% de sal; 0,3% de fosfato de sódio;50 a 200 ppm (partes por milhão) de nitrato de sódio;500 ppm de ascorbato de sódio (que acelera processo de fabricação e responsável pela cor rosada do produto final).
CARNE PROCESSADA
A carne processada é a carne misturada com sal, temperos artificiais e conservantes, como o nitrito de sódio, por exemplo. Esta substância é adicionada a alimentos para fixar cor neles, além de evitar que eles estraguem rapidamente.

Presunto, salsicha, linguiça e salame são exemplos de carne vermelha processada. Tanto os conservantes quanto a própria carne processada já foram relacionados por outras pesquisas a diversos problemas de saúde, como com o câncer de pâncreas, por exemplo.

http://3.bp.blogspot.com/-MYnWv6JHYGQ/Ug6MJUChlAI/AAAAAAAABA8/0wtK81me_Ao/s1600/do-que-e-feito-refrigerante.jpg

O MAL DOS REFRIGERANTES
Nós já  estamos cansados de ouvir que os refrigerantes fazem mal à saúde e que são capazes de acabar, em pouco tempo, com a nossa boa forma; o refrigerante é a segunda bebida mais consumida no mundo – atrás apenas da água.  Além de seu alto teor de açúcar, que eleva também o valor calórico da bebida, os compostos presentes nos refrigerantes, como sódio,corantes, acidulantes e conservantes, podem apresentar sérios riscos à saúde do indivíduo a médio e longo prazo.

 https://i0.wp.com/colinhodemae.blog.br/wp-content/uploads/2014/08/perigo_dos_refrigerantes.jpg

O consumo da bebida pode resultar em retenção hídrica, visível inchaço nas pernas e membros inferiores,comprometimento do trato gastro intestinal, sensação de empachamento durante a refeição, desconforto gástrico, etc. Além de possuir muitas substâncias artificiais em sua composição, o refrigerante contém valor nutricional quase nulo. As variações cola, em especial, contam com uma grande quantidade de fosfatos, que em excesso, provocam o enfraquecimento dos ossos através da liberação do cálcio.

Dessa forma, é facilitada a incidência de doenças ósseas, como a osteoporose. A bebida ainda é rica em açúcar, que além de prejudicar a boa forma, propicia o surgimento de cáries, principalmente nas crianças.Ainda que o nome “soe menos agressivo”, os refrigerantes light e zero também são prejudiciais em muitos aspectos. Apesar do teor de açúcar ser reduzido – no caso do light – e eliminado – no caso do zero – e, portanto, o valor calórico dos dois ser bem menor do que o do refrigerante normal, eles contam com uma quantidade de sódio muito maior em sua composição.

“Na versão light, 25% do valor calórico ou de algum componente do refrigerante foi reduzido e na versão zero o açúcar foi totalmente excluído. Mas vale ressaltar que essas versões têm uma quantidade de sódio muito elevada, colaborando para a retenção de líquido e aumento da pressão arterial,sem contar os perigos tóxicos dos adoçantes, leia-se aspartame, edulcorantes e ciclamatos.

OBS;-Fosfatos: derivados do glicerol e de ácidos graxos. Podem também vir de ossos de animais.
O PERIGO DAS MARGARINAS (Manteigas também)
Seu processo atual inclui o uso de solventes de petróleo (geralmente o hexano, bem barato), ácido fosfórico, soda, resultando numa substância marrom e malcheirosa, que sofre novo tratamento com ácidos clorídrico ou sulfúrico, altas temperaturas e catalisação com níquel, que deixa o produto parcialmente hidrogenado. Isso resulta em um produto com longo prazo de conservação, textura firme mesmo em temperatura ambiente, que não rancifica, não pega fungos nem é atacado por insetos ou roedores. Enfim, é um não-alimento.

 
https://portal2013br.files.wordpress.com/2015/04/56.jpg?w=517&h=381 
Interessante é saber que a  diferença entre o plástico e a margarina é de apenas UMA MOLÉCULA… 

Basta isso para evitar por toda a vida a margarina e tudo o que for hidrogenado (isto significa que acrescentaram hidrogênio, mudando a estrutura molecular da substância).

Você pode experimentar por si próprio. Compre uma embalagem de margarina e deixe-a aberta na sua garagem ou algum lugar sombreado.

Em poucos dias você vai notar duas coisas: nenhuma mosca (nem aquelas terríveis mosquinhas das frutas) vai chegar perto dela (isso deveria lhe dizer alguma coisa) …

Não vai apodrecer nem ficar com cheiro esquisito..Como não tem nenhum valor nutritivo, nada crescerá nela, nem mesmo aqueles microrganismos minúsculos encontrarão ali um lar para viver. Por quê? Porque é quase plástico.

https://i0.wp.com/adm.novacachoeira.com.br/arquivos/noticias/ea3987c6dcc52547e3a40f7282176114-noticias-noticias-cachoeira-do-sul-cachoeira-do-sul-noticias-portal-de-noticias-cachoeira-do-sul-portal-cachoeira-do-sul.jpgO EXCESSO DE SAL E SEU EFEITO NO ORGANISMO
Consumir sal em excesso faz mal a saúde. Boa parte da população já está acostumada a ouvir a dica de especialistas, normalmente unânimes em recomendar o seu uso moderado.

No entanto, por ser algo tão arraigado aos costumes diários, pouca gente presta atenção no aconselhamento, o que é um erro e pode provocar graves problemas de saúde. Os perigos de salgar demais a comida podem ser devastadores a médio e longo prazo.

E, claro, o seu coração sentirá e responderá ao consumo exagerado dele. Antes de condenar o uso da sal, é necessário lembrar que, se usado com moderação, ele não faz mal. Isso porque o sal é rico em sódio, ou seja, uma substância essencial para manter o equilíbrio de líquidos no corpo e ajudar na transmissão de impulsos nervosos e no relaxamento muscular. O problema está no consumo em excesso.

Ao consumir além do recomendado ele reterá líquido e, consequentemente, aumentará o volume de sangue nas artérias. O desequilíbrio na concentração de plasma sanguíneo faz com que o coração acelere os batimentos, o que provoca a hipertensão. 

A relação entre o consumo excessivo de sódio e o aumento da pressão arterial é velha conhecida da ciência. “Quanto mais as pessoas abusam do saleiro, mais alterados ficam as funções da artéria carótida, como a elasticidade e a rigidez”; isso prova que o excesso de sódio aumenta o risco de doenças cardiovasculares.

https://i2.wp.com/emagrecimentoacelerado.com/wp-content/uploads/2014/11/A%C3%A7%C3%BAcar-O-Perigo-Doce-Da-Sua-Sa%C3%BAde.jpgO AÇÚCAR  REFINADO E OS PROBLEMAS COM O DIABETES
Os endocrinologistas, cardiologistas e dentistas são os principais combatentes do açúcar refinado.

Visível em pedaços e em pó ou invisíveis nos bolos, balas, refrescos e outros, o açúcar refinado é apontado como uma das maiores causas de cárie dentária, da obesidade, da arteriosclerose, do diabetes em pessoas propensas, e até da infertilidade nas mulheres.
 
O açúcar refinado é de fácil digestão, caindo rapidamente no sangue e liberando um hormônio chamado Insulina que transforma o açúcar em gordura e retira-o logo do sangue, provocando a hipoglicemia (falta de açúcar), manifestada por sintomas como a sonolência, cefaleia, a tensão nervosa e a irritabilidade.

Os açúcares existentes nos alimentos dispensam o uso do açúcar refinado. As origens da dependência orgânica do açúcar já foram desmistificadas por pesquisas médicas que mostraram que ela é basicamente psicológica. Existem casos em que ele é necessário, como na hipoglicemia funcional, quando se obriga a uma ingestão de doses de açúcar rapidamente. Entretanto, o tratamento da hipoglicemia, em longo prazo, consiste em restringir o uso de açúcar nos momentos de crise, substituindo-o por frutas.

O CAMINHO DO AÇÚCAR
Quando os alimentos passam pelo intestino, onde a glicose é absorvida, há um sinal para que o pâncreas produza Insulina, hormônio responsável por fazer com que a glicose que chegou à corrente sanguínea entre nas células e nos músculos do corpo, que usam o açúcar como fonte de energia.

Quem ingere mais glicose que o necessário acaba armazenando a substância sob a forma de gordura. A insulina também faz com que a glicose entre nas células do tecido adiposo, por isso o excesso desse hormônio acarreta ganho de peso.Já na falta da insulina, que ocorre em diabéticos, a glicose não consegue entrar nas células e fica na corrente sanguínea, não se transformando em energia. Isso causa a hiperglicemia, ou seja, alto índice de açúcar no sangue – que também pode estar presente na urina.

https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSY-8QCi5VqVP-zVlUkOQxiyPLNvJsv1T9ZhZMEkpYX3iSl0MnBTIPOS DE DIABETES
Na diabetes tipo 1, um processo imunológico destrói as células que fabricam insulina. 

Em geral, a doença se manifesta na infância ou adolescência, e o pacientes precisam tomar insulina pelo resto da vida.

O tipo 2 é o mais comum. 

Na maioria das vezes, está associado à obesidade ou à presença de gordura abdominal. Costuma aparecer depois dos 45 anos de idade. O tratamento tradicional é feito com remédios(?),mas pode-se obter uma melhora e a cura completa com exercícios físicos e dieta equilibrada, utilizando a medicina alternativa(homeopatia) e recursos da Mãe Natureza.

O diabetes (Diabetes mellitus) é uma doença metabólica crônica que atinge cerca de 6% da população mundial. É caracterizada por um aumento anormal da glicose ou açúcar do sangue e em casos de falta ou tratamento inadequado pode causar vários outras complicações, incluindo insuficiência renal, infartos, derrame cerebral, problemas visuais e lesões de difícil cicatrização.

Com relação a alimentação, existem algumas ervas medicinais que são benéficas para diabéticos, vez que regulam a taxa de açúcar no sangue e podem substituir o açúcar e outros adoçantes. Além disso, algumas ervas podem aumentar a sensibilidade à insulina, reduzir a pressão arterial elevada e diminuir o colesterol alto. As ervas para diabéticos, apesar de apresentarem pouco ou nenhum efeito colateral, devem ser adicionadas à dieta sob supervisão médica.

UM TRATAMENTO NATURAL PARA A DIABETES
Um ótimo remédio natural para diabetes é o poejo, pois esta planta medicinal possui em sua composição o cromo que melhora a ação da insulina no organismo, diminuindo a concentração de açúcar no sangue.
 
O Poejo  é rico em zinco e cromo e, o zinco ativa as células beta do pâncreas, fazendo-o secretar mais insulina. 

https://i2.wp.com/chabeneficios.com.br/wp-content/uploads/2014/12/cha-de-quixaba-beneficios-e-propriedades.jpeg https://i2.wp.com/s2.glbimg.com/glraG7i4lishO4ltyn5dZTRXPbI=/400x280/top/e.glbimg.com/og/ed/f/original/2013/12/02/poejo.jpg

Quixaba                                                     Poejo

Já o cromo melhora o efeito da insulina, podendo ser utilizado no tratamento da diabetes porque normaliza a glicemia sanguínea. Outro remédio caseiro, é o consumo diário da farinha da casca do maracujá; também pode ser usado para diabetes  o chá de Quixaba, pois este ingrediente ajuda a controlar o açúcar no sangue;a casca da quixaba pode ser usada para fazer um remédio caseiro que ajuda no tratamento de doenças dos rins e diabetes e possui propriedades tônica, anti-inflamatória, hipoglicemiante e cicatrizante.

A única contraindicação é que o uso  contínuo da quixaba pode provocar hipoglicemia. Deve ser feito o controle da taxa de glicose antes de ingerir o chá para que a glicose não caia a níveis abaixo do normal.

https://lh3.googleusercontent.com/73qjKwnOSbs0fxgYyIqfIC_81wvStTOYfhfdcLI_kiw=w600-h300Melão-de-São-Caetano – Momordica charantia
O melão-amargo apresenta capacidade de diminuir os níveis de açúcar no sangue, sendo útil para o tratamento do Diabetes mellitus.

Essas propriedades químicas que reduzem o açúcar no sangue são encontradas com maior abundância no fruto do melão-amargo e são uma mistura de saponinas esteroides, conhecidas como esteroide-charantina, insulina, peptídeo C e peptídeo insulinotrópico glicose-dependente (GIP), além de alcaloides.

https://lh6.googleusercontent.com/Ii3zyQvea_-qQrDeBRF_AcwtVoqpXq6FMbtRRCOaE08=w600-h300Jamelão – Syzygium jambolanum
O jamelão é muito conhecido por sua habilidade em abaixar níveis de açúcar de sangue, auxiliando no tratamento do diabetes, sobretudo as sementes (conhecidas como caroço), quem impedem a conversão do amido em açúcar.

O suco da fruta também tem essa propriedade, porém o efeito das preparações de sementes é mais acentuada. O extrato aquoso das sementes do jamelão produzem uma queda acentuada do açúcar no sangue. As sementes do jambu contém jamboline, substância que controla a conversão excessiva de amido em açúcar. O jambu também reduz a quantidade de açúcar na urina e alivia a sede insaciável.

https://lh5.googleusercontent.com/-uQSsWmmHUz0/U0L7f5qITOI/AAAAAAAABh0/so7jt_ZBsrE/w600-h300-no/gymnema-sylvestre-para-diabetes.jpgA Gymnema sylvestre  é considerada uma das ervas mais eficazes para controlar o açúcar no sangue. 

Quando usada antes das refeições, deixa os blocos de açúcar com gosto mais ácido, reduzindo assim, o desejo de consumir açúcar. As moléculas do principio ativo da Gymnema sylvestre bloqueiam os receptores de gosto açucarado nas papilas gustativas por algumas horas. Também ajuda estabilizar níveis de açúcar no sangue e aumenta a produção de insulina.

2a parte:

O CONSUMO DAS CARNES – UMA QUESTÃO DE SAÚDE AMBIENTALISMO, ÉTICA E ESPIRITUALIDADE

A carnes de animais mortos para a alimentação humana não é saudável.

E falamos de todas elas, já que temos contaminação por remédios veterinários, antibióticos nas carnes de aves á índices altíssimos e no caso dos peixes, sabe-se que cada vez mais estão entrando nesta lista perigosa, devido á contaminação por mercúrio, poluição dos mares e rios e cultivo de peixes em escala industrial, caindo nos mesmos procedimentos das carnes.

A menos que se pesque um salmão no Alasca ou em regiões marítimas longínquas da costa, cairemos no mesmo problema.Aqui no Brasil, milhares de toneladas de peixe congelado da China e do Vietnam, altamente contaminados com coliformes fecais e mercúrio, estão sendo comercializados por preços convidativos sem qualquer suspeita da população;

São peixes capturados nas palafitas dos rios destas regiões pobres, onde a população despejas seus esgotos domésticos.

“Fizemos testes que mostraram grande quantidade de tripolifosfato, substância que aumenta a absorção de água e sódio nos peixes”, acusa Giovani Monteiro, presidente do Sindicato dos Armadores e das Indústrias de Pesca de Itajaí e Região (Sindipi), em Santa Catarina.

Os importadores negam problemas de qualidade e garantem que seguem todos os procedimentos exigidos pelas autoridades brasileiras.(?)

A justificativa para um preço tão baixo está na indústria asiática, que trabalha focada na produção em grande escala e com baixo custo de mão de obra.

“Isso torna a China a maior processadora de pescado do mundo, apesar de não ter barcos de captura. O mundo inteiro pesca e envia para processar na China”, explica Diego Fávero, diretor de Logística do Grupo 5 Business Solutions, especializado no mercado de frutos do mar.

Na mais recente ação contra produtos da pesca importados da China, a Food and Drug Administration (FDA), a agência de controle de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos, bloqueou  a venda de cinco tipos de peixes e frutos do mar criados na China devido aos repetidos casos de contaminação com aditivos alimentares e medicamentos veterinários não aprovados.

O anúncio sobre os peixes e frutos do mar ocorre após uma série de relatos nos últimos meses de importadores chineses, que fracassaram em atender aos padrões de segurança e saúde americanos:

Mas o anúncio poderá ter o maior impacto sobre a China, a maior produtora mundial de peixes criados em fazenda. O país também é o maior fornecedor estrangeiro para os Estados Unidos, responsável por 22% do total de importações.

Os peixes e frutos do mar citados no “alerta importante” da FDA são o camarão; bagre; enguia; basa, semelhante ao peixe-gato; e dace, semelhante à carpa.

Alguns dos contaminantes citados foram apontados como causa de câncer em animais de laboratório, enquanto outros podem aumentar a resistência a antibióticos.

Sob o alerta de importação, os peixes e frutos do mar podem ser vendidos nos Estados Unidos apenas se os importadores fornecerem testes independentes comprovando que os peixes e frutos do mar não contêm os contaminantes.(?)

Um dos mais recentes estudos sobre o consumo de carne e seus efeitos no organismo é resultado de uma pesquisa publicada no periódico Archives of Internal Medicine.

Segundo o estudo, conduzido na Faculdade de Saúde Pública de Harvard, nos EUA, o consumo de carne vermelha pode aumentar os riscos de morte prematura, além do aparecimento de doenças cardiovasculares e câncer.

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores analisaram dados de dois estudos sobre os hábitos alimentares de 37.698 homens e 83.644 mulheres durante 28 anos.

Nesse período, foram registradas 23.926 mortes, sendo que 5.910 aconteceram devido a uma doença cardiovascular e 9.464, a algum tipo de câncer.

Os autores do estudo observaram que um maior consumo de carne vermelha foi associado ao aumento do risco de problemas cardiovasculares e casos de câncer. Embora essa chance tenha sido elevada para todos os tipos do alimento, ela foi maior em relação à carne vermelha processada.

O mesmo foi identificado em relação a casos de morte prematura decorrentes de problemas de saúde em geral. Os resultados mostraram que comer uma porção de carne vermelha processada ao dia aumenta esse risco em 20%. Esse índice é de 13% para carne não processada.

A pesquisa também indicou que, além de comer menos carne vermelha, trocá-la por outros alimentos é capaz de diminuir as chances de morte prematura.

Segundo o estudo, essa redução pode ocorrer com a substituição  por frutas secas, legumes e de grãos. Para os especialistas, comer menos carne vermelha significa reduzir as chances de doenças crônicas e, consequentemente, de mortalidade decorrente de problemas de saúde em geral.

A Conscientização sobre não consumir qualquer tipo de carne, depende da consciência desperta de cada um, da maneira individual de ver a alimentação do corpo, sua estrutura de luz,as potencialidades que estão irremediavelmente ligadas á isso e passíveis de serem despertadas por fatores bio genético-físico-químicos;sem contar a consciência ambiental em relação ao planeta e á espiritualidade, onde matar é desumano,cruel e vai contra as leis da VIDA, onde todos, indiscriminadamente, temos direito á ela;onde causar sofrimento desnecessário aos animais é um ato bárbaro que não condiz com nossa origem divina.


A AMEAÇA DOS TRANSGÊNICOS

Transgênicos são produtos criados pela engenharia genética a partir da introdução de genes de determinados organismos (animais ou vegetais) em outros seres vivos que jamais se cruzariam naturalmente.

Essa nova tecnologia permite, por exemplo, introduzir um gene humano num porco, ou um gene de rato, de peixe, de bactéria ou de vírus em espécies de arroz, soja, milho, tomate, batata ou qualquer outro vegetal.

As empresas que mais têm investido na produção de transgênicos são as multinacionais que atuam na produção de insumos para agricultura, produzindo sementes e agrotóxicos.Já falamos acima sobre o Códex, onde estão explicadas as razões de toda esta intrincada ação governamental á nível mundial.

E nós, brasileiros, onde seremos afetados?

A introdução da soja transgênica no Brasil vai favorecer unicamente aos EUA, que atualmente tem dificuldades em exportar a sua soja para a Europa; ficar à mercê dos interesses das grandes multinacionais, que querem obrigar os consumidores europeus a aceitar a soja americana transgênica, por falta de opção.

É com pesar que vemos nosso governo submeter­-se aos interesses do grande poder econômico e tecnocrático sem pátria, editando medida provisória, inconstitucional e imoral, que fere decisões judiciais e chega ao cúmulo de conferir legalidade a uma safra de soja transgênica resultante do plantio de sementes contrabandeadas, já que sua produção estava proibida no país.

OS RISCOS PARA A NOSSA SAÚDE

Aumento das alergias:

Quando se insere um gene de um organismo em outro, novos compostos podem ser formados, alterando principalmente proteínas e aminoácidos do organismo que recebeu o gene. Se esse produto, um transgênico, for alimento, as substâncias modificadas nele contidas podem provocar alergias em parcelas significativas da população.

Na Inglaterra, uma pesquisa constatou um aumento de 50% dos casos de alergia aos produtos à base de soja geneticamente modificada e aumento de resistência aos antibióticos;

Para se certificar de que a modificação genética deu certo, são inseridos nos transgênicos os chamados genes marcadores de bactérias resistentes a antibióticos.

Com isso, pode ocorrer o aumento da resistência a antibióticos nas pessoas que consumirem esses alimentos, ou seja, em casos da necessidade do uso de antibióticos, pode ocorrer a redução ou anulação da eficácia desses medicamentos, o que é um sério risco para a Saúde Pública.

Aumento das substâncias tóxicas nos alimentos:

Existem plantas e micro-organismos que produzem substâncias tóxicas para se defender de seus inimigos naturais, como os insetos, por exemplo. Se genes desses organismos forem introduzidos em alimentos transgênicos, o nível dessas toxinas aumenta muito, o que irá causar danos à saúde das pessoas que consumirem esses produtos.

Até o momento, são poucos os estudos sobre a avaliação da toxicidade dessas substâncias introduzidas intencionalmente nas plantas. Tais substâncias estão entrando na composição dos nossos alimentos sem qualquer estudo prévio que garanta a segurança como é obrigatório(?) para outros aditivos tais como corantes, acidulantes, aromatizantes, etc.

Riscos ao meio ambiente: Os perigos que os transgênicos podem oferecer ao meio ambiente são muitos e não foram suficientemente avaliados.

Com a inserção de genes de resistência aos agrotóxicos em certos produtos transgênicos, as pragas e plantas invasoras poderão adquirir a mesma resistência, o que vai exigir a utilização de quantidades cada vez maiores de agrotóxicos nas plantações, contaminando os alimentos, a água e o solo.

Através da polinização, vários dos genes introduzidos nas plantas podem ser introduzidos em plantas nativas ou outras plantas cultivadas não transgênicas, havendo o risco de causar a extinção de espécies e modificações nos ecossistemas.

A introdução de genes para produção de substâncias tóxicas nas plantas, com o intuito de controlar as pragas, pode levar à extinção de espécies do mundo animal. Tal fato ocorreu com o milho, nos EUA, que praticamente extinguiu a espécie de borboleta monarca, que não é praga do milho, mas sim um agente polinizador.

Para concluir, deve-­se ressaltar que não há estudos suficientes sobre os riscos que os transgênicos oferecem ao meio ambiente. Em várias partes do mundo, pesquisadores alertam para o perigo que representa a introdução de uma espécie transgênica, pois o gene modificado pode se propagar sem controle, trazendo alterações imprevisíveis em um ecossistema.

O SEU ÓLEO DE COZINHA É O SEU VENENO DIÁRIO. POR ISSO MUDE PARA O ÓLEO DE COCO OU USE AZEITE

Durante muito tempo ouvimos que o melhor óleo para cozinhar era  o óleo de Canola, imaginando que era o melhor dos óleos, rico em  “ÔMEGA 6”.

Outras fontes nos informavam que os óleos de girassol e os óleos de milho eram bons, mas o óleo de canola era melhor;com certeza já ouvimos de alguém que é importante fazer uso de óleos e gorduras saudáveis, preferindo entre outros o óleo de canola sobre os demais.

Afinal, ele exibe em seu rótulo selos de “aprovado pela “associação de cardiologistas“, rico em óleos monoinsaturados.

Quando estudamos um pouco sobre o que o óleo de canola representa para a saúde, logo compreendemos que há um equívoco em listar o mesmo entre opções benéficas para o corpo.

Obviamente um equívoco intencionalmente fabricado; de fato ,os pesquisadores sérios atestam  sobre o óleo de canola ,por perceber o mesmo como um bom exemplo da atuação da indústria alimentícia.Canola não é uma planta: é um nome comercial. É a sigla de Canadian Oil Low Acid.

A flor amarela das fotos é de uma planta hibridizada chamada “colza“. A colza é o resultado do cruzamento de várias sub-espécies de plantas da mesma família com o objetivo de obter uma semente com baixo teor de ácido erúgico, uma vez que este é inadequado ao consumo humano.

Ainda assim, isto é muito menos relevante do que o fato de que 80% de toda a canola plantada no mundo atual é geneticamente modificada, contendo gens artificialmente criados em laboratório para resistir a pesticidas altamente danosos para tudo o que não contém este gene específico.

A planta recebe grandes dosagens deste pesticida ao longo de seu ciclo e o armazena em seus lipídeos… ou seja, no óleo.

O fato é que TODOS os óleos vegetais altamente processados e refinados, tais como o de milho, o de soja, o de algodão e também o de canola são compostos de significativas porções de óleos poliinsaturados, os quais são altamente instáveis e se deformam na luz, no calor e na pressão, os quais oxidam-se intensamente e aumentam razoavelmente a presença de radicais livres no corpo, envelhecendo-o prematuramente e contribuindo para desequilíbrios específicos.

O resultado destes processos industriais de refinamento são óleos altamente inflamatórios, que contribuem diretamente para ganho de peso, doenças degenerativas e… doenças do coração, isso mesmo.Sim, pois uma simples verdade é que uma das principais contribuintes para doenças do coração são processos inflamatórios que se instalam nas artérias e demandam que o corpo direcione moléculas de colesterol, que são utilizadas como uma espécie de “bálsamo“ para arrefecer a inflamação nos tecidos.

O Óleo de Coco Virgem é uma das gorduras mais saudáveis e medicinais para o corpo humano, repleta de benefícios (como ampliação da capacidade imunológica) e resistente ao calor.

O óleo de coco é um poderoso nutriente e emagrecedor, pois seu consumo diário proporciona muitos benefícios à saúde e ao corpo; é um antioxidante eficaz extraído do fruto maduro, fresco ou seco e está sendo cada vez mais procurado no comércio do ramo de suplementos alimentares.

Ele contém vitaminas, minerais, ácidos graxos essenciais e ácido láurico (mesma substância encontrada no leite materno) entre outros componentes que promovem mais qualidade de vida.

O azeite de oliva extravirgem oferece atributos especialíssimos à saúde. 

Ele é rico em ácidos graxos monoinsaturados, como o ácido oleico, que melhoram o perfil das gorduras do sangue: abaixam o colesterol ruim e aumentam o bom.

Além disso, por ser prensado a frio, o extravirgem é tão puro que pode ser comparado a um suco de frutas: preserva os antioxidantes da azeitona, notadamente os polifenóis e a vitamina E.

Os demais óleos vegetais recebem solventes químicos ao passarem pelo processo de refinação e com isso perdem boa parte desses agentes benéficos.”Os antioxidantes do azeite impedem a ação dos radicais livres que provocam a oxidação do colesterol e o acúmulo de placas de gorduras nos vasos”, concluiu um trabalho realizado por bioquímicos da Universidade Estadual Paulista em Botucatu, no interior de São Paulo, comprovando o que havia sido demonstrado em pesquisas anteriores conduzidas na Europa (sobretudo em países mediterrâneos, como Itália, Espanha, França e Grécia) e nos EUA.


OS PERIGOS DO LEITE – O Mito do Cálcio

Existe uma ideia geral de que “leite tem cálcio” e “cálcio faz bem para os ossos“. O leite de vaca possui níveis altíssimos de cálcio, ideais para um bezerro, mas não para nós. O ser humano absorve apenas 32% desse cálcio. A absorção de cálcio depende da presença correta de outros elementos como magnésio. O cálcio em excesso está diretamente relacionado com o desenvolvimento da osteoporose e não a prevenção.

Um pessoa que não tem muito magnésio na dieta não fará a absorção correta do cálcio. Para onde irá esse cálcio do sangue? Aliado à gordura do leite, o cálcio irá se depositar nas veias e artérias do coração.É difícil acreditar mas o consumo de leite aumenta as chances de doenças cardiovasculares.“Leite não previne osteoporose e possivelmente contribui para o desenvolvimento de DCV (doença cardiovascular)”.

A relação correta de cálcio e magnésio pode ser perfeitamente obtida dos vegetais. Verduras e legumes verdes com brócolis, couve, alface, abobrinha são ricos em magnésio.

Não é estranho que sejamos a única espécie que depende do leite de outra espécie para suprir suas necessidades de cálcio? Se isso não está correto, por que bebemos o leite então?

Pelo mesmo motivo que bebemos cerveja. Não é saudável, mas alguém está ganhando dinheiro com isso.

PORQUE AUMENTA O ÍNDICE DE CÂNCER EM QUEM TOMA LEITE? 

Bom, os hormônios secretados nele são fatores de crescimento. E o câncer é um descontrole do crescimento de células do corpo em ambiente propício, estimulado por estes fatores de crescimento. Tomar leite é fazer uma reposição hormonal “não solicitada”. Estimula o câncer de próstata nos homens, mas é pior ainda nas mulheres.

E COMO É PRODUZIDO O LEITE ?

Uma vaca livre na natureza vive 25 anos, e produz em média 5 litros de leite por dia para seus bezerros. Contudo, vacas leiteiras não são livres. São vacas confinadas. Elas passam o dia sendo ordenhadas mecanicamente, para extrair leite até a última gota. Essas vacas são constantemente engravidadas de maneira artificial. Isso aumenta sua produção. Mas também aumenta a liberação de muitos hormônios.

Não, não é um enfeite, nem um modismo, não é piercing. 
É um bezerro fêmea com chips nas orelhas e anel de desmame

Aliás, elas recebem hormônios de crescimento (BGH, posilac) para aumentar a produção. Esses hormônios injetados vão parar no leite. Como se não bastasse, a ordenha mecânica estimula a secreção de mais hormônios ainda.

Por causa dessa ordenha mecanizada, ocorre a incidência de infecções e mastites nas glândulas mamárias. Mas a ordenha não para. São administradas altas doses de antibióticos. Agora o leite tem hormônios, antibióticos, fungos e bactérias das glândulas da vaca.No final das contas, a vaca leiteira vive em média 5 anos e produz 60 litros de leite por dia.

Alimentos orgânicos, além de serem cultivados sem o uso de agrotóxicos ou outros produtos sintéticos, são resultantes de um sistema que busca manejar os recursos naturais de forma harmoniosa, garantindo a saúde não só de quem os consome, mas também de todo o ambiente em questão.

Este tem como precursor o pesquisador inglês Sir. Albert Howard; que frisava que a fertilidade do solo é o fator essencial para a eliminação das doenças em plantas e animais.

Assim, tal modalidade agrícola considera a interdependência entre solo, planta, ambiente e homem; reconhecendo o primeiro como um organismo vivo.Ao contrário da agricultura convencional, a agricultura orgânica pratica a rotação de culturas; com manejo do solo baseado na utilização de matéria tanto vegetal quanto animal para a adubação, permitindo a manutenção de seus organismos e aporte de nutrientes.

Assim, húmus de minhoca, esterco curtido, adubação com leguminosas, dentre outras técnicas, são empregadas visando este objetivo. A aplicação de minerais naturais e controle biológico de pragas são outros aspectos relacionados a essa prática, que exclui completamente a utilização de transgênicos.Sistemas orgânicos são, também, contrários à aplicação de monoculturas, buscando respeitar a sazonalidade dos alimentos.

Além disso, incentivam o trabalho de pequenos produtores, considerando aspectos relacionados à tradição, cultura e mecanismos de organização social local; e fornecendo condições trabalhistas, econômicas e sociais justas.

Para ser considerado orgânico, o produto tem que ser produzido em um ambiente de produção orgânica, onde se utiliza como base do processo produtivo os princípios agro-ecológicos que contemplam o uso responsável do solo, da água, do ar e dos demais recursos naturais, respeitando as relações sociais e culturais.

CONSIDERE ESTES MOTIVOS PARA CONSUMIR ALIMENTOS ORGÂNICOS

1) O consumo de produtos orgânicos protege a saúde.
Os resíduos dos aditivos químicos, pesticidas, hormônios de crescimento, antibióticos que permanecem nos alimentos à longo prazo podem provocar reações alérgicas, respiratórias, problemas neurológicos, distúrbios hormonais (em homens e mulheres), desenvolver determinados tipos de cânceres, diminuição da fertilidade (redução do número de espermatozoides).

2) Os alimentos orgânicos são mais nutritivos. 
Embora ainda exista muita discussão a respeito do assunto e nenhum consenso científico,  solos mais ricos e balanceados com adubos naturais  produzem alimentos com maiores concentrações de nutrientes, fitoquímicos antioxidantes, como polifenóis e carotenoides, que os alimentos produzidos convencionalmente.

3) Sabor e aroma mais intensos.
A ausência de agrotóxicos ou produtos químicos contribui para o sabor e o aroma naturais. Além disso, frutas e vegetais orgânicos crescem mais lentamente e tendem a ser menores.

4)  O produto orgânico é certificado.
Tem origem quase  sempre de fontes confiáveis.

5) Protege futuras gerações de contaminação química.
A  intensa utilização de produtos químicos na produção de alimentos afeta o ar, o solo, a água, os animais e as pessoas. A agricultura orgânica exclui o uso de fertilizantes sintéticos, agrotóxicos ou qualquer produto químico, e tem como base de seu trabalho a preservação dos recursos naturais.

6) Evita a erosão do solo.
Através de técnicas agronômicas, o solo se mantém fértil e permanece produtivo ano após ano. A erosão também pode ocorrer no sistema orgânico, mas a auditoria da certificadora exigirá que seja evitada.

7) Protege a qualidade da água. 
Os agrotóxicos utilizados nas plantações atravessam o solo, alcançam os lençóis d`água e poluem rios e lagos.

8) Restaura a biodiversidade, protegendo a vida animal e vegetal. 
A agricultura orgânica respeita o equilíbrio da natureza, criando ecossistemas saudáveis. A vida silvestre, parte essencial do estabelecimento agrícola é preservada e áreas naturais são conservadas (nascentes de água são protegidas, as áreas desmatadas são reflorestadas, os animais e a vegetação nativa são preservados).

9) Ajuda os pequenos agricultores.
Em sua maioria, a produção orgânica provém de pequenos núcleos familiares, que tem na terra a sua única forma de sustento.

A desvantagem do consumo desses alimentos ainda é o preço, geralmente é mais alto do que o de produtos convencionais.

A boa notícia é que o preço pode diminuir quando a produção e o consumo aumentarem. Na impossibilidade de adquirir um alimento orgânico, lavar bem os vegetais em água corrente e remover a casca dos vegetais e frutas  ajuda a reduzir parcialmente os resíduos dos agrotóxicos.

Os cereais integrais incluem três partes do grão – o farelo, o endosperma e o gérmen. Os grãos que não-integrais não têm o farelo e o gérmen, os componentes com maior conteúdo nutricional, deixando apenas o endosperma com amido.

O gérmen e o farelo encontrados nos cereais integrais são fontes ricas de antioxidantes, vitaminas, minerais e fitonutrientes, compostos orgânicos de plantas que são necessários para sustentar a vida humana.

Exemplos de alimentos integrais facilmente disponíveis incluem o arroz integral, o arroz selvagem, a farinha de aveia, a pipoca e o trigo integral. Outros grãos inteiros que estão ganhando popularidade incluem a quinoa, painço, sorgo, amaranto, bulgur e triticale (cruzamento artificial de trigo com centeio).

DICAS PARA USAR OS INTEGRAIS NO DIA Á DIA;

1- Use pães integrais em sanduíches;

2- Substitua o arroz branco pelo arroz integral em suas receitas favoritas;

3- Adicione cevada integral às sopas ou ensopados;

4- Coma cereais integrais no café da manhã ou como lanches;

5- Tente substituir o macarrão comum pelo que é feito de trigo integral;

CONCLUSÃO

Depois desta viagem pelo mundo da alimentação atual, podemos perguntar; porque muita gente tem enorme dificuldade ou simplesmente não consegue mudar a sua alimentação, apesar de toda a informação disponível hoje em dia?

A resposta não é simples. O hábito alimentar de uma pessoa não é determinado exclusivamente por seu paladar; ao contrário; A comida que nossos pais colocavam à mesa, a cultura, o ritmo de vida, entre outros , são apenas alguns dos ingredientes que se somam para formar o que se chama de padrão alimentar.


E mudar uma rotina estabelecida, que, em alguns casos, nos acompanha desde a infância, não é nada fácil. (Será ??)

Mudar hábitos que já fazem parte de nossa rotina não é tarefa simples. O ato de comer é um prazer no qual os cinco sentidos estão envolvidos e, por isso, é mais difícil esquecer algo tão envolvente;

Outro fator que dificulta a troca de hábitos alimentares é o próprio sabor dos alimentos. A gordura, um dos principais componentes das junk foods, é também um dos fatores que mais ajudam a torná-las saborosas.

A palatabilidade tem relação com o modo com que o ser humano foi sendo selecionado ao longo dos milhares de anos, ou seja, selecionado para estocar energia;

Assim, comidas mais calóricas, ricas em energia, são naturalmente escolhidas e vivenciadas como prazerosas.Outro fator importante quando se pensa em rever a alimentação é o estado emocional e psicológico. Alguns estudos mostraram que as mulheres, mais do que os homens, tendem a se alimentar de forma desordenada e compulsiva quando deprimidas ou sob estado de estresse intenso.

A ESTRATÉGIA DO MARKETING ALIMENTAR

Estudos também vêm mostrando que alguns alimentos parecem ter mesmo alguma capacidade de reduzir a ansiedade, como é o caso do chocolate. Por isso, ele é uma das primeiras escolhas de pessoas que vivem sob tensão.

No caso das mulheres, há um outro importante componente a dificultar a mudança dos hábitos alimentares: a imagem corporal, amplamente estimulada pela mídia. Em situações como essa, a comida muitas vezes deixa de ser um conforto e passa a ser uma inimiga. Não é à toa, portanto, que os distúrbios alimentares, como bulimia e anorexia, afetem mais mulheres do que homens.

Buscar informações a respeito do valor nutricional dos alimentos, da forma adequada de se alimentar e do número mais adequado de porções diárias de cada alimento é sem dúvida uma atitude importante quando se quer mudar.

Como fazer, então, com que uma pessoa incorpore novos hábitos? Para os especialistas, a melhor maneira é por meio da educação e informação.

O processo requer tempo, a fim de que também haja tempo para que as pessoas se adaptem às novidades. Quanto mais radicais forem as determinações, menos chances de sucesso se terá.

Ao mesmo tempo que estimulamos as mudanças, fazemos com que elas aconteçam de forma gradativa e constante, sem radicalismos. Fazendo uma metáfora,é como dirigir. Com o tempo, nem percebemos que uma parte de nossa atividade está voltada para evitarmos acidentes, mas ela está. O mesmo acontece com a alimentação.

Os novos hábitos só serão incorporados, entretanto, se houver prazer nessa troca. Hoje em dia, as pessoas necessitam de sugestões nutritivas, práticas e que proporcionem prazer. Por meio do conhecimento da rotina diária de cada um é possível indicar sugestões que sejam fáceis e rápidas de preparar e que facilitem o seu dia-a-dia, não o tornem mais complicado.

 

O marketing por trás de um produto é capaz de criar um desejo que talvez você nem tivesse: o de comprar aqueles alimentos conhecidos como calorias vazias, ou seja, repletos de calorias e pobres de nutrientes saudáveis.

As propagandas também são capazes de criar especialmente em crianças, a vontade de visitar certos restaurantes ou lanchonetes ou de comer determinado tipo de alimento. A oferta de produtos (muitos deles nada benéficos à saúde) é imensa hoje em dia.

Você já notou quantos alimentos coloridos e simpáticos estão à disposição nas prateleiras dos supermercados?

Outra situação é o caso de certas populações ao redor do planeta, que têm baixíssimos índices de doenças cardiovasculares e obesidade. Estudos mostraram que isso se deve em grande parte ao modo como esses grupos se alimentam.

Alguns locais da Europa próximos ao Mediterrâneo têm como hábito comer porções generosas de verduras e legumes, cozinhar os alimentos com  azeite no lugar da manteiga e tomar pelo menos uma taça de vinho.

A chamada  dieta Mediterrânea, hoje se sabe, é responsável pela baixa incidência de problemas no coração. 

No extremo oposto estão os Estados Unidos, onde proliferam as comidas fast-food e industrializadas. Não é à toa que o país apresenta uma altíssimo de números de obesos, cardíacos e diabéticos. Isso mostra o quanto a cultura de um povo é capaz de determinar o que ele come.

Fonte: A Luz é Invencível

LEIA TAMBÉM, CLIQUE:

SUBSTÂNCIAS OCULTAS QUE ENVENENAM O CÉREBRO DAS CRIANÇAS


Pesquisa alerta para “epidemia silenciosa” de problemas neurológicos causados por substâncias do cotidiano que “corroem a inteligência e perturbam o comportamento” dos pequenos

Autismo, déficit de atenção, dislexia, paralisia cerebral…

A lista de problemas neurológicos que afetam milhares de crianças em todo o mundo é tão extensa quanto as ameaças ocultas do cotidiano que podem deflagrar essas disfunções.

Estudo publicado nesta semana na revista científica The Lancet Neurology alerta para “epidemia silenciosa” de perturbações neurológicas infantis causadas por substâncias invisíveis presentes em roupas, móveis e brinquedos.

Segundo a pesquisa, feita pela Escola de Saúde Pública de Harvard e a Escola de Medicina Monte Sinai, em Nova York, a lista de químicos que, reconhecidamente, afetam o cérebro dos pequenos duplicou nos últimos sete anos, saltando de seis para doze.

São produtos químicos tóxicos que “silenciosamente corroem a inteligência, perturbam o comportamento, e minam as conquistas futuras das crianças, principalmente nos países mais pobres, que têm pouca regulamentação a respeito dessas substâncias”, avaliam os autores do texto, Philippe Grandjean e Philip J Landrigan.

Eles consideram que mesmo as atuais regulamentações dos químicos são inadequadas para proteger as crianças, cujos cérebros em desenvolvimento são particularmente vulneráveis aos produtos tóxicos presentes no ambiente.
Chumbo
As principais formas de contaminação pelo chumbo se dão pela ingestão de alimentos ou água contaminados e por inalação de partículas de poeira da substância.
A exposição ao chumbo na infância está associada ao desempenho escolar reduzido e com comportamento deliquente no futuro. Segundo o estudo, não existem níveis seguros de exposição a essa substância.
Tolueno ou metil benzeno
Esta substância caracteriza o que ficou popularmente conhecido no Brasil como cola de sapateiro, apesar de estar presente em outros tipos de colas, como as utilizadas na marcenaria.

Ela também é usada como solvente, em pinturas, revestimentos, borrachas e resinas. A exposição materna ao tolueno tem sido associada a problemas de desenvolvimento cerebral e déficit de atenção na criança.

Metilmercúrio
A exposição ao metilmercúrio, que afeta o desenvolvimento neurológico do feto, muitas vezes vem de ingestão materna de peixe que contém altos níveis de mercúrio. Segundo o estudo, a vulnerabilidade do cérebro em desenvolvimento à toxicidade do metilmercúrio é muito maior que a do cérebro adulto. Os efeitos perduram por anos.

Problemas apresentados por crianças aos sete anos de idade ainda eram detectáveis com a idade de 14 anos. Outros exames em pessoas expostas no pré-natal a quantidades excessivas de metilmercúrio mostraram ativação anormal de regiões do cérebro em resposta a tarefas de estimulação sensorial e motora.

Bifenilos policlorados – PCBs
Esta família de produtos químicos tem sido rotineiramente associada à função cognitiva reduzida na infância. Muitas vezes, estão presentes em alimentos, principalmente peixes, carnes e lácteos contaminados, e podem ser repassadas ao bebê pelo leite materno. Essas substâncias também são encontradas em aparelhos elétricos velhos, onde agem como isolantes térmicos.

Éteres de difenila polibromados (PBDEs)
O grupo de compostos conhecidos como polibromados éteres difenil (PBDE) são amplamente utilizados como retardadores de chama, para proteger móveis, tapetes e roupas.
Experimentos sugerem que os PBDEs também podem ser neurotóxicos. Estudos epidemiológicos na Europa e nos EUA têm mostrado déficits de desenvolvimento neurológico em crianças com aumento da exposição pré-natal a estes compostos.

Tetracloroetileno ou percloroetileno
Em Massachusetts, nos Estados Unidos, uma pesquisa com crianças que foram expostas no pré-natal ao percloroetileno em água potável mostrou tendência para deficiências na função neurológica e risco aumentado de diagnósticos psiquiátricos.
O tetracloroetileno é um líquido incolor e volátil à temperatura ambiente. É usado como desengraxante de peças metálicas, em lavagens a seco, na indústria têxtil, e produtos de limpeza e de borracha laminada.

Bisfenol A ou BPA
O BPA é um composto usado na fabricação de policarbonato, que é utilizado na produção da maioria dos plásticos rígidos e transparentes, e também na produção da resina epóxi, que faz parte do revestimento interno de latas que acondicionam bebidas e alimentos.

Em 2011, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu proibir, no Brasil, a venda de mamadeiras de plástico que tenham a substância. O BPA pode enganar o corpo e fazê-lo pensar que é hormônio real. Na literatura média, tem sido associado à diversos tipos de câncer e problemas reprodutivos, além de obesidade, puberdade precoce e doenças cardíacas.

Clorpirifós e DDT (pesticidas)
Estes inseticidas estão ligados a anormalidades no desenvolvimento neurológico em crianças. Eles são proibidos em muitas partes do mundo, mas ainda utilizados em muitos países de baixa renda.

Estudos recentes também o relacionam à doença de Alzheimer. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu, em 2004, a industrialização, produção, distribuição, comercialização e entrega de inseticidas de uso doméstico e em ambientes coletivos à base do princípio ativo clorpirifós.

O DDT foi banido nos EUA na década de 70, mas ainda é usado em alguns países. No Brasil, o uso do DDT foi proibido em 2009.

Fluoreto
Eles está presente em cremes dentais e anti-sépticos bucais para prevenir cáries, mas também é adicionado em inseticidas e venenos para ratos.

Um dos usos que ganhou fama nos anos 1960 foi o de adicionar a substância em água, sob a crença de que a prática fortaleceria a saúde bucal. Mais de 27 estudos com crianças expostas a níveis elevados de flúor na água potável, principalmente da China, sugerem um decréscimo médio de QI de cerca de sete pontos.

Ftalatos
Todo os dias, milhões de células no nosso corpo morrem, e isso é perfeitamente saudável. Estudos têm mostrado, no entanto, que químicos chamados ftalatos também podem desencadear a “sinalização da morte” em células testiculares, fazendo-as morrer mais cedo do que deveriam.
Comumente usados para dar mais flexibilidade aos plásticos, os ftalatos podem ser encontrados por todos os lados – na cortina do box do chuveiro, em cabos elétricos, na cobertura do chassi do carro e nos plásticos das portas. Outros estudos ligam os ftalatos a alterações hormonais, defeitos congênitos no sistema reprodutor masculino, obesidade, diabetes e irregularidades da tireoide.
Arsênico
O arsênico é largamente empregado em processos de fundição de metais e na conservação de madeira. Em seu estado elementar, é um material cinza sólido, frequentemente encontrado no meio ambiente combinado com outros elementos. Seus compostos geralmente formam um pó branco ou incolor que não tem cheiro ou sabor, o que dificulta identificação do tóxico em alimentos, na água ou na atmosfera.

Exposições pré-natal e pós-natal ao arsênico em água potável contaminada estão associados com déficits cognitivos em crianças com idade escolar e risco elevado de doença neurológica durante a vida adulta.

Manganês
Um estudo feito em Quebéc, no Canadá, expôs uma relação forte entre a concentração de manganês nos cabelos das crianças e hiperatividade. Pequenos em idade escolar que viviam próximo a áreas de mineração e processamento do minério demonstraram diminuição da função intelectual, deficiência em habilidades motoras e redução da função olfativa.
Presente na água potável em Bangladesh, por exemplo, este produto químico, usado para fabricação de aço, tem sido associado à baixo desempenho em matemática, função intelectual diminuída e déficit de atenção.

O VENENO ESTÁ NA MESA – Silvio Tendler

“Desde 2008 o Brasil é o maior consumidor mundial de agrotóxicos”.
Saiba o que você está comendo para saber porque vai adoecer e morrer. 
Desculpas “políticas”: se não usarmos ” defensores agrícolas” (agrotóxicos) não dará para alimentar toda a população. Se isto fosse verdade mesmo – não é, porque a indústria de agrotóxicos é intencionalmente privilegiada – , a opção servida na mesa é adoecer, abreviar a vida e matar os consumidores com venenos.
A indústria do agrotóxico tem taxa de lucros proporcionais maiores do que o próprio agronegócio no Brasil. Isto diz tudo sobre o assunto – inclusive sobre o desmatamento – e diz porque você está sendo envenenado.
Celso Galli Coimbra
Silvio Tendler é um especialista em documentar a história brasileira. 

Já o fez apartir de João Goulart, Juscelino Kubitschek,Carlos Mariguela, Milton Santos, Glauber Rocha e outros nomes importantes.

Em seu último documentário, Silvio não define nenhum personagem em particular, mas dá o alerta para uma grave questão que atualmente afeta a vida e a saúde dos brasileiros: o envenenamento a partir dos alimentos.

Em O veneno está na mesa, o documentarista mostra que o Brasil está envenenando diariamente sua população a partir do uso abusivo de agrotóxicos nos alimentos.

Em um ranking para se envergonhar, o brasileiro é o que mais consome agrotóxico em todo o mundo, sendo 5,2 litros a cada ano por habitante. As consequências, como mostra o documentário, são desastrosas.

Em entrevista exclusiva ao Brasil de Fato, Silvio Tendler diz que o problema está no modelo de desenvolvimento brasileiro. E seu filme, que também é um produto da Campanha Permanente Contratos Agrotóxicos e pela Vida, capitaneada por uma dezena de movimentos sociais, nos leva a uma reflexão sobre os rumos desse modelo. Confira.
Brasil de Fato – Você que é um especialista em registrar a história do Brasil, por que resolveu documentar o impacto dos agrotóxicos sobre a agricultura e não um outro tema nacional?
Silvio Tendler – Porque a partir deagora estou querendo discutir o futuro e não mais o passado. Eu tenho todo o respeito pelo passado, adoro os filmes que fiz, adoro minha obra. Aliás, meus filmes não são voltados para o passado, são voltados para uma reflexão que ajuda a construir o presente e, de uma certa forma, o futuro.

Mas estou muito preocupado. Na verdade esse filme nasceu de uma conversa minha com [o jornalista eescritor] Eduardo Galeano em Montevidéu [no Uruguai] há uns dois anos atrás, em que discutíamos o mundo, o futuro, a vida.

E o Galeano estava muito preocupado porque o Brasil é o país que mais consumia agrotóxico no mundo. O mundo está sendo completamente intoxicado por uma indústria absolutamente desnecessária e gananciosa, cujo único objetivo realmente é ganhar dinheiro. Quer dizer, não tem nenhum sentido para a humanidade que justifique isso que está se fazendo com os seres humanos e a própria terra.
A partir daí resolvi trabalhar essa questão. Conversei com o João Pedro Stédile [coordenador do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra], e ele disse que estavam preocupados comisso também.
Por coincidência, surgiu a Campanha permanente contra os Agrotóxicos, movida por muitas entidades, todas absolutamente muito respeitadase respeitáveis. Fizemos a parceria e o filme ficou pronto. É um filme que vai ter desdobramentos, porque eu agora quero trabalhar essas questões.

Então seus próximos documentários deverão tratar desse tema?
Pra você ter uma ideia, no contrato inicial desse documentário consta que ele seria feito em 26 minutos, mas é muita coisa pra falar. Então ficou em 50 [minutos]. E as pessoas quando viram o filme, ao invés de me dizerem ‘está muito longo’, disseram ‘está curto, você tem que falar mais’.

Quer dizer, tem que discutir outras questões, e aí eu me entusiasmei com essa ideia e estou querendo discutir temas conexos à destruição do planeta por conta de um modelo de desenvolvimento perverso que está sendo adotado.

Uma questão para ser discutida deforma urgente, que é conexa a esse filme, é o agronegócio. É o modelo de desenvolvimento brasileiro. Quer dizer, porque colocar os trabalhadores para fora da terra deles para que vivam de forma absolutamente marginal, provocando o inchaço das cidades e a perda de qualidade de vida para todo mundo, já que no espaço onde moravam cinco, vão morar 15?

Por que se plantou no Brasil esse modelo que expulsa as pessoas da terra para concentrar a propriedade rural em poucas mãos, esse modelo de desenvolvimento, todo ele mecanizado, industrializado, desempregando mão de obra para que algumas pessoas tenham um lucro absurdo? E tudo está vinculado à exploração predatória da terra.

Por que nós temos que desenvolver o mundo, a terra, o Brasil em função do lucro e não dos direitos do homem e da natureza? Essas são as questões que quero discutir.

Você também mostrou que até mesmo os trabalhadores que não foram expulsos do campo estão morrendo por aplicar em agrotóxicos nas plantações. O impacto na saúde desses agricultores é muito grande…
É mais grave que isso. Na verdade, o cara é obrigado a usar o agrotóxico. Se ele não usar o agrotóxico, ele não recebeo crédito do banco. O banco não financia a agricultura sem agrotóxico. Inclusive tem um camponês que fala isso no filme, o Adonai.

Ele conta que no dia em que o inspetor do banco vai à plantação verificar se ele comprou os produtos, se você não tiver as notas da semente transgênica, do herbicida, etc, você é obrigado a devolver o dinheiro.

Então não é verdade que se dá ao camponês agricultor o direito de dizer ‘não quero plantar transgênico’, ‘não quero trabalhar com herbicidas’, ‘quero trabalhar com agricultura orgânica, natural’.

Porque para o banco, a garantia de que a safra vai vingar não é o trabalho do camponês e a sua relação com a terra, são os produtos químicos que são usados para afastar as pestes, afastar pragas. Esse modelo está completamente errado.

O camponês não tem nenhum tipo de crédito alternativo, que dê a ele o direito de fazer um outro tipo de agricultura. E aí você deixa as pessoas morrendo como empregadas do agronegócio, como tem o Vanderlei, que é mostrado no filme.

Depois de três anos fazendo a tal da mistura dos agrotóxicos, morreu de uma hepatopatia grave. Tem outra senhora de 32 anos que está ficando totalmente paralítica por conta do trabalho dela com agrotóxico na lavoura do fumo.

A impressão que dá é que os brasileiros estão se envenenando sem saber. Você acha que o filme pode contribuir para colocar o assunto em discussão?
Eu acho que a discussão é exatamente essa, a discussão é política. Eu, de uma certa maneira, despolitizei propositadamente o documentário. Eu não queria fazer um discurso em defesa da reforma agrária ou contra o agronegócio para não politizar a questão, para não parecer que, na verdade, a gente não quer comer bem, a gente quer dividir a terra.
E são duas coisas que, apesar de conexas, eu não quis abordar. Eu não quis, digamos assustar a classe média. Eu só estou mostrando os malefícios que o agrotóxico provoca na vida da gente para que a classe média se convença que tem que lutar contra os agrotóxicos, que é uma luta que não é individual, é uma luta coletiva e política.

Tem muita gente que parte do princípio ‘ah, então já sei, perto da minha casa tem uma feirinha orgânica e eu vou me virar e comer lá’, porque são pessoas que têm maior poder aquisitivo e poderiam comprar. Mas a questão não é essa.

A questão é política porque o agrotóxico está infiltrado no nosso cotidiano, entendeu? Queira você ou não, o agrotóxico chega à sua mesa através do pão, da pizza, do macarrão.

O trigo é um trigo transgênico e chega a ser tratado com até oito cargas de pulverizador por ano. Você vai na pizzaria comer uma pizza deliciosa e aquilo ali tem transgênico.

O que você está comendo na sua mesa é veneno. Isso independe de você. Hoje nada escapa. Então, ou você vai ser um monge recluso, plantando sua hortinha e sua terrinha, ou se você é uma pessoa que vai ficar exposta a isso e será obrigada a consumir.

Como você avalia o governo Dilma a partir dessa política de isenção fiscal para o uso de agrotóxico no campo brasileiro?
Deixa eu te falar, o governo Dilma está começando agora, não tem nenhum ano, então não dá para responsabilizá-la por essa política. Na verdade esse filme vai servir de alerta para ela também. Muitas das coisas que são ditas no filme, eles [o governo] não têm consciência. Esse filme não é para se vingar de ninguém. É para alertar.
Quer dizer, na verdade você mora em Brasília, você está longe do mundo, e alguém diz para você ‘ah, isso é frescura da esquerda, esse problema não existe’, e os relatórios que colocam na sua mesa omitem as pessoas que estão morrendo por lidar diretamente com agrotóxico. [As mortes] vão todas para as vírgulas das estatísticas, entendeu?

Acho que está na hora de mostrar que muitas vidas não seriam sacrificadas se a gente partisse para um modelo de agricultura mais humano, mais baseado nos insumos naturais, no manejo da terra, ao invés de intoxicar com veneno os rios, os lagos, os açudes, as pessoas, as crianças que vivem em volta, entendeu?

Eu acho que seria ótimo se esse filme chegasse nas mãos da presidenta e ela pudesse tomar consciência desse modelo que nós estamos vivendo e, a partir daí, começasse a mudar as políticas.

No documentário você optou por não falar com as empresas produtoras de agrotóxicos. Essa ideia fi cou para um outro documentário?
É porque eu não quis fazer um filme que abrisse uma discussão técnica. Se as empresas reclamarem muito e pedirem para falar, eu ouço. Eu já recebi alguns pedidos e deixei as portas abertas. No Ceará eu filmei um cara que trabalha com gado leiteiro que estava morrendo contaminado por causa de uma empresa vizinha.
Eu filmei, a empresa vizinha reclamou e eu deixei a porta aberta, dizendo ‘tudo bem, então vamos trabalharem breve isso num outro filme’. Se as empresas que manipulam e produzem agrotóxico me chamarem para conversar, eu vou.

E vou me basear cientificamente na questão porque eles também são craques em enrolar. Querem comprovar que você está comendo veneno e tudo bem (risos). E eu preciso de subsídios para dizer que não, que aquele veneno não é necessário para a minha vida. Nesse primeiro momento, eu quis botar a discussão na mesa.

Algumas pessoas já começaram a me assustar, ‘você vai tomar processo’, mas eu estou na vida para viver. Se o cara quiser me processar por um documentário no qual eu falei a verdade, ele processa pois tem o direito. Agora, eu tenho direito como cineasta, de dizer o que eu penso.

Esse filme será lançado somente no Rio ou em outras capitais também?
Eu estou convidado também para ir para Pernambuco em setembro, mas o filme pode acontecer independente de mim. Esse filme está saindo com o selinho de ‘copie e distribua’. Ele não será vendido. A gente vai fazer algumas cópias e distribuir dentro do sentido de multiplicação, no qual as pessoas recebem as cópias, fazem novas e as distribuem.

O ideal é que cada entidade, e são mais de 20 bancando a Campanha, consiga distribuir pelo menos mil unidades. De cara você tem 20 mil cópias para serem distribuídas. E depois nós temos os estudantes, os movimentos sociais e sindicais, os professores.

Vai ser uma discussão no Brasil. Temos que levar esse documentário para Brasília, para o Congresso, para a presidenta da República, para o ministro da Agricultura, para o Ibama. Todo mundo tem que ver esse filme.

E expectativa é boa então?

Sim. Eu sou um otimista. Sempre fui.

Assista: O Veneno Está na Mesa 
Documentário de Silvio Tendler

O QUE REALMENTE ACONTECE QUANDO VOCÊ TOMA ANTIBIÓTICOS?

Um dos medicamentos mais prescritos no mundo moderno! A evidência que prova o quão prejudicial esta prática pode ser já está disponível há algum tempo. 
A utilização rotineira de antibióticos e, além disso, despejá-los em nossa comida, tem levado a efeitos colaterais graves e perigosos, que afetam grandemente a saúde e o bem-estar de todos. Há casos em que os antibióticos podem salvar vidas, então eles têm o seu lugar. Mas a mudança de uso específico, bem determinado e ocasional para um uso amplo e, pior ainda, como medida “preventiva”, em seres humanos e animais, é totalmente insano e parece extermínio.
Abaixo você terá algumas evidências fortes que confirmam esta afirmação:
Todo o comprimento do nosso aparelho digestivo é revestido com uma camada bacteriana proporcionando uma barreira natural contra os invasores, alimentos não digeridos, toxinas e parasitas. Se esse “revestimento” (barreira mucosa) for danificado, bem… você sabe o que acontece! 
Estas bactérias benéficas que protegem a parede do intestino também funcionam contra microrganismos patógenos invasivos produzindo substâncias semelhantes a antibióticos, agentes anti-fúngicos voláteis, e substâncias anti-virais. 
Eles envolvem o sistema imunológico para responder adequadamente aos invasores. Nossa flora saudável tem uma boa capacidade de neutralizar as substâncias tóxicas do nosso alimento e meio ambiente, inativar histamina e quelar metais pesados e outros venenos. 
Mais uma vez, tudo isso é possível se a “barreira” está intacta … Sem uma flora intestinal funciona bem, a parede do intestino não só se torna desprotegida, mas também desnutrida.
A Dra. Natasha Campbell McBride oferece um resumo bem pesquisado, dos efeitos desastrosos mais comuns que envolvem diretamente os antibióticos:
destroem as bactérias benéficas no corpo humano, e não apenas no intestino, mas em outros órgãos e tecidos;

eles mudam as bactérias, vírus e fungos de benigno a patogênicos, dando-lhes a capacidade de invadir tecidos e causar doenças;

eles fazem as bactérias resistentes aos antibióticos, por isso a indústria tem que trabalhar em novos antibióticos mais e mais poderosos para atacar essas novas bactérias alteradas. Um bom exemplo é a tuberculose, onde ampla utilização de antibióticos criou novas variedades de Mycobacterium tuberculosis resistentes a todos os antibióticos existentes;

eles têm um efeito direto negativo sobre o sistema imunológico, tornando-nos mais vulneráveis à infecções, o que leva a um ciclo vicioso de mais antibióticos e mais infecções.
O problema do uso excessivo de antibióticos, na verdade, cresceu em proporções, porque se trata não só de medicamentos, mas está em alimentos convencionais também! 
Desta forma, estamos expostos indiretamente aos antibióticos, desde que nascemos e os seus efeitos negativos são reais.
Animais de fazenda são rotineiramente tratados com antibióticos, por isso todos os produtos feitos destes (carne, leite, ovos), também irão nos fornecer um suprimento constante de antibióticos e bactérias resistentes aos antibióticos, desenvolvidos pelos animais em seus corpos, em conjunto com o toxinas que estas bactérias produzem.
Muitos grandes produtores de carne e aves utilizam antibióticos na alimentação de seus animais saudáveis simplesmente para compensar os efeitos da superlotação e saneamento pobre, bem como para promover um crescimento mais rápido. 
Todos os anos, cerca de 30 milhões de libras de antibióticos são vendidos para uso em animais destinados à alimentação. De fato, até 70 por cento de todos os antibióticos vendidos nos Estados Unidos, vão aos alimentos de animais saudáveis.
Peixes de viveiro e mariscos têm antibióticos adicionados, bem como uma grande quantidade de frutas, legumes, nozes e grãos, que são pulverizadas com antibióticos para controlar as doenças.
Os tempos modernos trouxeram a crença comum de que tudo tem que ser desinfectado e esterilizado. Mas foi comprovado por inúmeros estudos que o uso constante de desinfetantes convencionais e sabonetes antibacterianos também matam as bactérias benéficas existentes em nossas mãos, que se destinam a nos proteger de doenças. Em outras palavras, as bactérias resistentes – “superbactérias” – vão se desenvolver, e uma ex-gripe comum vai se transformar em uma infecção mais virulenta e mais difícil de tratar.
Considerando tudo isso, como você pode participar ativamente na mudança desses eventos graves?
… PARE de tomar antibióticos na primeira infecção, utilize  antibióticos naturais, eficazes, seguros e potentes, sem efeitos colaterais.

Exemplos: própolis crú, extrato de semente de uva, óleo de orégano, echinacea, Mel Manuka. Quando você realmente precisar fazer uso de antibióticos, sempre utilize probióticos, para neutralizar os efeitos negativos e manter uma flora intestinal saudável.
… Compre e coma apenas a carne, ovos e laticínios orgânicos, ou pelo menos que não hajam antibióticos adicionados (você já pode encontrar isto em rótulos de muitos produtos)
Nota do Blog: 

ADOTE O VEGETARIANISMO !!!
… Fique limpo usando produtos verdes naturais de limpeza para o seu corpo e casa, e evite sabonetes anti-bacterianos, bem como produtos químicos tóxicos. Os desinfetantes Cleanwell por exemplo, são absolutamente fantásticos e extremamente eficazes, eles vêm em vários tamanhos, cheiram bem e duram bastante.
… Viva uma vida saudável, coma alimentos integrais e assuma a responsabilidade de sua própria saúde preciosa, para que você não acabe em hospitais e centros de cuidados de longa duração, que são os mais expostos à doenças que nunca acabam.
Leia também, clique:  

ALIMENTAÇÃO INDUSTRIALIZADA USADA COMO CONTROLE


Certos alimentos que fazem parte do nosso cotidiano estão impedindo que o despertar em massa ocorra e deverão ser abolidos do nosso cardápio. 

Eles foram propositalmente fabricados e inseridos na nossa alimentação. Fiquem atentos! A alimentação industrializada durante a sua fabricação passa por manipulação, com o intuito de interferir na genética, para, dessa forma, nos controlar, inibindo determinadas funções específicas para que ocorra o despertar de cada um.
Abaixo está uma lista dos alimentos na qual deveremos cortar imediatamente. Se não conseguir retirá-los do seu cardápio eu sugiro que comece aos poucos, gradualmente, pois esses alimentos estão interferindo geneticamente no nosso DNA, no nosso sistema nervoso e cerebral, dificultando que o despertar ocorra e gerando várias doenças e anomalias na qual nem a medicina não consegue curá-las.
Tenham em vista que todos os alimentos industrializados são extremamente prejudiciais a nossa saúde, os enlatados, por exemplo, contêm nitrito, uma substância usada na sua preservação. Através de pesquisas científicas descobriu-se ser um dos causadores de Câncer, por ser altamente tóxico.
Agora não é uma recomendação dos médicos, que, aliás, nunca se preocuparam em recomendar uma alimentação mais saudável, mas sim dos Mestres Ascensionados, para que mudemos nossos hábitos alimentares urgentemente. 
Várias canalizações estão dizendo a mesma coisa, ou mudamos agora ou sofreremos as conseqüências dessa alimentação mórbida e cruel. Para ascensionarmos os nossos corpos precisarão estar numa determinada frequência e a alimentação será um fator determinante, não tenham dúvidas quanto a isso.

Leia também – clique: 

Quem já estiver no caminho espiritual e querer continuar com este tipo de alimentação enfrentará muitas dificuldades tentando equilibrar suas freqüências energéticas e vibracionais já que todos os alimentos descritos abaixo detonam nosso campo magnético e a aura. 
Simplesmente terão que buscar mais energia para equilibrar seu corpo físico, sendo que poderiam usar essa energia para outras finalidades como as ativações ascensionais. Será puro desperdício energético, por escolher os prazeres mundanos, que estão aí só para nos distrair ainda mais.
A memória celular do organismo é alterada pela alimentação, por esse motivo com as ativações planetárias atuais temos que cuidar o que ingerimos e procurar o equilíbrio, para criar uma condição que auxilie na remoção das memórias de ancestralidade traumática.

A mudança do campo eletromagnético das proteínas é responsável pelo movimento que gera comportamento das células, portanto a memória celular novamente entra em evidência.

A magnitude desse campo eletromagnético das proteínas é influenciada diretamente pela barreira de Frequência da Terra e pelas alterações no campo magnético do planeta, como ocorre com a frequência Shuman.

Estamos sentindo uma profunda mudança dentro do campo energético estelar que recai diretamente sobre o campo vibracional das proteínas, o que libera memórias celulares de vidas passadas nos seres humanos.

Vamos aos alimentos que deveremos abolir imediatamente:

CARNE
Quando os animais são mortos sentindo terror, suas auras assumem a configuração energética desse sentimento. 
A aura do sentimento de terror acaba sendo absorvida pelas pessoas que comem esses alimentos. Elas, então, precisam eliminar dos seus campos a energia do terror, que ficarão impregnadas nas nossas células e em nosso DNA.  
A adrenalina e o medo são liberados no tecido muscular, no momento em que o animal é morto, e isso é responsável pelo temor que carregamos no nosso dia-a-dia. A energia do medo é um dos principais elementos que deverão ser transmutados, pois não iremos ascensionar com essa energia em nossos corpos sutis. 
Aqui na 3º dimensão é normal termos medo da morte, medo de morrer, medo da violência, medo do abandono, mas não dá para imaginar vivendo na 5º dimensão com essas energias pairando na nossa atmosfera.  Esse é um dos motivos principais da necessidade de não comer mais nenhum tipo de carne animal.
Toda carne oferecida pelos supermercados está cheia de impurezas dos hormônios do crescimento, antibióticos e outros estimulantes dados aos animais.
Leia o que Ramatis (Mestre Kuthumi) escreveu sobre esse tipo de alimentação:

“Um dia, mesmo por aqueles que constroem os tétricos frigoríficos e os matadouros de equipo avançado, mas que não se livrarão de retornar a Terra, para cumprir em si mesmo o resgate das torpezas e das perturbações infligidos ao ciclo evolutivo dos animais. Expomos-vos aquilo que deve ser meditado e avaliado com urgência, porque os tempos são chegados e não há subversão no mecanismo sideral.”

“No entanto, o que não mata, por piedade ou receio de remorso, mas devora gostosamente a carne do animal ou da ave, trucidados por outros, age manhosamente perante Deus e a sua própria consciência. A piedade à distância não identifica o caráter bondoso, pois muita gente foge aflita, quando o cutelo fere o infeliz animal, mas retorna satisfeita logo que a panela pára de ferver e as vísceras se apresentam apetitosas.”   
ADIÇÃO DO FLÚOR À ÁGUA POTÁVEL 
A concentração do flúor pode provocar até 50% de dano nas enzimas do DNA encarregadas de reparar as células. O flúor poderia possuir um efeito muito tóxico para o sistema nervoso central e interferir na função do cérebro, mesmo quando administrado em baixas dosagens. 
Mas ainda assim, não se justificaria acrescentá-la compulsoriamente à água que bebemos. Nós estamos todos sendo medicados, sem o menor direito de opção. E os indícios de que o flúor na água realmente diminui as cáries não são tão confiáveis.

O flúor é um gás amarelo, venenoso e altamente corrosivo. É utilizado industrialmente para matar micróbios, mas também mata nossas células, causando danos irreversíveis em nosso DNA.
Foi descoberto através de pesquisas científicas que o flúor é capaz  de  interferir  na glândula pineal e sua liberação da melatonina.  A glândula pineal está atualmente tornar-se ativada na humanidade, portanto, há um cheiro de conspiração aqui sugerida.
Ao ingerirmos água com flúor nosso cérebro fica anestesiado, apático e sem vontade própria. Esse é um dos grandes segredos ao acrescentar flúor à água, para que a humanidade se torne  alienada perante ao que está acontecendo em sua volta.
Faça um teste, deixe de tomar água do filtro e passe a tomar água mineral, você sentirá muita diferença. 
A disposição e vitalidade aumentarão, bem como os pensamentos e as emoções se tornarão mais claros, terá maior poder de concentração. Todas as  águas minerais  contém flúor, mas mesmo assim é diferente, talvez porque o flúor não é manipulado pelo homem e vem diretamente  dos poços cartesianos.
Procure trocar todos os cremes dentais pelos orgânicos, não use mais os líquidos bucais pois entram diretamente na corrente sanguínea.
Estive pesquisando um modo de usar a água sem flúor e encontrei um Filtro a base de Osmose Reversa, que é um método para a remoção de sólidos dissolvidos e de bactérias, forçando a água a atravessar uma membrana, tornando-a livre dos minerais, entre eles o flúor. 
Dr. Flanagan pesquisou e criou  os colóides cristais que tem um poder a mais de purificar a água e torná-las “elétricas”, capaz de ascender a centelha da vida em nosso corpo físico.
Dr. Flanagan tentou reproduzir à água do Vale Hunza, sobre o povo de Hunza no qual comento a saúde e a longevidade desse povo, uma das melhores e maiores em todo mundo. Nunca foi registrado nenhum caso de Câncer e são raros os diagnósticos de doenças fatais. Hoje sei que é por causa da água que ingerem, a água mais pura do planeta que geram  os elementos de força vital através da eletricidade interferindo na renovação e regeneração de nossas células.
 Leia também, clique: Segredos de Saúde dos Hunza
O problema são que esses filtros são caros, mas acho que vale a pena adquiri-los. Pesquise mais sobre a Osmose Reversa e sobre o trabalho do Dr. Patrick Flanagan, vale a pena conhecer.
REFRIGERANTES E SUCOS INDUSTRIALIZADOS
Duas substâncias contidas em várias marcas de refrigerantes e sucos, podem formar o benzeno, um composto tóxico cancerígeno detectado em amostras desses produtos em vários países. 
Os cientistas descobriram tendências semelhantes em todo o mundo. Os países em que o consumo anual per capita de refrigerantes ultrapassava a marca dos 90 litros, também apresentavam taxas cada vez mais altas de câncer no esôfago.
Qualquer alimento que altera nossas células a ponto de criar um Câncer ou qualquer outra doença, também influenciará no nosso despertar, pois eles estão interferindo diretamente no DNA, alterando sua estrutura e mensagens originais.
Garrafas plásticas de água, em embalagens PET, polietileno tereftalato, podem conter quantidades substanciais de produtos químicos que ‘imitam’ ou alteram o hormônio estrógeno.
Os refrigerantes a base  de “cola” realmente viciam e atuam no cérebro e nos sistema nervoso, deixando as pessoas alienadas e dispersas. Sem contar a  possibilidade real de estarem colocando micro chips, através de nanotecnologia, para controlar a humanidade.
LEITE
Nos países industrializados, as proteínas do leite de vaca são, muitas vezes, as primeiras proteínas estranhas que chegam ao intestino do recém-nascido. A reação imunitária pode causar uma doença auto-imune que, mais tarde, será um dos fatores-chave no aparecimento de diabete ou de esclerose múltipla. 
Encontram-se anticorpos contra a caseína bovina com muito mais freqüência no sangue dos doentes afetados pela esclerose múltipla do que nos indivíduos sãos. O leite contém proteínas em abundância!

Cerca de 80% dessas proteínas são caseína, a mesma cola usada para montar móveis e para fixar o rótulo na garrafa de cerveja.
Cientistas canadenses comprovaram que há uma forte relação entre a esclerose múltipla e o consumo de leite.
Para o ser humano, porém, o leite foi relacionado às doenças coronarianas, alguns tipos de câncer, diabete e até osteoporose – aquelas mesmas doenças que, segundo os produtores de leite, podem ser prevenidas pelos laticínios! Na realidade o  leite retira o cálcio dos ossos  e fixa-se nos rins causando várias doenças. (A osteoporose é causada mais pelo excesso do consumo de proteína do que pela falta de cálcio). 

Recebemos a quantidade CERTA de cálcio do mundo vegetal.
Um hormônio, denominado IGF-1 (insulin-like growth fator), é igual em seres humanos e vacas. Ao tomar um copo de leite de 360ml, você está dobrando a quantidade desse hormônio no organismo – um hormônio descrito como o fator-chave para o desenvolvimento e a proliferação do câncer.
CAFÉ
O café é muito prejudicial para a saúde em geral. Estimula nosso sistema nervoso central, deixando-nos em alerta o tempo todo, prejudicando todo o organismo. O café vicia rapidamente porque ativa o cérebro e o sistema nervoso afastando o cansaço e a sonolência. A cafeína age sobre nosso cérebro estimulando a neurotransmissora dopamina. Assim, o sistema nervoso fica em alerta e nos proporciona maior rendimento.
A primeira vista nos dá a impressão de ser apenas um estimulante que aumenta nosso rendimento, no entanto, os cafezinhos que ingerimos durante o dia irão afetar profundamente as nossas conexões espirituais, fazendo com que o nosso organismo funcione apenas através de estimulantes como o café, prejudicando nosso raciocínio e bloqueando nosso mental ao que acontece no dia-a-dia. 
As pessoas viciadas em café são mais  apáticas e mais fáceis de controlar porque não pensam por si mesmas,   “funcionam” apenas quando tomando seus cafezinhos diários. 
Precisamos abandonar todos os hábitos que viciam e tentam nos controlar como robôs ou  marionetes, aprender a perceber e a questionar o que acontece a nossa volta, despertar e não ficar tomando estimulante para encobrir a nossa real necessidade de tomarmos decisões em relação a nossa vida.
AÇUCAR
A ingestão de apenas uma colher de chá de açúcar reduz imediatamente em 50% a capacidade dos glóbulos brancos de destruir os germes. A sua capacidade normal volta somente após cinco horas. Seus efeitos são como o de uma verdadeira droga, lentos, acumulativos e insidiosos, vão minando a saúde dia após dia, ano após ano.
Ao se consumir um produto extremamente concentrado, isolado, será exigido do organismo uma compensação química. Ou seja, serão seqüestrados cálcio e magnésio do metabolismo e das reservas. Então, indiretamente, o açúcar “rouba” do organismo depósitos destes minerais, e esta carência de cálcio, magnésio e ferro aumenta quanto maior a ingestão de açúcar. 
Sem falar na sua pré-fabricação no qual utilizam “parafina de vela” para dar o tom esbranquiçado. O câncer se alimenta do açúcar, você cortando esse alimento, corta seu oxigênio.
A grande maioria dos alimentos salgados industrializados leva açúcar. Por isso, adote o hábito de verificar, nas embalagens, os ingredientes que compõem catchups, maioneses, temperos para salada, biscoitos, pães. Veja também se há algum elemento terminado em “ose” , como sacarose ou frutose. Todos contêm açúcar.
 Leia também, clique: O AÇUCAR E A MORTE
O açúcar branco é apenas um fiapo de uma grande rede que envolve outros coadjuvantes (carboidratos, gorduras etc.) que sustentam muitos médicos farmacêuticos e profissionais de saúde nas mais variadas escalas profissionais de uma maneira muito absurda porque as pessoas acham que saúde é reatividade e não prevenção. 

Estamos adoecendo numa escala jamais vista ou estudada sob o ponto de vista socio-antropológico.
E, como estamos falando de uma droga, quem consome muito açúcar torna-se um dependente orgânico, e quanto mais intoxicado, mais deseja açúcar, mais sedentário, porque tende a ter menos força física, emocional e mental. 

Grandes consumidores de açúcar geralmente são fracos, apáticos e acreditam que não podem fazer nada sem consumir um pouco de doce.
SOJA
Os grandes empresários agora perceberam que a maneira mais fácil para garantir a entrada contínua de dinheiro é rotular um produto como “natural”, “orgânico” ou “vegetariano” — e o fazem sem pestanejar — mesmo quando o seu produto é igual aos produtos que lotam as prateleiras de qualquer supermercado.
O crescimento maciço dos derivados de soja como, alimentos saudáveis, representa um triunfo do marketing. 
As empresas, por trás do cultivo da soja, não são pequenas indústrias de alimentos integrais, mas gigantes como a Monsanto — aqueles mesmos que introduziram os modernos “alimentos” processados. 
Conseguiram pegar um mantimento intragável, somente usado em pequenas quantidades por certas culturas, e reembalá-lo como um superalimento que poderia até curar condições como osteoporose, altas taxas de colesterol ou sintomas da menopausa.
Tenha certeza de uma coisa. A maioria dos produtos de soja não é “natural”. São tão processados, adulterados, refinados e “enriquecidos” como laticínios processados, leite “longa-vida” ou até mesmo Coca-Cola. O leite de soja, queijo de soja e até mesmo o hambúrguer vegetal, passa por tantas fases de refinamento quanto o pão branco.
 Leia também – clique: OS PERIGOS DA SOJA NA ALIMENTAÇÃO
Os asiáticos usam a soja em quantidades mínimas e a soja que usam é saudável, porque é produzida pelos métodos tradicionais de fermentação ou lenta separação (como no misso, no shoyu e no tofu). Eles não consomem a soja nas enormes quantidades que nós usamos como substituição da carne ou do peixe.
CORANTES ARTIFICIAIS
Vocês sabiam que todos os alimentos de cores vermelhas, como o sorvete de morango, bolacha de morango, os iogurtes de morango e muitos outros são utilizados o Corante de Cochonilha, isto é, insetos. 
Isso mesmo, você não leu errado, estamos comendo insetos. Esses corantes, se você procurar no rótulo das embalagens, vai encontrar com os nomes de “Vermelho 4”, “Vermelho 3”, “Carmim”, “Cochineal”, “Corante natural carmim de Cochonilha”, “Corante C.I”, “Corante ou Colorizante E120” e todos esses são sinônimos de Corante de    Cochonilha.
O Corante de Cochonilha é um material vermelho vivo feito dos corpos secos e esmagados de um inseto originário do México, a Cochonilha ou Dactylopius coccus. 
A Cochonilha é uma praga que dá em plantas e tem preferência pelo cacto Opuntia coccinellifera e formam uma espécie de farinha nas folhas contaminadas. 
São besouros diminutos (2 a 5 milímetros de comprimento) que formam colônias nas folhas (parecendo farinha), raízes e frutos das plantas, sugando a seiva, inoculando toxinas e provocando manchas, definhamento e morte da planta.
Então aprenda a ler os rótulos do que você come e diga adeus aos produtos das marcas Aymoré, São Luiz, Piraquê (biscoitos), Parmalat, Vigor (iogurtes), e ainda muitos outros. Procure os produtos coloridos com extratos de beterraba e páprica, que são naturais.
Empresa nenhuma vai lhe dizer explicitamente o que ela põe nos seus produtos se houver a menor possibilidade de que isso faça você rejeitar o produto. Experimente escrever para estas empresas e veja se eles vão mesmo lhe dizer, que estão colorindo seus alimentos com besouros esmagados.
MARGARINA HIDROGENADA
Existem, hoje, milhões de pessoas consumindo, regularmente, gorduras e óleos hidrogenados, sofrendo os efeitos colaterais destes produtos, e simplesmente mascarando os seus sintomas com remédios, sejam eles preventivos ou para crise, ao invés de realizarem mudanças básicas na alimentação.
As gorduras estão acumulando no organismo desses pacientes, causados, em grande parte, pelo consumo de margarina, gorduras hidrogenadas e óleos e gorduras trans. As gorduras trans que ingerimos são incorporadas nas membranas celulares, provocando alterações na composição dessas estruturas delicadí­ssimas. Além disso, elas adentram as vias metabólicas das gorduras normais, perturbando a função do organismo como um todo.
Minha dica é: seja diligente na eliminação total da margarina e das gorduras e óleos parcialmente hidrogenados da sua alimentação. Após 3 meses, os resultados geralmente são visí­veis e muito gratificantes.
No iní­cio, você pode levar um susto: a sua primeira impressão poderá ser de que tudo contém gordura hidrogenada. Sinal que você está comendo errado faz tempo! 
Você poderá encontrar gordura hidrogenada em rótulos de margarinas, batatinhas chips, bolachas, biscoitos, bombons, bolos, pipocas de cinema e em quase todos os lanches da sua lanchonete favorita. Os alimentos hidrogenados não se resumem a frituras. Biscoitos, sorvetes, chocolate, macarrão de preparo rápido, chips e temperos prontos, só para citar alguns exemplos, fazem parte da grande lista.
A gordura hidrogenada é uma gordura vegetal que foi criada pela indústria para ser uma alternativa à gordura saturada, a do bacon, da lingüiça, da picanha, etc.

Mas como não existe gordura no mundo vegetal, somente óleos, foi criado, então, um processo de transformação desses óleos vegetais em gordura sólida.

Aí começa o problema. Os óleos são colocados em uma câmara com gás hidrogênio, – daí o nome hidrogenada – com alta pressão e alta temperatura e o resultado não seria bem visto – e muito menos comido – por ninguém.
Os óleos se transformam em uma pasta preta, com mau cheiro, que precisa ser alvejada para ficar sem cor e desodorizada para ficar sem cheiro. 
Acrescentam vários aditivos químicos entre espessantes, aromatizantes, vitaminas sintéticas e uma boa dose de marketing para convencer que é um produto saudável. “Ela deixa tudo crocante porque solidifica nos alimentos após a fritura, formando uma casquinha. Isso acontece também nos vasos que ficam impedidos de dilatar”, esclarece a endocrinologista. Por isso, de acordo com a médica, está se tornando comum esportistas jovens sofrerem parada cardíaca durante a prática de qualquer esporte.
“Durante a atividade física, o fluxo sangüíneo aumenta, mas o vaso não dilata para a passagem do sangue. É quando ocorre o infarto”. A causa: ela “plastifica” os vasos, levando a infartos e derrames.
Saiba mais – Alguns alimentos que contêm gordura hidrogenada:
– Biscoitos. Praticamente todos, principalmente os recheados e os wafer;
– Chips;
– Batata-frita. Tanto as de pacote quanto as de fastfood;
– Tortas e bolos. Prontos e semiprontos (ficam bem fofos);
– Pães. Principalmente os de massa doce;
– Sorvete. A grande maioria, até mesmo os light. O sorvete hidrogenado é mais espumoso;
– Chocolate. Cuidado com os diet, são os piores;
– Leite. Os achocolatados prontos;
– Margarina. Quanto mais dura pior;
– Fast-food. Usam essa gordura para todas as frituras porque fica crocante;
– Requeijão. Os que são muito cremosos;
– Pipoca de microondas. 
FARINHA BRANCA
Cada ano que passa se acrescenta na literatura médica, trabalhos epidemiológicos e prospectivos que relacionam, nos países desenvolvidos e economicamente estáveis, os fatores de risco que provocam hiperinsulinemia (sedentarismo, obesidade central, alta ingestão de carboidratos refinados) com o aumento da prevalência das principais doenças degenerativas (infarto do miocardio, diabete não dependente de insulina, câncer colo-retal, adenoma colo-retal, câncer de mama, câncer de próstata) sugerindo que a hiperinsulinemia pode ser considerada importante fator promotor destas doenças.
A ingestão de alimentos refinados provoca um aumento da glicose no sangue a qual é responsável pela produção exagerada de insulina: hiperinsulinemia.

Com o passar do tempo, a persistência da hiperinsulinemia, acarreta a diminuição da sensibilidade dos receptores de membrana à insulina e surge a “resistência à insulina” a qual aumenta ainda mais a glicemia em um verdadeiro ciclo vicioso. O aparecimento de resistência à insulina provoca dificuldade de penetração da glicose do extracelular para dentro das células.

De importância prática é o fato de podermos diagnosticar em clínica esta dificuldade de passagem da glicose do extracelular para o intracelular: dosando a INSULINEMIA.

Já ao olhar para uma pessoa podemos suspeitar fortemente da presença de hiperinsulinemia com resistência à insulina: presença de obesidade central – aumento do volume do abdome (aumento de gordura intra-abdominal).

ASPARTAME
O aspartame muda a química do cérebro causando diversas alterações neurológicas como doença de parkinson, esclerose múltipla, entre outras.É a causa de diversos tipos de ataque. Esta droga muda os níveis de dopamina no cérebro.
Em uma Conferencia eu disse: ‘ Se você está usando ASPARTAME (Nutrasweet, Equal, e Spoonful, etc.) e sofre de sintomas como fibromialgia , espasmos, dores , formigamento nas pernas, câimbras , vertigem, tontura , dor de cabeça , zumbido no ouvido , dores articulares , depressão , ataques de ansiedade, fala atrapalhada , visão borrada ou perda de memória – você provavelmente tem a DOENÇA DO ASPARTAME !
O metanol no ASPARTAME se converte em formaldeído na retina do olho. O formaldeído é do mesmo grupo das drogas como cianeto e arsênico – Venenos mortais! Infelizmente, leva muito tempo para matar, mas está matando as pessoas e causando todos os tipos de problemas neurológicos.
As pessoas que mudaram de Sacarina para o Aspartame e passaram a entrar, eventualmente, em coma.

Seus médicos não conseguem controlar os níveis de glicemia. Os pacientes têm perda de memória pelo fato de que o ácido aspártico e a fenilalanina, bem como outros aminoácidos encontrados nas proteínas, são neurotóxicos. Eles atravessam a barreira hemato-encefálica e causam deterioração nos neurônios.

Esses ingredientes estimulam os neurônios até a morte, causando dano cerebral em vários níveis.

PANELA DE ALUMÍNIO
Certos íons carregados positivamente, como os íons de alumínio, são extremamente destrutivos para o equilíbrio do sistema biológico coloidal.

E por isso que não devemos usar panelas e utensílios de alumínio na cozinha. Devemos evitar cuidadosamente produtos que contenham alumínio, como antiácidos, fermentos em pó e desodorantes.

OS PESTICIDAS E AGROTÓXICOS
Os pesticidas não apenas reduzem as freqüências de vibrações dos alimentos a um nível inferior ao necessário para manter a vida mas também desfiguram o padrão dos seus campos energéticos e, portanto, modificam a sua natureza.

Quanto mais pesticidas usarmos nos alimentos, mais os campos energéticos desses alimentos serão alterados e debilitados. Para acabar com os efeitos energéticos negativos das substâncias tóxicas deixadas em alimentos como vegetais, frutas e ovos.

Embora a fórmula possa parecer absurda, dada a sua simplicidade, ela restaura o padrão original e a intensidade do campo energético vital dos produtos. Ela funciona para vegetais, frutas, cereais integrais e ovos crus, mas não é aplicável a nenhum alimento cujo campo de energia não esteja mais intacto, tais como carnes, aves, alimentos industrializados, cereais moídos ou laticínios.

Basta encher a pia com água fria. Acrescente um pouco de água sanitária, Deve ser apenas água sanitária, sem nenhuma essência ou aditivo. Ponha de molho nessa água, por vinte minutos, todos os vegetais, frutas e ovos que trouxer para casa. Decorridos os vinte minutos, enxágüe tudo em água fria, e pronto. Basta guardar os alimentos na geladeira, como de costume.
Fonte do texto acima: http://www.curaeascensao.com.br/

Desabilite a Playlist musical do Blog antes de assistir

http://despertardegaia.blogspot.com/